Envelopamento de carro: dicas para uma aplicação profissional

Por Eduardo Yamashita em 28/11/2015

É fato: o grande público está apaixonado pelo envelopamento de carros. Personalizar, proteger e diferenciar o próprio veículo, para deixá-lo com aparência fosca, brilhante, supercolorida ou mutante: a febre veio mesmo para ficar. E, além disso, não podemos esquecer a adesivação de veículos corporativos, que sempre foi um belo filão do mercado de comunicação visual — e também está em franca expansão.

Envelopamento de carro: adesivação de retrovisor (passo a passo)
Envelopamento de carro: adesivação de porta (passo a passo)
 

A evidência e o crescimento fazem com que mais profissionais entrem e passem a competir no segmento, o qual podemos dividir em três núcleos de empresas:

- Fornecedoras de materiais: fabricantes e distribuidores de vinis e películas adesivas e acessórios para a aplicação, como sopradores térmicos e espátulas;

- Adesivadoras: empresas ou profissionais que fazem a instalação das películas sobre a superfície dos veículos;

- Clientes: consumidores e empresas que solicitam e compram o envelopamento de carro.

Se você faz parte de algum desses grupos, confira as dicas abaixo. Elas tratam tanto da escolha quanto da aplicação correta no envelopamento de carro.

Saiba quando escolher entre o vinil cast e o calandrado

Tipo de vinil

Para saber de antemão qual será o comportamento da película adesiva (vinil) na superfície a ser adesivada, você tem que conhecer as seguintes variáveis:

Filme de PVC:

- Calandrado (mais espesso): use em superfícies planas e curvas simples;

- Cast (mais fino): use em todos os tipos de superfícies (planas, curvas simples, compostas, baixos relevos).

Adesivo:

- Sensível à pressão (adere muito fácil à superfície): use para superfícies planas e curvas simples. Recomendado o método de aplicação úmida;

- Ativado por pressão (a adesão inicial é menor): use para todas as superfícies. Método recomendado: aplicação a seco.

Tipo de imagem

Há uma série de películas coloridas (com ou sem textura) disponíveis no mercado. Também existem as películas brancas sobre as quais pode-se imprimir imagens por meio de impressoras digitais. Nesse caso, atente-se ao solvente da tinta: ele deve estar totalmente seco (evaporado). Saiba também que ele pode agredir o filme de PVC e, em alguns casos, o adesivo.

Tipo de superfície

O envelopamento de carro contempla superfícies bem irregulares e curvas complexas (que exigem habilidade do adesivador). E antes de aplicar a película, não deixe de checar a ancoragem (adesão) da pintura (verniz e tinta) em toda a extensão da lataria. Se ela não estiver adequada, nem pense em começar a aplicação. No caso de metais sem pintura, verifique se não há oxidação, que também atrapalha o envelopamento.

Envelopar carro exige habilidade do adesivador: ele encontrará muitas superfícies complexas

Limpeza da superfície

Para a adesão adequada da película, a superfície deve estar limpa, ou seja, isenta de elementos que diminuam a ancoragem do adesivo. Veja exemplos de contaminantes: graxa, gordura, óleo, silicone, poeira, fiapos de pano, entre outros. Para a limpeza, use:

- Água e detergente neutro: remove poeira e fiapos;

- Solventes: retira graxa, gordura, silicone, óleo, piche. Exemplos: álcool comercial (para plásticos, em geral), álcool isopropílico (para vidros) e desengraxante comercial (para superfícies pintadas e metais);

- Removedores de adesivos: remove colas deixadas por outras películas autoadesivas.

Dica importante: tente começar a aplicação logo em seguida da limpeza. Não espere. Nesse meio tempo, a superfície pode ser novamente contaminada por sujeira.

