Envelopamento: como envelopar uma lateral de carro

Por Eduardo Yamashita em 07/02/2015

Saiba como envelopar uma lateral de carro

Saiba como envelopar uma lateral de carro

Para colocar em prática um serviço de envelopamento de carro, é preciso sanar antecipadamente todas as dúvidas sobre o trabalho em questão. Não pegue as espátulas sem antes ter respondido questões essenciais. Como vou fazer isso? Como lidarei com as curvas? Posso realizar a instalação corretamente? Posso ganhar dinheiro com esse projeto?

Para começar, é necessário analisar o projeto e obter todas as informações de tal forma que tudo fique claro.

Em carros, há apenas algumas áreas verdadeiramente planas. Mantenha essas áreas em mente, sobretudo se houver informações no vinil impresso que correspondam a elas. Nesse caso, as sobreposições são uma boa opção de trabalho.

Escolher o vinil adesivo correto é fundamental para que o projeto seja bem-sucedido. No exemplo a seguir, foi utilizado vinil cast, pois o projeto exigia longa duração e garantia.

Na aplicação de laterais, deve-se levar em conta a dimensão da área a ser envelopada. Um painel de 1,35m x 3,15m é suficiente para cobrir a região entre a cabina e a porta traseira. A altura precisa ser de 1,35m para garantir que material seja aplicado, com folga, em cima da área plana e logo abaixo da borda inferior. O excesso de vinil é necessário, para que ele aqueça e alongue durante a instalação, levando em conta o mínimo de estresse sobre a imagem. Confira o passo a passo de um envelopamento na lateral do veículo:

Prepare o veículo com uma limpeza normal. Ou seja, a lavagem básica

Prepare o veículo com uma limpeza normal. Ou seja, a lavagem básica

Em seguida, remova os acessórios como lanternas e peças diversas. Tome cuidado para não perdê-las. Depois, remova todas as impurezas sólidas (graxa, restos de asfalto etc.) com desengraxantes e faça a limpeza final com álcool isopropílico. O álcool comercial não é adequado para esse processo

Em seguida, remova os acessórios como lanternas e peças diversas. Tome cuidado para não perdê-las. Depois, remova todas as impurezas sólidas (graxa, restos de asfalto etc.) com desengraxantes e faça a limpeza final com álcool isopropílico. O álcool comercial não é adequado para esse processo

Depois da limpeza, posicione a imagem na superfície. Posiciona-se a imagem com uma fita crepe, fazendo uma dobradiça ou usando ímãs para segurar o vinil no lugar até que o liner seja retirado

Depois da limpeza, posicione a imagem na superfície. Posiciona-se a imagem com uma fita crepe, fazendo uma dobradiça ou usando ímãs para segurar o vinil no lugar até que o liner seja retirado

Retire o liner mantendo o vinil sem rugas, principalmente na parte mais plana do pára-choque

Retire o liner mantendo o vinil sem rugas, principalmente na parte mais plana do para-choque

Comece a instalar a grande área plana do para-choque. Mantenha um alinhamento na espatulação, mesmo que as curvas comecem a aparecer depois da parte superior do para-choque. Se o alinhamento não for mantido, o vinil pode enrugar

Comece a instalar a grande área plana do para-choque. Mantenha um alinhamento na espatulação, mesmo que as curvas comecem a aparecer depois da parte superior do para-choque. Se o alinhamento não for mantido, o vinil pode enrugar

Comece a aplicação de calor na parte superior do para-choque, para permitir que o material relaxe e se torne mais flexível. É preciso um pouco de calor para obter esse feito em uma área grande. Sempre use o soprador térmico para essa etapa da instalação

Comece a aplicação de calor na parte superior do para-choque, para permitir que o material relaxe e se torne mais flexível. É preciso um pouco de calor para obter esse feito em uma área grande. Sempre use o soprador térmico para essa etapa da instalação

Enquanto o material ainda está quente, trabalhe a partir da borda externa em direção ao topo da parte plana. Este processo deve ser lento e consistente, mantendo ainda uma linha na parte superior do leito. Quando chegar ao topo da parte plana, trabalhe ao longo da área

Enquanto o material ainda está quente, trabalhe a partir da borda externa em direção ao topo da parte plana. Este processo deve ser lento e consistente, mantendo ainda uma linha na parte superior do leito. Quando chegar ao topo da parte plana, trabalhe ao longo da área

Sobrará uma boa quantidade de material na frente e atrás do para-choque. Ela será necessária, a fim de aquecer e conformar o material com um montante mínimo de estresse sobre ele. Comece a trabalhar a partir da área plana em direção à cabeceira. Continue a usar, um pouco de cada vez, a espátula e o soprador térmico (aquecendo uma área maior do que o necessário)

