Adesivação: o que acontece quando o clima está muito frio ou quente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/12/2012

Quando o tempo esfria, os envelopadores devem tomar alguns cuidados para que a adesivação saia como esperado. É sempre muito importante que o veículo esteja limpo. Antes de chegar ao local de adesivação, ele deve ser lavado (apenas com detergente) e desengraxado. Depois, recomenda-se esperar para que o carro seque e esquente. Além disso, procure fazer a instalação em locais fechados onde as temperaturas são mais elevadas.

Veja o que pode acontecer se o vinil for aplicado em locais com temperatura (muito) baixa:

  • A película pode não alongar, já que, logo após aquecê-la, ela vai esfriar;
  • O tack inicial do adesivo pode ser insuficiente para garantir a adesão da película;
  • A umidade pode condensar-se na superfície do veículo, complicando a adesivação;
  • A película pode ficar dura e frágil, e não vai aderir. Se isso acontecer, o adesivador vai, naturalmente, forçar a espátula, para promover a adesão do filme, e isso pode causar danos ao vinil;
  • Em condições muito úmidas, pode ser difícil manter o substrato seco.

Promover um pós-aquecimento também é fundamental para reduzir a tensão do vinil, manter a sua memória e mantê-lo no lugar correto.

ferramenta para adesivação

Para moldar a película, use ferramentas

Dicas para a adesivação em climas quentes

Atente-se quando o clima esquentar demais. Com o calor, o vinil fica mais maleável, o que dificulta o seu reposicionamento. Além disso, ele tende a distorcer e criar rugas.

A temperatura da superfície jamais deve exceder os 40ºC. Verifique as informações sobre temperaturas mínima e máxima dadas nos manuais dos produtos (se o veículo de cor escura estiver submetido a um calor de 32ºC, então a sua superfície pode estar acima dos 70ºC — tome cuidado).

Se a aplicação tiver de ser feita em ambiente externo, tente começar o trabalho o mais cedo possível. Faça o que puder para não deixar o carro sob o sol.

Em um clima quente e úmido, ocorre a condensação pela manhã. A aplicação nessa condição também deve ser evitada.

Artigo técnico originalmente publicado pela 3M dos EUA. Tradução e adaptação: InfoSign



Laminação em impressos de grande formato

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/09/2013

Laminar ou não? Se você trabalha em birô ou gráfica digital, essa pergunta já passou inúmeras vezes pela sua cabeça. Parte das incertezas sobre a laminação (processo de aplicação de uma película protetora sobre a mídia) começa na própria impressão, pois muitas impressoras e tintas prescindem de qualquer tratamento superficial.

Mas o que acontece se, por exemplo, o impresso precisar de proteção contra pichações? Ou se o cliente pedir uma instalação externa, aplicada em janelas? A laminação, nesses casos, é obrigatória.

Muitos acreditam que a laminação só protege contra a exposição de raios UV. Mas ela também pode aumentar a rigidez da mídia e conferir efeitos diferenciados aos impressos. Sem contar que agrega valor aos trabalhos de comunicação visual.

A laminação pode ser aplicada em cartazes, pôsteres, displays (rígidos e flexíveis), backlits, banners, sinalização externa e decalques

A laminação pode ser aplicada em cartazes, pôsteres, displays (rígidos e flexíveis), backlits, banners, sinalização externa e decalques

Antes de começar a laminar, responda às seguintes questões:

  • A aplicação é interna ou externa?
  • A mídia é de papel, PVC ou vinil?
  • Você precisa de acabamento brilhante ou fosco?
  • O material ficará acessível ao público?
  • A aplicação terá vida útil curta ou longa?
  • O impresso exige proteção contra raios UV?

Com base nas respostas desse questionário, você vai conseguir escolher a película mais interessante para laminar seus impressos. Você descobrirá também se a laminação é realmente necessária.

Especificação do material

Quando souber como os impressos serão instalados, consulte os fornecedores de materiais para acabamento. Eles são habilitados a indicar as laminadoras e os filmes mais adequados para suas necessidades. A escolha do filme certo vai garantir o sucesso da aplicação. Seguem abaixo algumas especificações e características técnicas das películas de laminação que devem ser controladas:

  • temperatura de ativação;
  • pressão necessária;
  • acabamento: brilhante, acetinado, fosco/ultrafosco, texturizado;
  • permanente ou removível;
  • à base de solvente ou à base d’água;
  • hot-melt;
  • absorventes de UV.
Laminação pode agregar valor aos seus impressos

Laminação pode agregar valor aos seus impressos

Tintas de impressão digital (grande formato)

Considere mais um fator: a tinta, que pode ser látex, UV, à base d’água ou solvente. Cada uma delas vai reagir de forma diferente com a superfície da mídia. Por exemplo, as tintas à base d’água "colam" na superfície das mídias. Portanto, o filme laminado deverá aderir à imagem para que não ocorra a delaminação. Já as tintas à base de solvente "penetram" no substrato e podem até mesmo criar uma mídia "mais fina" onde foram depositadas. A laminação nesse caso tem de prender a tinta e dar estabilidade adicional ao produto final. Mas, mesmo com o avanço das tintas, os impressos continuarão exigindo proteção contra raios UV (que provocam o desbotamento), manipulação (como limpeza) e ataques (pichações). Para tanto, não há melhor processo do que a laminação.

Fonte: Neschen



Itália sediará feira ITMA em 2023

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/07/2018
Exposição ocorrerá no espaço Fiera Milano

Exposição ocorrerá no espaço Fiera Milano

O Cematex (Comitê Europeu de Fabricantes de Máquinas Têxteis) anunciou que a 19ª edição (em 2023) da ITMA, maior feira internacional da indústria têxtil, será realizada em Milão, na Itália. A exposição ocorrerá no espaço Fiera Milano Rho, entre os dias 8 e 14 de junho. A edição de 2019, que será a próxima, está há muito tempo confirmada e terá como sede a cidade de Barcelona, na Espanha.

A decisão de hospedar a ITMA 2023 em Milão foi tomada na recém-realizada assembleia geral do Cematex, cujo presidente, Fritz P Mayer, declarou: “Recebemos um feedback muito positivo dos expositores e visitantes da ITMA 2015. Milão tem excelente infraestrutura para realizar exposições de grande porte como a ITMA, que usa 200 mil metros quadrados e atrai um público global. A Itália também tem uma grande indústria de máquinas têxteis e fabricação de tecidos”.

Fabrizio Curci, diretor executivo do centro Fiera Milano, que ganhou a concorrência com outros espaços, declarou: “É uma grande satisfação para nós trazer de volta para a Itália a principal exposição internacional de máquinas e tecnologias têxteis”.

Fonte: SGIA