Ferramentas e insumos para adesivação e envelopamento

Por Eduardo Yamashita em 10/12/2015

Engana-se quem acha que envelopamentos e adesivações profissionais requerem apenas espátulas e estiletes. Há vários outros acessórios e insumos para limpeza e aplicação correta dos vinis adesivos. Escovas de rebites e desengraxantes são exemplos de materiais que não podem faltar no trabalho de um adesivador que se preze.

Alguns aplicadores, inclusive, usam ferramentas específicas e personalizadas, como cinturão para carregar utensílios, espátulas confeccionadas com chapas plásticas, proteção para espátulas de couro camurça, entre outras.

Envelopamento de carro: dicas para uma aplicação profissional
Envelopamento de carro: adesivação de retrovisor (passo a passo)
Envelopamento de carro: adesivação de porta (passo a passo)

 

Profissionais também armazenam devidamente as suas ferramentas em armários, além de transportá-las em bolsas e organizá-las durante o trabalho. Sem contar a limpeza: ela requer sacos de lixo (para os descartes). Outra dica: usar uniformes, pois eles passam uma imagem de organização aos clientes, além de divulgar a empresa.

Portanto, dê atenção às ferramentas e insumos. Eles fazem a diferença. Veja alguns deles, bem como suas finalidades (dispostos em ordem alfabética):

Borrifador: em aplicações úmidas, usa-se água e detergente neutro (misturados) para molhar tanto a superfície (a ser adesivada) quanto o adesivo do vinil.

Caneta, bloco de anotações, prancheta, calculadora: para manter registros das atividades de instalação.

Desengraxante: na limpeza, cada tipo de superfície exige o uso de um desengraxante específico.

Ferramentas para envelopamento

Andaime para aplicação de vinis

Equipamentos de segurança: luvas, óculos, capacete e sapatos de segurança devem ser usados para garantir a proteção do profissional durante a aplicação.

Escada e andaime: quando a imagem é grande ou em instalações em locais altos, são necessários suportes para o aplicador alcançar essas áreas.

Escova para rebites: os rebites de chapas metálicas requerem o uso de escovas com cerdas para proporcionar uma adesivação  mais rápida.

Espátula: de plástico ou fibra calandrada (feltro), faz com que o adesivo (cola) do vinil toque toda a superfície. Observação: na aplicação, exerça a pressão correta para que haja a retirada do ar entre o adesivo e a superfície. A velocidade da aplicação também influencia a qualidade do trabalho, pois pode deixar muitos espaços com ar.

Ferramentas para envelopamento de carro

Espátula

Espátula de metal: alguns tipos de resíduos e impurezas são apenas removidos com a ajuda de uma espátula de metal.

Estiletes: pequenos, médios, grandes, de plástico ou metal, eles são usados para cortar e separar imagens. Utilize um estilete que se adapte à sua empunhadura ou que tenha um peso menor.

Ferramentas para envelopamento de carro

Estilete

Fita crepe: fixa e protege as bordas das imagens.

Furador (com agulhas) de bolhas: para perfurar o vinil e remover as bolhas de ar. Recomenda-se ter um recipiente para guardar as agulhas (novas e usadas).

Ferramenta para envelopamento

Furador de bolhas

Lâminas de aço para estiletes: muito importantes para o corte e refile das imagens. Devem estar afiadas. Caso contrário, o aplicador vai colocar força no estilete, podendo riscar a superfície. Recomenda-se ter um recipiente para armazenar as lâminas utilizadas, que devem ser descartadas em lixos seletivos.

Pano: para secar e limpar as superfícies. Recomenda-se o pano de algodão.

Para envelopamento de carro

Pano para limpeza da superfície a ser adesivada

Proteção de espátula plástica: com o uso, a espátula fica desgastada, o que provoca riscos na imagem. Panos de algodão e feltro protegem a espátula para evitar danos ao vinil. Para remover as imperfeições dela, pode-se lixá-la (com lixas de papel).

Removedor de adesivos: na limpeza da superfície, antes da aplicação, em alguns casos, o removedor de resíduos de cola é necessário.

Soprador térmico: fundamental para diminuir a memória elástica (esticamento) do vinil e acelerar a cura do adesivo.

ferramenta para envelopamento

Soprador térmico

Tesoura: pode substituir o estilete. Por questão de segurança, prefira aquelas que não têm pontas agudas.

