Dicas para comprar o vinil adesivo correto para trabalhos de sinalização e comunicação visual

Por Eduardo Yamashita em 11/05/2015

O vinil adesivo oferece muitas vantagens. Na decoração ou no envelopamento de veículos, por exemplo, a película dá a oportunidade de sinalizar e comunicar sem danificar a superfície do carro ou da parede. Além disso, pode-se trocar essa comunicação em pouco tempo, prescindindo de materiais permanentes, como as tintas. Portanto, trata-se de uma estratégia acessível e de ótimo custo-benefício.

Saiba o que você precisa saber para escolher o vinil adequado para as suas produções

Veja o que você precisa saber para escolher o vinil adequado para as suas produções

Tipos de vinis adesivos

Em primeiro lugar, saiba que há vários tipos de películas adesivas. Elas podem ser classificadas conforme o PVC, adesivo ou liner:

PVC:

- Fabricação: cast, calandrado monomérico ou calandrado polimérico;
- Propriedade óptica: opaco, translúcido, transparente ou cristal;
- Acabamento: brilhante, fosco, semibrilhante ou semifosco.

Adesivo:

- Borracha;
- Acrílico: à base de solvente ou à base d’água (permanente, removível, reposicionável).

Liner:

- Sintético;
- Papel sem tratamento;
- Papel com tratamento sintético.

Essas características técnicas determinam o desempenho dos vinis:

- Calandrado x cast: espessura, aplicação e durabilidade;
- Monomérico x polimérico: durabilidade;
- Opaco x transparente x translúcido x cristal: passagem de luz;
- Brilhante x fosco x semifosco x semibrilhante: acabamento superficial;
- Adesivo de borracha x adesivo acrílico: durabilidade;
- Adesivo à base d’água x adesivo à base de solvente: durabilidade;
- Permenente x reposicionável x removível: adesão inicial e final;
- Liner: estabilidade.

Vinil cast e vinil calandrado

Aplicação: o cast pode ser aplicado em todos os tipos de superfícies (planas, curvas simples, curvas compostas, corrugadas, sem ou com rebites). Já o calandrado é limitado a superfícies planas e curvas simples.

Produção: o calandrado é produzido em calandras. O cast é confeccionado em equipamentos parecidos com os que fazem cobrimentos de materiais líquidos. Veja detalhes da produção de ambos os processos nesse outro artigo.

Custos de fabricação: as tecnologias e matérias-primas empregadas na fabricação do cast aumentam o custo do vinil. Portanto o cast é mais caro que o calandrado.

Características:

- Espessura: o cast é mais fino, ao passo que o calandrado é mais espesso;

- Flexibilidade: o cast é mais flexível, enquanto que o calandrado é mais rígido;

- Memória elástica: o calandrado tem mais memória;

- Durabilidade: as matérias-primas utilizadas nos filmes calandrados não proporcionam performances tão boas quanto às dos cast. Os filmes cast têm excelente durabilidade.

Saiba quando escolher entre o vinil cast e o calandrado

Saiba quando escolher entre o vinil cast e o calandrado

Na hora de escolher

Em primeiro lugar, você precisa entender o que o seu cliente precisa e deseja. Pergunte-se: qual é a durabilidade do projeto? Em qual superfície de aplicação ele será instalado? Qual é o processo de imagem que será utilizado? A escolha do vinil adesivo vai depender das respostas a essas questões.

Por exemplo, em superfícies de curvas simples ou planas, você pode utilizar qualquer filme. Mas as curvas complexas pedem vinis cast. Conhecer a durabilidade do projeto também é muito importante, pois os vinis calandrados têm menor desempenho que os cast.

No processamento da imagem, verifique a tecnologia utilizada: recorte eletrônico, impressão digital ou serigrafia. No caso da impressão solvente, a recomendação é que, depois de impresso, o material deve ser evaporado totalmente e, de preferência, muito rápido, para que a qualidade da película não se altere.

Assim, em trabalhos promocionais, deve-se usar vinis promocionais. Já trabalhos que exigem alta durabilidade, vão exigir películas de alta performance. Para aplicações em curvas complexas, use películas cast. Os backlits requerem películas translúcidas.

Na hora de comprar o vinil, atente-se aos seguintes itens:

- Procedência (fabricante);

- Validade (shelf life do produto);

- Boletim técnico (informações técnicas do produto);

- Garantia do produto;

- Suporte comercial e técnico.

 

***

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 11 de maio de 2013.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.



HP anuncia impressoras da série Latex 300

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/04/2014

Latex 360 faz parte da nova sperie de impressoras de grande formato da HP

Latex 360 faz parte da nova série de impressoras de grande formato da HP

A HP, fabricante de impressoras digitais, apresentou na ISA Sign Expo, feira norte-americana que aconteceu de 24 a 26 de abril, a nova geração de equipamentos látex, a HP Latex 300. A série é composta por três modelos:

HP Latex 310

Impressora de entrada de 1,37m de largura. Compacto, o modelo apresenta carregamento frontal de substrato, para melhor aproveitamento da área de produção.

HP Latex 330

Com 1,62m e velocidade de até 50m2/h, a impressora combina versatilidade de aplicações e permite rodar bobinas de substratos maiores e mais pesadas.

HP Latex 360 

Com 1,62m de largura, a impressora trabalha na velocidade de até 91m2/h e apresenta coletor de tinta para tecidos porosos. A máquina também possui registro automático front-to-back para impressão dupla face.

As impressoras empregam tinta HP 831 Latex, que oferece resistência a arranhões, e RIP SAi FlexiPRINT Basic Edition (apenas as HP Latex 310 e 330).

Fonte: Large Format Review



Mimaki Brasil colabora em projeto social

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/02/2016
Fornecedora imprimiu materiais para crianças da Comunidade Madre Tereza de Calcutá

Fornecedora imprimiu materiais para crianças da Comunidade Madre Tereza de Calcutá

A filial brasileira da Mimaki, fabricante de impressoras digitais e plotters de recorte, participou no fim de 2015 do Collab, projeto social de Natal realizado na Comunidade Madre Tereza de Calcutá, na Paróquia Santa Cruz, em São Paulo.

A fornecedora criou e imprimiu diversos kits de desenho e pintura para as crianças da comunidade na véspera do Natal. Todo o material foi estampado numa Mimaki JFX200-2513, equipamento UV LED com sistema plano de alimentação de substratos.

Renata Sato, assistente comercial da Mimaki Brasil e colaboradora do Collab Natal, declarou: “Quando a idealizadora do projeto divulgou a ideia de estender a vida das nossas criações além do mundo digital, e entregá-las impressas a crianças como presente de Natal, na hora pensei na Mimaki e em todas as possibilidades de impressão que as nossas máquinas oferecem. Foi realmente gratificante e espero que possamos seguir por este caminho, levando um pouco do bem que podemos fazer pelos outros”.

Natasha Higa, idealizadora do Collab de Natal, também comentou: “É inspirador ver que ainda temos gente a usar seu trabalho ou paixão de um jeito que seja totalmente direcionado a deixar os outros felizes. Não importa o tamanho do gesto, o que importa é o coração”.

Kits para colorir foram impressos em equipamento UV
Projeto social foi realizado na Comunidade Madre Tereza de Calcutá, São Paulo

Fonte: Mimaki Brasil



Clicky