Como aplicar vinil adesivo em vidro

Por Eduardo Yamashita em 06/12/2015
Instalar imagens em janelas e vidros exige conhecimento, habilidade e mãos firmes

Instalar imagens em janelas e vidros exige conhecimento, habilidade e mãos firmes

O pré-requisito para qualquer aplicação bem-sucedida de vinis adesivos é conhecer a superfície onde o substrato será aplicado. No caso de vidros, é necessário saber que eles não iguais. Alguns são expostos à luz solar direta durante longos períodos. Outros são revestidos com um substrato, como o silicone, que dificulta a adesão em longo prazo. E alguns vidros são cobertos com filmes de resistência antirreflexo, que sempre dificultam muito a remoção da imagem.

Saiba também que há diferentes tipos de vinis adesivos. Janelas exigem filmes cast em vez de película calandrada. Mais especificamente, as películas perfuradas concebidas para superfícies planas e transparentes são ideais para aplicações em vidro. Trata-se de um substrato com padrão de orifício contínuo para proporcionar uma imagem visível do exterior sem prejudicar a vista de dentro do ambiente.

Diversos fatores influenciam a longevidade das imagens aplicadas em janelas: combinação correta entre filmes, tintas, laminação, formulação da tinta, métodos de secagem, condições de exposição e métodos de manutenção e limpeza.

Evite problemas

Para evitar falhas na instalação, conheça e execute com cuidado as várias etapas de pré-aplicação. A primeira dica é aplicar laminação para aumentar a durabilidade do filme e protegê-lo de poeira, água e sujeira acumuladas.

Como o vinil ficará exposto à luz solar, deve-se evitar usar imagens escuras. Caso contrário, a mídia absorverá mais calor, além de dificultar a capacidade do vidro de “respirar” o calor para fora. Eventualmente, o vidro pode trincar devido à alta temperatura.

Deve-se ter cuidado também com o clima frio. Os fabricantes não recomendam a aplicação de vinis em vidro quando a temperatura for inferior a 5ºC, porque a adesão da película não ocorrerá.

O vinil perfurado permite que a imagem impressa possa ser visualizada de fora do ambiente sem prejudicar a visualização de quem está dentro do estabelecimento

Preparação para a instalação

A primeira etapa da instalação é a limpeza completa da superfície de vidro. Para tanto, deve-se usar álcool isopropílico. Não é recomendado o uso de produtos à base de amoníaco, pois eles criam um filme sobre a janela que afeta o adesivo do vinil e causa bolhas.

Antes de começar a aplicação, dimensione a janela. Corte a película com a forma aproximada da janela antes da espatulação do filme. Meça a imagem para ter certeza de que ela terá uma folga em torno de qualquer junta de borracha. O vinil não deve se sobrepor às molduras da janela, pois perderá a aderência.

Em caso de imagens que fazem uma “ponte” sobre superfícies de metal pintado entre janelas, aplique uma película opaca para as superfícies entre as janelas. Assim, será possível eliminar as inconsistências dos vinis.

Antes de aplicar o vinil é fundamental limpar corretamente toda a superfície que vai receber a mídia

Aplicação do vinil

Os fabricantes não recomendam aplicações úmidas para vinis perfurados, porque a água se acumulará nos buracos, o que vai obscurecer a visão das pessoas que estiverem olhando através da imagem. Portanto, aplicação seca é o único método recomendado.

Para a instalação, vire para baixo o filme no centro da janela e corte a imagem um pouco maior que a superfície a ser adesivada. Use uma fita adesiva de baixo tack, como uma dobradiça, e, em seguida, comece a remover o liner da imagem. Ao aplicar a imagem e cortar uma margem de 3mm a 5mm, elimina-se a necessidade de vedação de borda sobre o contorno da janela.

Em seguida, vire a imagem para baixo e comece a aplicar pressão sobre o filme para criar adesão, removendo o liner aos poucos. Recomenda-se usar uma proteção de baixo atrito na espátula plástica para evitar riscos na imagem.

Depois, comece espatulando no meio da imagem e, depois, de um lado para o outro, continuando o processo a partir do centro. Use traçados sobrepostos da espatulação. Sempre reespatule a imagem.

Se o projeto tiver dois (ou mais) painéis justapostos, recomenda-se refilar cuidadosamente as imagens para que os painéis se unam e formem emendas perfeitas. Faça o refile das imagens antes de iniciar a aplicação. Ao cortar o filme quando ele já estiver na janela, corre-se o risco de avariar permanentemente o vidro.

Se houver bordas e emendas, use um vedador de bordas para evitar que água e contaminantes entrem sob o filme e obstruam a visão interior ou contaminem o adesivo. O vedador deve ser aplicado com cuidado para vedar completamente as bordas e minimizar as distorções causadas pelo selador do lado da visualização da imagem. Use um pincel 1/4 polegadas para aplicar o selador, o que dará mais controle e precisão.