Sobrará uma boa quantidade de material na frente e atrás do para-choque. Ela será necessária, a fim de aquecer e conformar o material com um montante mínimo de estresse sobre ele. Comece a trabalhar a partir da área plana em direção à cabeceira. Continue a usar, um pouco de cada vez, a espátula e o soprador térmico (aquecendo uma área maior do que o necessário)

O excesso de vinil na parte da frente e de trás da área plana será usado para puxar as rugas do material. Num dado momento, o vinil estará baixo o suficiente. Puxe o material para baixo em direção à parte inferior do para-choque. Isto deve ser realizado por meio de calor e tensão

O excesso de vinil na parte da frente e de trás da área plana será usado para puxar as rugas do material. Num dado momento, o vinil estará baixo o suficiente. Puxe o material para baixo em direção à parte inferior do para-choque. Isso deve ser realizado por meio de calor e tensão

Realize o mesmo processo na parte frontal do paralama, trabalhando a partir da área plana. A única diferença é que a imagem ao longo da borda frontal deve estar alinhada com a parte da imagem se encontra na cabina (se tiver)

Realize o mesmo processo na parte frontal do para-lama, trabalhando a partir da área plana. A única diferença é que a imagem ao longo da borda frontal deve estar alinhada com a parte da imagem que se encontra na cabina (se tiver)

Depois de terminar a instalação (antes de refilar qualquer parte do vinil), é necessário aquecer novamente toda a imagem. O processo de pós-aquecimento quebra a memória do vinil para mantê-lo sob a forma em que foi instalado. Para terminar, refile todas as bordas. Se necessário, use fita ao longo da borda inferior da imagem. Então, remova as bolhas remanescentes

Depois de terminar a instalação (antes de refilar qualquer parte do vinil), é necessário aquecer novamente toda a imagem. O processo de pós-aquecimento quebra a memória do vinil para mantê-lo na forma em que foi instalado. Para terminar, refile todas as bordas. Se necessário, use fita ao longo da borda inferior da imagem. Então, remova as bolhas remanescentes

Se o envelopador pensar à frente, fizer o que o vinil lhe oferece e não trabalhar em agitação, ele será capaz de envelopar a lateral de veículo por si só e com extrema facilidade, qualidade e profissionalismo.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



Trotec anuncia máquina a laser Speedy 100 Flexx

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 30/06/2014

Speedy 100 flexx é máquina a laser mais acessível

Speedy 100 Flexx é máquina a laser mais acessível

A Trotec, fabricante de equipamentos de corte e gravação, lançou no mercado internacional a Speedy 100 Flexx, máquina a laser de entrada, com área de trabalho de 24 x 12 polegadas.

De acordo com a empresa, a máquina é equipada com fontes de laser CO2 e de fibra. O primeiro é indicado para gravação e corte de plásticos, madeira, borracha, couro, entre outros substratos. E a fonte de fibra é mais apropriada para marcar metais e plásticos.

Dependendo do material, ambas as fontes de laser podem ser ativadas em alternância, para um mesmo trabalho, sem precisar fazer a troca manual de fontes, lentes ou foco. Trata-se da função "flexx", tecnologia patenteada pela Trotec.

O equipamento emprega o software JobControl e pode receber upgrade.

Fonte: SGIA



Inca expande fábrica de impressoras no Reino Unido

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/10/2014

Planta da Inca fica em Cambridge

Planta da Inca fica em Cambridge

A Inca, fornecedora de impressoras digitais, expandiu sua fábrica de equipamentos inkjet sediada em Cambridge, no Reino Unido. Segundo a empresa, houve uma ampliação expressiva de recursos, sobretudo no centro de treinamentos e testes. Trata-se de um investimento alinhado à estratégia da Inca em desenvolver tecnologias a jato de tinta para diversas aplicações industriais. Além disso, a nova planta aumenta a capacidade fabril da empresa em 20%.

Com a expansão, a fábrica melhora serviços de assistência, como testes e configurações de máquinas das linhas Inca Onset (vendida exclusivamente pela Fujifilm) e Truepress Jet W3200UV (vendida pela Screen Holdings).

John Mills, CEO da Inca Digital, declarou: "Estes anúncios são mais uma prova de que continuamos indo de vento em popa. Como as vendas de modelos Onset e Truepress continuam a crescer, é essencial continuar a investir em nossas instalações e também explorar novas oportunidades para os nossos clientes".

Fonte: Fespa