Dicas para comprar o vinil adesivo correto para trabalhos de sinalização e comunicação visual

Por Eduardo Yamashita em 11/05/2015

O vinil adesivo oferece muitas vantagens. Na decoração ou no envelopamento de veículos, por exemplo, a película dá a oportunidade de sinalizar e comunicar sem danificar a superfície do carro ou da parede. Além disso, pode-se trocar essa comunicação em pouco tempo, prescindindo de materiais permanentes, como as tintas. Portanto, trata-se de uma estratégia acessível e de ótimo custo-benefício.

Saiba o que você precisa saber para escolher o vinil adequado para as suas produções

Veja o que você precisa saber para escolher o vinil adequado para as suas produções

Tipos de vinis adesivos

Em primeiro lugar, saiba que há vários tipos de películas adesivas. Elas podem ser classificadas conforme o PVC, adesivo ou liner:

PVC:

- Fabricação: cast, calandrado monomérico ou calandrado polimérico;
- Propriedade óptica: opaco, translúcido, transparente ou cristal;
- Acabamento: brilhante, fosco, semibrilhante ou semifosco.

Adesivo:

- Borracha;
- Acrílico: à base de solvente ou à base d’água (permanente, removível, reposicionável).

Liner:

- Sintético;
- Papel sem tratamento;
- Papel com tratamento sintético.

Essas características técnicas determinam o desempenho dos vinis:

- Calandrado x cast: espessura, aplicação e durabilidade;
- Monomérico x polimérico: durabilidade;
- Opaco x transparente x translúcido x cristal: passagem de luz;
- Brilhante x fosco x semifosco x semibrilhante: acabamento superficial;
- Adesivo de borracha x adesivo acrílico: durabilidade;
- Adesivo à base d’água x adesivo à base de solvente: durabilidade;
- Permenente x reposicionável x removível: adesão inicial e final;
- Liner: estabilidade.

Vinil cast e vinil calandrado

Aplicação: o cast pode ser aplicado em todos os tipos de superfícies (planas, curvas simples, curvas compostas, corrugadas, sem ou com rebites). Já o calandrado é limitado a superfícies planas e curvas simples.

Produção: o calandrado é produzido em calandras. O cast é confeccionado em equipamentos parecidos com os que fazem cobrimentos de materiais líquidos. Veja detalhes da produção de ambos os processos nesse outro artigo.

Custos de fabricação: as tecnologias e matérias-primas empregadas na fabricação do cast aumentam o custo do vinil. Portanto o cast é mais caro que o calandrado.

Características:

- Espessura: o cast é mais fino, ao passo que o calandrado é mais espesso;

- Flexibilidade: o cast é mais flexível, enquanto que o calandrado é mais rígido;

- Memória elástica: o calandrado tem mais memória;

- Durabilidade: as matérias-primas utilizadas nos filmes calandrados não proporcionam performances tão boas quanto às dos cast. Os filmes cast têm excelente durabilidade.

Saiba quando escolher entre o vinil cast e o calandrado

Saiba quando escolher entre o vinil cast e o calandrado

Na hora de escolher

Em primeiro lugar, você precisa entender o que o seu cliente precisa e deseja. Pergunte-se: qual é a durabilidade do projeto? Em qual superfície de aplicação ele será instalado? Qual é o processo de imagem que será utilizado? A escolha do vinil adesivo vai depender das respostas a essas questões.

Por exemplo, em superfícies de curvas simples ou planas, você pode utilizar qualquer filme. Mas as curvas complexas pedem vinis cast. Conhecer a durabilidade do projeto também é muito importante, pois os vinis calandrados têm menor desempenho que os cast.

No processamento da imagem, verifique a tecnologia utilizada: recorte eletrônico, impressão digital ou serigrafia. No caso da impressão solvente, a recomendação é que, depois de impresso, o material deve ser evaporado totalmente e, de preferência, muito rápido, para que a qualidade da película não se altere.

Assim, em trabalhos promocionais, deve-se usar vinis promocionais. Já trabalhos que exigem alta durabilidade, vão exigir películas de alta performance. Para aplicações em curvas complexas, use películas cast. Os backlits requerem películas translúcidas.

