Comunicação visual da Samsung reproduziu imagem de Deus

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/11/2012

Comunicação visual de grande formato reproduziu a famosa obra do pintor Michelangelo

Foi em Auckland, Nova Zelândia. O birô Osmand Signs, que desde 1954 trabalha com comunicação visual e envelopamento de carros, recebeu um pedido inusitado da Samsung. A fabricante de aparelhos eletrônicos solicitou a reprodução (no formato: 6 x 13,5m) da famosa obra "Criação de Adão", pintada por Michelangelo, para que fosse instalada no centro comercial da cidade — uma espécie de adesivo de parede tamanho família.

Não obstante a dificuldade em reproduzir a obra de arte, a Samsung impôs mais um desafio ao birô: dar a impressão de que a imagem havia sido pintada diretamente no muro (de tijolos). Pois a Osmand conseguiu o feito.

A imagem foi reproduzida com uma impressora HP látex. O vinil utilizado foi o Arlon 6000XRP, com laminação fosca. O acabamento da peça levou tinta acrílica lavável.

Uma das dificuldades do serviço foi reproduzir a imagem de tal maneira que ela parecesse ter sido pintada diretamente na parede de tijolos

Michelangelo levou quarto anos para concluir a obra-prima, pintada na Capela Sistina. A Osmand, no entanto, imprimiu a "Criação de Adão" em apenas oito horas. A instalação ocorreu no dia seguinte ao da reprodução da imagem. "Poderíamos ter impresso e instalada no mesmo dia, mas não sabíamos ao certo quanto tempo levaria para estampar todos os adesivos", disse Keith Ellis, um dos diretores da empresa, que acompanhou de perto o trabalho.

A comunicação visual foi tão bem-sucedida que o dono do prédio achou melhor manter a adesivação, mesmo depois do término da campanha. Isso porque a "reprodução de Deus" enalteceu e valorizou o edifício, que fica localizado numa região bastante movimentada da cidade.

Fonte:  HP. Texto: InfoSign



Gandy promete lançar impressoras na Fespa 2015

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/04/2015

Versão mais recente da Pred8tor será apresentada em primeira mão na feira sediada na Alemanha

Versão mais recente da Pred8tor será apresentada em primeira mão na feira sediada na Alemanha

Na Fespa 2015, feira que ocorre de 18 a 22 de maio, na Alemanha, a Gandy, fabricante de impressoras digitais, promete lançar uma nova versão do Pred8tor, equipamento com tecnologia de cura UV. O modelo exibido no evento empregará uma nova tinta de alta adesão.

Shmulik Lagziel, diretor da Gandy, declarou: "Na Fespa 2014, lançamos as impressoras industriais Pred8tor e Domin8tor, com sensor de quebra, software atualizado e tintas de alta densidade. Graças a elas, obtivemos um grande crescimento em vendas. Agora, vamos apresentar na Fespa 2015 tecnologias que permitirão o crescimento da empresa e dos clientes".

Outras máquinas serão exibidas no evento, como a Domin8tor (UV plana com área de 2m x 3,05m) e a Sl8te (UV híbrida de entrada, que emprega cabeças Ricoh Gen4 e larguras de 1,6m, 2,2m, 2,6m e 3,2m).

A Softjet também será apresentada. Trata-se de um equipamento rolo a rolo para impressão sublimática, com larguras de 3,3m, 2,54m ou 1,88m.

Fonte: Image Report



Aplicação de vinil adesivo: a seco ou úmida

Por Eduardo Yamashita em 27/06/2015

Conheça prós e contras de cada um dos métodos de aplicação

Conheça prós e contras de cada método

Na hora de adesivar vinis, em uma parede ou ao fazer o envelopamento de carros, os profissionais de instalação e aplicação deparam-se com uma dúvida elementar: usar método úmido ou a seco?

A diferença entre eles é a presença (ou não) de água, elemento cujo objetivo é criar uma "película" entre o adesivo (cola) e a superfície. A água diminui a aderência (tack) inicial do adesivo. Isso facilita a aplicação, pois o adesivo fica com menos área de contato com a superfície.

Na aplicação úmida, é possível reposicionar o vinil até que o aplicador encontre a posição correta da película. No método a seco, como a aderência é total, não é possível fazer o reposicionamento do vinil.

Cada método tem prós e contras, resumidos a seguir:

  Vantagens    Desvantagens
Aplicação úmida
- Baixa adesão do adesivo (cola) à superfície;
- Reposicionamento total do vinil;
- Facilidade nos encaixes entre vinis.
- Adesão inicial mais demorada;
- Elevado tempo de instalação (em função da secagem da água);
- Necessário ambiente adequado para trabalhos com água;
- Limitado a superfícies planas ou curvas simples.
Aplicação a seco
- Não precisa de tempo adicional antes do acabamento;
- Poder ser usado em qualquer superfície.
- Necessário uso de fitas de posicionamento da imagem;
- Alta aderência do adesivo (cola) à superfície;
- Difícil reposionamento.

 

A seco ou úmida

Uma pergunta bastante frequente é: Qual método devo utilizar? Para obter a resposta, você vai precisar saber o tipo de superfície sobre a qual será aplicado o vinil adesivo.

O método a seco é indicado para qualquer tipo de superfície. Já o úmido é indicado apenas para superfícies planas ou com curvaturas simples.

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A pergunta seguinte é: Por quê? Porque, ao aplicar o método úmido em superfícies complexas (com curvaturas compostas e baixos relevos), não é possível remover toda a água utilizada no processo. Ou seja, o trabalho deixa resíduos entre o adesivo e a superfície, formando microbolhas de água — imperceptíveis após a aplicação.

Quando o vinil aplicado é submetido ao calor (do sol), as microbolhas levantam o vinil, que resseca com o tempo e acaba rompendo-se, causando estragos irrecuperáveis à imagem. Portanto, ao facilitar a aplicação, corre-se o risco de prejudicar todo o trabalho.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 27 de junho de 2013. Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.