Remoção do vinil

Para remover o vinil sem danificar o vidro, é possível aplicar o método químico ou calor.

O método de remoção por meio do calor emprega pistola, lâmpada ou maçarico. A primeira etapa é aquecer um canto da imagem com muito cuidado para evitar que o material ou a janela esquente muito, o que pode quebrar o vidro. Recomenda-se o uso de estilete ou faca sob o canto para levantar a imagem, mas com cautela para não danificar o vidro. Em seguida, segure a borda levantada e puxe-a para cima em ritmo lento e ângulo inferior a 90º. Mantenha sempre pressão uniforme e aqueça a área de película imediatamente em frente da área a ser removida.

Se o filme for protegido com verniz, use o sistema de remoção química. Mas saiba que esse processo não é tão eficaz em materiais laminados. Recomenda-se usar xilol (xileno) se o adesivo ou a borda selada permanecer depois da remoção do filme. Deixe o xilol absorver no vedador de borda. Em seguida, use um rodo de plástico (espátula plástica) para raspar o resíduo. Repita esse processo até que o vidro esteja limpo. Removedores com base cítrica não inflamáveis também são recomendados para a tarefa.

Entre em contato com o fabricante do vinil antes de aplicar películas em vidros. Alguns não são recomendados, e geralmente não terão garantia.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Durst lança impressora UV Rho 512R LED

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/11/2018
Impressora Rho 512 foi aparelhada com cura LED

Impressora Rho 512 foi aparelhada com cura LED

A fabricante Durst esteve na SGIA Expo 2018, feira que ocorreu entre os dias 18 e 20 de outubro, em Las Vegas (EUA). No evento, além de tecnologias como a P5 250 HS, a empresa mostrou a nova Rho 512R LED.

Segundo a empresa, a impressora Rho 512R LED oferece produtividade e qualidade de impressão do modelo anterior (sem cura LED). Porém, a máquina opera com menos energia, menor nível de ruído e um processo livre de ozônio. Para manter a produção de alta qualidade, a Durst desenvolveu um novo sistema de tinta UV LED, para acelerar o processo de secagem e obter resultados otimizados em materiais sensíveis ao calor.

Fonte: Durst



Impressão digital ganha destaque no relatório de tendências globais da Drupa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/03/2014

Maior feira de impressão do mundo, a Drupa, cuja próxima edição ocorrerá de 31 de maio a 10 de junho de 2016, em Dusseldorf (Alemanha), comprometeu-se a publicar uma série de estudos sobre tendências e mudanças no mercado internacional de impressão.

Acaba de ser lançado o Drupa Global Trends, primeiro relatório da organização, cujos resultados têm como base pesquisas realizadas com um grupo de executivos de gráficas, fornecedores e consumidores de impressão de todo o mundo.

Realizada no fim de 2013, a pesquisa contou com aproximadamente 2.500 tomadores de decisão de 119 países; 58% deles eram de gráficas, 21%, de fornecedores e 21%, de clientes finais.

O documento revela um número de tendências críticas compartilhadas por todas as regiões econômicas e por todos os segmentos de impressão.

De acordo com a Drupa, 65% das gráficas no mundo usam impressão digital

De acordo com a Drupa, 65% das gráficas no mundo usam impressão digital

O relatório confirma que há uma grande transformação estrutural em curso na indústria mundial de impressão, juntamente com a ocorrência de margens mais apertadas. Além desses, há outros pontos de grande destaque no estudo:

  • Há sinais claros de que as condições econômicas mundiais estão melhorando. Consequentemente, a indústria global de impressão planeja aumentar seus investimentos nos próximos 12 meses. A América do Norte está na liderança, pois acelerou o ritmo de grandes transformações ao investir pesado em tecnologia, TI e novos serviços. Nos países emergentes, o aumento da demanda é a razão para o crescimento;
  • A atividade de impressão está se transformando de indústria de produção em massa para ramo prestador de serviços. É evidente a demanda por novas soluções e modelos de negócios que reflitam as novas necessidades dos clientes;
  • A impressão digital está cada vez mais presente no parque gráfico. Entre os provedores de serviços de impressão, 65% usam tanto métodos convencionais quanto digitais, e um terço das gráficas comerciais obtem um quarto ou mais de suas rendas por meio da impressão digital. Mas a tecnologia convencional continua a ser um importante pilar para o setor.

O primeiro relatório da Drupa oferece uma avaliação inicial do estado atual da indústria de impressão. A fim de monitorar as tendências em curso, a pesquisa será repetida anualmente. Além disso, a Drupa publicará uma série de relatórios com insights para oferecer análises detalhadas sobre tópicos de relevância para a indústria.

A Drupa também está desenvolvendo uma pesquisa sobre os impactos da internet na indústria de impressão, que será lançado em 2014. O objetivo será apresentar os efeitos causados pelo e-commerce, marketing digital, comunicação de massa e TI. E mostrará como as estratégias e os modelos de negócios precisam ser adaptados.

Fonte: What They Think