Sublimação: como personalizar almofadas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 05/02/2017
Saiba como sublimar uma almofada para decoração

Saiba como sublimar uma almofada para decoração

A razão do sucesso da impressão digital sublimática é simples: a capacidade de personalizar pequenas tiragens em mídias sustentáveis de tecido. Não bastasse isso, a tecnologia produz imagens de alta qualidade com rapidez e facilidade operacional. Entre os produtos possíveis de serem personalizados pela sublimação estão artigos de decoração, como as almofadas.

A seguir mostramos como personalizar uma almofada. O passo a passo foi realizado pela equipe da Mimaki Brasil. Para tanto, foram utilizados enchimento, tesoura, prensa térmica, capa de almofada branca (100% poliéster) e impressora Mimaki JV150-160 (com tinta Sb53). Para essa aplicação também é possível empregar outros equipamentos sublimáticos da Mimaki, entre eles o CJV150-107, o TS300P-1800 e o JV300. Acompanhe:

Crie a arte conforme o molde do produto, com sangria de no mínimo 0,3cm
Abra o arquivo no software RIP da Mimaki, o RasterLink6, e ative a opção “reverso”, para espelhar a imagem
Insira as especificações
Imprima o arquivo. Para a almofada, recomenda-se usar resolução de 540 x 360dpi, 3P, no modo 4 cores
Após a impressão, recorte o material
Posicione o material impresso em uma prensa térmica, com temperatura de 200ºC, por 60 segundos
Retire o material da prensa e, com cuidado, remova o papel
Produto final

 



Nova impressora 3D de grande formato para comunicação visual

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 15/09/2015
Massivit 1800 pode imprimir objeto com até 1,8m de altura

Massivit 1800 pode imprimir objeto com até 1,8m de altura

A Massivit 3D Printing Technologies, fabricante de máquinas, anunciou a primeira instalação no mundo da Massivit 1800, impressora 3D de grande formato voltada para aplicações de comunicação visual. O equipamento permite a criação de objetos para uma variedade de aplicações em publicidade, eventos, decoração e sinalização.

Eyal Shemesh, CEO da E.S. Digital (de Israel), primeira empresa a adquirir a tecnologia, declarou: “Estamos muito satisfeitos e animados com a Massivit 1800. Temos grandes planos, e muitos clientes esperam que essa solução permita criar mídias exclusivas e de todos os tipos de formatos. Com a Massivit 1800, agora podemos oferecer novos produtos para campanhas atraentes e divertidas”.

Segundo a fabricante, a Massivit 1800 é uma das máquinas mais rápidas de sua categoria, sendo capaz de imprimir objetos de 1,5m x 1,2m x 1,8m, em modo de produção de 35cm/1ft por hora. O equipamento pode, por exemplo, imprimir em cinco horas uma escultura de um ser humano em tamanho real – e em paralelo possibilita a formatação de outro objeto, pois apresenta a tecnologia de duplo processo.

O grande diferencial da Massivit 1800 é a tecnologia GDP (Gel Dispensing Printing), que emprega um gel especial sensível a uma onda específica de radiação UV. Ele é o material básico para impressão, solidificação e cura dos objetos conformados pela máquina.

Gershon Miller, um dos fundadores da Massivit, declarou: “Ao desenvolver a Massivit 1800, reinventamos a impressão 3D. Tivemos de criar uma tecnologia totalmente nova, a GDP. O resultado é uma impressora 3D com desempenho notável, design impressionante e alguns dos algoritmos de impressão 3D mais avançados do mercado, o que permite impressões rápidas e econômicas”.

Fonte: Large Format Review



SGIA passa a credenciar profissionais habilitados em gerenciamento de cores

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/07/2017
Primeira turma de profissionais credenciados já está atuando

Primeira turma de profissionais credenciados já está atuando

Nos Estados Unidos, a SGIA (Specialty Graphic Imaging Association) criou um programa de avaliação e certificação de profissionais especialistas em reprodução de cores digitais. Para obter o selo (SGIA Color Digital), os avaliados devem passar por um processo de duas etapas. Na primeira, o requerente realiza um teste escrito para demonstrar seus conhecimentos. Em seguida, ele deve imprimir uma imagem de teste fornecida pela própria SGIA. Ao término, uma equipe especializada avalia a qualidade e a consistência da reprodução levando em consideração especificações técnicas industriais. A primeira leva de avaliados foi composta por 16 alunos. No entanto, apenas sete obtiveram a certificação.

Ray Weiss, especialista da SGIA, declarou: “A cor é importante para um trabalho que satisfaça o cliente. Criamos a certificação profissional SGIA Color Digital como uma forma de provar que as empresas têm essa competência. O conhecimento teórico é fundamental, mas o que diferencia uma empresa é sua capacidade de obter as cores certas na prática. Empresas com o selo SGIA Digital Color provaram seu conhecimento e habilidades no assunto”.

Fonte: SGIA