Na hora de comprar o vinil, atente-se aos seguintes itens:

- Procedência (fabricante);

- Validade (shelf life do produto);

- Boletim técnico (informações técnicas do produto);

- Garantia do produto;

- Suporte comercial e técnico.

 

***

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 11 de maio de 2013.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.



Plotter de recorte: guia para instalação de vinis adesivos recortados

Por Eduardo Yamashita em 12/10/2014

Saiba como garantir a qualidade da aplicação de vinis recortados por plotters

Saiba como garantir a qualidade da aplicação de vinis recortados por plotters

A instalação de imagens em vinil adesivo recortado por plotter é um processo simples e rápido. Mas não tenha pressa. Com concentração e paciência, é possível instalar imagens com facilidade e qualidade.

Siga as recomendações e os procedimentos abaixo para que o vinil seja corretamente aplicado – e garanta uma instalação profissional.

Preparação da superfície

Todas as superfícies devem ser cuidadosamente limpas antes da aplicação de vinis adesivos. Para tanto, siga os procedimentos de limpeza abaixo:

  • Plástico e vidro

Limpe a superfície com detergente neutro. Remova qualquer matéria seca, como cola e fita adesiva, com uma lâmina de estilete. Se estiver planejando usar acrílico, remova a proteção do material 24 horas antes da aplicação, para dissipar as bolhas de ar (desgaseificação). Se isso não for observado, pode ocorrer a formação de bolhas de ar sob o vinil em alguns dias. Para aplicar em cima de outro vinil adesivo, use álcool isopropílico para desengordurar a superfície.

  • Superfícies pintadas e metais básicos

Essas superfícies podem ser limpas com solventes como nafta, xilol, heptana ou desengraxante comercial. No caso de paredes, use álcool isopropílico. Seque a superfície com um pano sem fiapos antes de evaporar. Superfícies recém-pintadas devem ser secas e curadas pelo menos 72 horas antes da aplicação do vinil.

Requisitos de temperatura

A temperatura do ambiente e a da superfície a ser adesivada devem estar entre 10ºC e 25ºC, para que os melhores resultados sejam obtidos. Alta umidade (acima de 90%) pode afetar o processo de aplicação.

Materiais necessários

  • Estilete;
  • Mistura de detergente neutro e água (proporção: uma colher de sopa de detergente para cada litro de água);
  • Espátula plástica;
  • Pano seco e limpo;
  • Fita de papel crepada.

A imagem recortada é composta por:

  • Máscara de transferência de papel;
  • Vinil autoadesivo recortado;
  • Liner.

Passo a passo da instalação:

1. Use pequenos pedaços de fita adesiva para posicionar a imagem na superfície. Isso assegura o posicionamento adequado da imagem.

1. Use pequenos pedaços de fita adesiva para posicionar a imagem na superfície. Isso assegura o posicionamento adequado da imagem.

2. Aplique uma única faixa horizontal de fita adesiva na parte superior da imagem. A tira será utilizada como dobradiça (articulação), que fixa a imagem durante o processo de aplicação.

2. Aplique uma única faixa horizontal de fita adesiva na parte superior da imagem. A tira será utilizada como dobradiça (articulação), que fixa a imagem durante o processo de aplicação.

3. Mantenha a borda inferior do gráfico articulada (esticada) para longe da superfície e, aos poucos, remova o liner para expor o lado do adesivo do vinil à superfície. Cuidado: não deixe que o adesivo toque a superfície, pois ele tem forte aderência e poderá aderir à superfície de forma irregular. A remoção da imagem para a recolocação vai ser difícil ou impossível.

3. Mantenha a borda inferior do gráfico articulada (esticada) para longe da superfície e, aos poucos, remova o liner para expor o lado do adesivo do vinil à superfície. Cuidado: não deixe que o adesivo toque a superfície, pois ele tem forte aderência e poderá aderir à superfície de forma irregular. A remoção da imagem para a recolocação vai ser difícil ou impossível.

4. Sobre a superfície, pulverize a mistura de água e sabão, que reduz a aderência do vinil, permitindo levantar e recolocar o gráfico, se necessário.

4. Sobre a superfície, pulverize a mistura de água e sabão, que reduz a aderência do vinil, permitindo levantar e recolocar o gráfico, se necessário.

