Adesivação: o que acontece quando o clima está muito frio ou quente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/12/2012

Quando o tempo esfria, os envelopadores devem tomar alguns cuidados para que a adesivação saia como esperado. É sempre muito importante que o veículo esteja limpo. Antes de chegar ao local de adesivação, ele deve ser lavado (apenas com detergente) e desengraxado. Depois, recomenda-se esperar para que o carro seque e esquente. Além disso, procure fazer a instalação em locais fechados onde as temperaturas são mais elevadas.

Veja o que pode acontecer se o vinil for aplicado em locais com temperatura (muito) baixa:

  • A película pode não alongar, já que, logo após aquecê-la, ela vai esfriar;
  • O tack inicial do adesivo pode ser insuficiente para garantir a adesão da película;
  • A umidade pode condensar-se na superfície do veículo, complicando a adesivação;
  • A película pode ficar dura e frágil, e não vai aderir. Se isso acontecer, o adesivador vai, naturalmente, forçar a espátula, para promover a adesão do filme, e isso pode causar danos ao vinil;
  • Em condições muito úmidas, pode ser difícil manter o substrato seco.

Promover um pós-aquecimento também é fundamental para reduzir a tensão do vinil, manter a sua memória e mantê-lo no lugar correto.

ferramenta para adesivação

Para moldar a película, use ferramentas

Dicas para a adesivação em climas quentes

Atente-se quando o clima esquentar demais. Com o calor, o vinil fica mais maleável, o que dificulta o seu reposicionamento. Além disso, ele tende a distorcer e criar rugas.

A temperatura da superfície jamais deve exceder os 40ºC. Verifique as informações sobre temperaturas mínima e máxima dadas nos manuais dos produtos (se o veículo de cor escura estiver submetido a um calor de 32ºC, então a sua superfície pode estar acima dos 70ºC — tome cuidado).

Se a aplicação tiver de ser feita em ambiente externo, tente começar o trabalho o mais cedo possível. Faça o que puder para não deixar o carro sob o sol.

Em um clima quente e úmido, ocorre a condensação pela manhã. A aplicação nessa condição também deve ser evitada.

Artigo técnico originalmente publicado pela 3M dos EUA. Tradução e adaptação: InfoSign



Durst comercializará linha de impressoras Tau no Brasil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 31/05/2016
Modelo Tau 330 é o carro-chefe da linha

Modelo Tau 330 é o carro-chefe da linha

A filial brasileira da Durst, fabricante europeia de impressoras digitais, anunciou que a partir de junho de 2016 passará a englobar as ações comerciais diretas que envolvem a linha Tau. Anteriormente, as operações estavam a cargo de uma empresa parceira.

Da linha, o destaque fica por conta da Tau 330, impressora inkjet para rótulos e etiquetas que trabalha com resoluções de até 720 x 1.260 dpi, mídias com até 330mm e tecnologia de ponto variável. A máquina pode ser equipada com até sete cores (CMYK, laranja, violeta e branco). Por ter alta opacidade, a tinta branca garante cobertura total em apenas uma passada, o que reduz o consumo de tinta e, por conseguinte, o custo de produção. 

Outro fator importante das mudanças na comercialização da linha Tau no Brasil refere-se à política de garantia e de peças de reposição. A Durst Brasil oferece 12 meses de garantia para os equipamentos.

Ricardo Pi, diretor geral da Durst Brasil, declarou: “Além disso, mantemos um estoque de peças no Brasil, o que evita problemas com prazos e burocracia para importação em caso de paradas técnicas”.

Drupa 2016

A Durst anunciou o lançamento da Tau 330E durante a Drupa 2016, feira que ocorre na Alemanha entre os dias 31 de maio e 10 de junho. Trata-se de uma impressora que incorpora tecnologia de tinta pigmentada e oferece alta produtividade na produção de rótulos e etiquetas. Indicado para pequenas e médias empresas, o equipamento pode trabalhar com até cinco cores (CMYK e branco) e roda na velocidade de 48 metros lineares por minuto.

Ricardo Pi fez também a seguinte afirmação: “Enxergamos um grande potencial para o mercado de rótulos e etiquetas produzidos com impressão inkjet digital UV no Brasil. A tecnologia inkjet UV traz diferenciais competitivos importantes diante de seus concorrentes que usam toner e tintas, como, por exemplo, maior produtividade e, devido à sua velocidade, custo operacional menor”.

Fonte: Durst Brasil



Kiian Digital lançará solução de impressão em tecido

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/09/2017
Apresentação do sistema Impres será na feira SGIA 2017

Apresentação do sistema Impres será na feira SGIA 2017

O Grupo JK, fabricante de tintas digitais, estará presente na SGIA 2017, feira que ocorre entre os dias 10 e 12 de outubro, em Nova Orleans, EUA. No estande (número 2369), a empresa apresentará suas soluções para o mercado de estamparia têxtil, como o novo Impres, sistema integrado de impressão digital específico para a produção de soft signage (sinalização em tecidos). A solução combina dispositivos e materiais da MS Printing Solutions, Caldera e Kiian (marcas pertencentes ao mesmo grupo).

Além disso, a Kiian Digital, que faz parte do Grupo JK, anunciou a certificação Eco Passport para as suas tintas Digistar Hi-Pro. O selo garante que o insumo pode ser empregado em cadeias produtivas sustentáveis.

Marco Girola, especialista de marketing do Grupo JK, declarou: “Estamos entusiasmados por ter obtido o selo. O programa de certificação da Kiian Digital oferece uma vantagem competitiva a todos os nossos parceiros para atender a seus clientes”.

No estande da empresa na SGIA 20117, os visitantes poderão obter mais informações sobre o portfólio da Kiian, além de ser um ponto de encontro para os interessados nos produtos da marca Sawgrass Industrial.

Martin Swift, diretor de marketing do Grupo JK, declarou: “Desenvolvemos produtos que contribuem amigáveis ao meio ambiente, para agregar valor aos nossos clientes. Isso fica evidente pelo crescente programa de certificações da Kiian”.

Fonte: Kiian Digital