Trena métrica ou régua metálica: para posicionar a imagem. Para refiles ou cortes retos, utiliza-se a régua de meta.

ferramenta para envelopamento

Régua para adesivação

Texto editado e publicado pelo InfoSign no dia 10 de dezembro.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.



RIP da Caldera chega à versão 11.2

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/02/2018
Software será demonstrado na feira C!Print 2018

Software será demonstrado na feira C!Print 2018

A desenvolvedora Caldera anunciou a versão 11.2 de seu software RIP homônimo, que será exibida na C!Print, feira que ocorrerá entre os dias 6 e 8 de fevereiro, na França.

Segundo a empresa, três novos recursos foram inseridos no aplicativo: o HelpLinks, o ContourNesting 180º e o MultiLayer. Além disso, o RIP passou a suportar a plataforma para espectrofotômetros TotalColor qb.

O HelpLinks permite que os usuários adicionem links nas páginas do CalderaDesk por meio dos módulos Caldera RIP. A ContourNesting 180º é uma ferramenta que ajuda a economizar o gasto com mídias por executar a impressão seguindo a direção da fibra, uma característica especialmente útil para clientes que trabalham com tecidos. A MultiLayer é capaz de imprimir várias camadas com imagens diferentes. Esse recurso, indicado para aplicações retroiluminadas, permite que diferentes versões da mesma imagem apareçam de acordo com a iluminação do espaço onde a mídia foi instalada.

A versão 11.2 do Caldera também recebeu aprimoramentos nos recursos de corte, como a nova opção Background, que define a cor em torno das marcas de registro, para ajudar a detecção das próprias marcas. O software também oferece a capacidade de adicionar um quadro cortável em torno de códigos de barras ou QR codes. Outra função de corte é a Rewind At End, que permite rebobinar a mídia (ou não) após o corte, para mudar a lâmina ou terminar o trabalho.

A empresa também destacou aperfeiçoamentos em algumas ferramentas de cores, como os mapas Rosing Overinking e Flower Bleeding, que podem ser usados para melhorar a limitação das tintas, e a opção Spot Channels permite o carregamento de cores especiais duas vezes mais rápido em arquivos Tiff e PSD.

Fonte: Caldera



Evento técnico gratuito sobre sublimação e impressão digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 28/02/2020
Jornada de impressão ocorre entre os dias 2 e 5 de março, em São Paulo

Jornada de impressão ocorre entre os dias 2 e 5 de março, em São Paulo

O SENAI Theobaldo De Nigris (Rua Bresser, 2315, São Paulo) abrigará quatro dias (de 2 a 4 de março) de palestras técnicas gratuitas sobre comunicação visual e impressão, das 18h30 às 21h30.

Faça sua inscrição grátis.

Nos dias 2 e 3 de março, será ministrado o curso “Elaboração do preço de venda na indústria gráfica”. Já nos dias 4 e 5 de março, será a vez da “Comunicação Visual: Impressão Digital, Tendências, Mercado e Inovação”. Confira a programação:

Elaboração do preço de venda na indústria gráfica (ministrado por JAIRO OLIVEIRA, entre os dias 2 e 3 de março)

1. Custos: conceitos, fixos, variáveis, diretos e indiretos;

2. Mapa de localização de custos: custos indiretos, horas produtivas e custo hora-máquina/hora-homem;

3. Cálculo do custo de produção: matérias-primas, papel, tinta, formas, outros materiais;

4. Serviços de terceiros: acabamentos, enobrecimentos, transporte;

5. Mão-de-obra: pré-impressão, impressão, pós-impressão;

6. Cálculo do fechamento do preço: cálculo dos custos diretos de venda, impostos, comissões, contribuições, custo financeiro;

7. Cálculo das margens: lucro e margem de contribuição.

Comunicação Visual: Impressão Digital, Tendências e Mercado (ministrado por Nancy Picarone, entre os dias 4 e 5 de março)

1. Impressão digital: tecnologias e soluções inovadoras, diferenças entre as tecnologias digitais, tintas, toners, substratos, sublimação, dados variáveis.

2. Tendências: diversidade de materiais, grandes formatos, personalização, sinalização, decoração, vitrinismo, têxtil, automotivo, embalagens – rótulos e etiquetas.

3. Mercado: segmentos do mercado crescente, o que está por vir.

Fonte: Abigraf



Clicky