Antes da aplicação, é fundamental limpar a superfície do veículo

 

Aplicação da película

Em superfícies complexas (como as encontradas no envelopamento de carros), a aplicação deve ser a seco. No método úmido, vestígios de água permanecerão entre o adesivo e a superfície — o que formará bolhas. Nessa hora, o uso de ferramentas adequadas ajuda muito na instalação:

- Fita crepe: para posicionar a imagem. Dispositivos com imãs também podem ser usados nesta etapa;

- Espátula: para aplicação do vinil. Muitas vezes, é necessária uma proteção na espátula para não riscar a imagem;

- Estilete e lâmina: para refilar a imagem. O corte da lâmina deve estar afiado, para evitar riscos na superfície do veículo;

- Furador de bolhas: para remover as bolhas deixadas na aplicação. O estilete não é a ferramenta adequada nessa operação. Deve-se usar agulhas, porque elas perfuram o vinil, e não causam cortes;

- Soprador térmico: para “moldar” o vinil adesivo nas curvas complexas.

Para uma aplicação profissional, use instrumentos, como o furador de bolhas, na hora da instalação

Checklist

Para cada envelopamento de carro, antes e depois da aplicação, recomenda-se fazer um checklist. Ele registra as evidências de cada trabalho, para futuros problemas ou para o fornecimento de uma garantia ao cliente. Esse documento deve conter todas as condições iniciais do veículo, bem como os materiais utilizados — e até fotos do trabalho finalizado.

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 28 de novembro de 2012.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.



Caldera lança solução para monitorar produção (Printboard)

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/03/2013

Printboard da Caldera

Printboard, da Caldera, pode ser acessada através de tablets

A Caldera, desenvolvedora de softwares gráficos, anuncia solução que permite aos birôs e gráficas digitais monitorar tudo o que está sendo impresso dentro da empresa. Intitulada de Printboard, a solução — que havia sido lançada em 2012 apenas como plug-in — é composta pelo software Variable Display e por um hardware, que suporta qualquer tipo de display (tela), além de ser compacto e de fácil instalação.

A Printboard exibe informações como a quantidade diária de metro quadrado produzido, a produção de cada impressora e o número de erros cometidos. Isto é, ela oferece uma visão panorâmica dos trabalhos, além de facilitar o gerenciamento de toda a empresa.

A Printboard pode ser acessada de qualquer lugar através de dispositivos móveis, como tablets.

Segundo a Caldera, quando os birôs e gráficas digitais experimentarem a Printboard, eles vão perceber a importância de apresentá-la como um "valor agregado" aos seus clientes.

Printboard da Caldera

Printboard exibe informações sobre a produção do birô

Fonte: Caldera. Texto: InfoSign



Onyx anuncia novo software de nesting

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 30/04/2020
Aplicativo ajuda a reduzir gastos com mídias

Aplicativo ajuda a reduzir gastos com mídias

A desenvolvedora Onyx anunciou o novo software de nesting TruFit.

Com inteligência artificial, o programa pesquisa milhões de combinações para oferecer as disposições de mídias para econômicas.

Compatível com plataformas Mac e Windows e com todos os RIPs disponíveis atualmente, o TruFit oferece ferramentas intuitivas que aumentam a eficiência do fluxo de trabalho. Entre elas está a função de reconhecimento do tipo de ferramenta, o rastreamento de imagem com um clique e a impressão em frente e verso. As ferramentas reduzem o tempo de preparação dos arquivos enviados ao RIP.

A todos os interessados pelo software, a Onyx disponibilizou webinars gratuitos e licenças de teste grátis de até 30 dia.

O software TruFit está disponível para os clientes da Onyx por meio de uma atualização. Para quem não é atualmente um cliente da desenvolvedora, o software pode ser adquirido por licença.

A Onyx destaca as seguintes características do TruFit:

• Mecanismo de inteligência artificial para a escolha dos melhores aproveitamentos de mídias;

• Demonstrações em tempo real da economia de mídia em cada job;

• Escolha de imagem com um único clique;

• Impressão em frente e verso gerada instantaneamente;

• Edição de múltiplas páginas de PDF;

• Fluxos de trabalho automatizados por meio de hot folders;

• PDFs de saída para qualquer solução RIP;

• Arquitetura aberta para trabalhar em várias plataformas.

Fonte: Onyx