5. Mantenha a imagem esticada para longe da superfície. Com uma espátula plástica, inicie a aplicação para aderir a imagem na superfície. Trabalhe de cima para baixo. Não deixe que toda a imagem toque a superfície. Se rugas aparecerem, levante a imagem e volte a espatulá-la.

5. Mantenha a imagem esticada para longe da superfície. Com uma espátula plástica, inicie a aplicação para aderir a imagem na superfície. Trabalhe de cima para baixo. Não deixe que toda a imagem toque a superfície. Se rugas aparecerem, levante a imagem e volte a espatulá-la.

6. Uma vez que a imagem está na posição correta e adesivada sobre a superfície, comece a reespatular a imagem para retirar toda água. A partir do centro para fora, use movimentos firmes com a espátula para remover a água debaixo das letras individuais e dos elementos contidos na imagem.

6. Uma vez que a imagem está na posição correta e adesivada sobre a superfície, comece a reespatular a imagem para retirar toda água. A partir do centro para fora, use movimentos firmes com a espátula para remover a água debaixo das letras individuais e dos elementos contidos na imagem.

7. Depois de remover a água, retire a máscara da imagem. Para removê-la, borrife a mistura de água e sabão. Espere um ou dois minutos, para que o papel-máscara encharque. Remova cuidadosamente a máscara. Tenha cuidado para não puxar o vinil acima com o papel máscara.

7. Depois de remover a água, retire a máscara da imagem. Para removê-la, borrife a mistura de água e sabão. Espere um ou dois minutos, para que o papel-máscara encharque. Remova cuidadosamente a máscara. Tenha cuidado para não puxar o vinil acima com o papel máscara.

8. Usando o pedaço de sobra do liner, espatule toda a imagem para remover resíduos de água e pequenas bolhas. Coloque o pedaço de liner (que foi retirado na imagem) com o lado brilhante de frente para você. Continue a aplicar pressão com a espátula no sentido para fora, para remover água e bolhas de ar.

8. Usando o pedaço de sobra do liner, espatule toda a imagem para remover resíduos de água e pequenas bolhas. Coloque o pedaço de liner (que foi retirado na imagem) com o lado brilhante de frente para você. Continue a aplicar pressão com a espátula no sentido para fora, para remover água e bolhas de ar.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



Mimaki lança impressora têxtil Tiger-1800B MkII

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/05/2018
Impressora é capaz de imprimir na velocidade de 385m²/h

Impressora é capaz de imprimir na velocidade de 385m²/h

A fabricante Mimaki apresentou para o mercado europeu a Tiger-1800B MkII, impressora têxtil digital que pode rodar na velocidade máxima de 385m²/h.

Disponível em dois modelos (para impressão direta e para sublimação), a máquina oferece um modo adicional de alta qualidade (1.200dpi) e vários aprimoramentos para melhorar a qualidade das estampas.

Um conjunto de tecnologias exclusivas da Mimaki também foi adicionado ao equipamento. Por exemplo, o Mimaki Advanced Pass System (MAPS) minimiza a formação de bandings e melhora as transições de cores, para ajudar na reprodução de imagens mais suaves. A Nozzle Checking Unit (NCU) e a Nozzle Recovery System (NRS) também foram incorporadas e permitem a impressão contínua de alta qualidade.

A Mimaki também está disponibilizando uma extensa linha de dispositivos opcionais para atender às demandas de seus clientes de impressão digital têxtil. A fabricante passou a vender opções de secagem e pós-tratamentos, além de unidades de alimentação de rolos específicas para estamparia industrial de tecidos, como o sistema jumbo de bobinas de papéis sublimáticos.

Bert Benckhuysen, gerente de produto da Mimaki Europa, declarou: “A transição da tecnologia convencional para a digital continua a aquecer a indústria têxtil, e a Mimaki, uma pioneira, dedica-se a trazer soluções mais acessíveis a esse segmento. Nossa estratégia vai além de simplesmente fornecer impressoras. Para um mercado emergente como esse, é fundamental prover soluções totais. Para tanto, estamos disponibilizando uma nova linha de máquinas de pré-tratamento e pós-tratamento. Enfim, estamos trabalhando para o desenvolvimento do mercado de Internet das Coisas para tecidos e vestuário”.

Fonte: Mimaki