HP investirá 200 milhões de dólares em desenvolvimentos de tintas aquosas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 31/10/2019
A ideia é criar soluções para as indústrias de tecidos e corrugados

A ideia é criar soluções para as indústrias de tecidos e corrugados

A fabricante HP anunciou um novo investimento para desenvolver a próxima geração de tintas à base d’água para estampar tecidos e corrugados. Para tanto, empresa comprometerá 200 milhões de dólares nos próximos cinco anos.

O novo investimento complementa os planos da empresa cujo objetivo é criar soluções sustentáveis de impressão digital para substituir tecnologias mais antigas. A estamparia têxtil tradicional faz uso de sistemas que podem degradar o meio ambiente. O World Resources Institute, por exemplo, estima que cerca de 20% da poluição industrial da água provém da fabricação de roupas.

No segmento de sinalização, a HP tem disseminado as tintas látex à base de água, que estabeleceram uma alternativa durável, versátil e segura às tintas solventes.

A HP acredita que o investimento em tintas à base de água para impressão corrugados produzirá efeitos benéficos em todo o ciclo de vida de produtos como caixas de papelão ondulado. A ideia é desenvolver tecnologias que beneficiem tanto os operadores das impressoras quantos os clientes finais, sobretudo por possibilitar a reutilização, a reciclagem e o descarte apropriado do produto.

Fonte: HP



Empresa desenvolve mecanismo de projeções aéreas 3D

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/11/2014

Feixes de laser são projetados no ar para gerar imagens 3D

Feixes de laser são projetados no ar para gerar imagens 3D

A Aerial Burton, empresa japonesa de tecnologia, desenvolveu um display capaz de projetar textos e imagens pixeladas em pleno ar, que podem ser utilizadas para sinalização.

A tecnologia emprega um conjunto de espelhos que refletem feixes de laser infravermelho. A área em que os raios se concentram é ionizada, processo que libera fótons que podem ser vistos a olho nu.

O display ainda está em fase de desenvolvimento, e a empresa busca criar mecanismos que possam ser acoplados em plataformas móveis (como carros ou ambulâncias).

Akira Asano, diretor da Aerial Burton, declarou: "O diferencial desse dispositivo é o fato de ele poder exibir textos e imagens em pleno ar sem fazer uso de uma tela".

Fontes: DigiInfo e Tecmundo



Como escolher e armazenar papéis para sublimação

Por João Leodonio em 28/11/2017
Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

Em rolos ou folhas, os papéis sublimáticos são essenciais no processo

O mercado oferece muitos tipos de papéis para sublimação, vendidos em folhas ou rolos. Por isso, muitos compradores desses itens fundamentais acabam se confundindo diante de tantas opções e, consequentemente, adquirem materiais inadequados. A seguir, compilamos informações cruciais sobre tipos, gramaturas e armazenamento de papéis sublimáticos. Com o conhecimento delas, o usuário certamente poderá adquirir, utilizar e manipular de forma correta esses artigos básicos da sublimação.

Recomendação importante para todos os casos de papéis listados abaixo: após a impressão e até a prensagem, os materiais devem ser mantidos como antes da impressão, ou seja, sem contato com umidade, poeira e, principalmente, luz.

Papéis sublimáticos para impressão offset (folha a folha)

Para o processo de impressão offset, não há a necessidade de usar papel tratado, que pode ser offset ou jornal. No entanto, a carga de tinta (densidade) tem de ser controlada. Além disso, as pilhas de papel na saída da impressora têm de ser menores, para não ocorrer a transferência de imagem de uma folha para o verso da outra, o que compromete a qualidade da imagem, sobretudo no momento da prensagem.

Gramatura: varia de 54g/m² a 75g/m².

Armazenamento: recomendável manter em local sem umidade, pó e calor excessivo. Conservar os papéis empacotados até o momento da utilização, pois se a umidade relativa do ar estiver muito alta, eles podem ondular, o que dificulta a entrada em máquina. Já a umidade baixa pode provocar estática, que também dificulta a entrada da mídia na impressora. Recomenda-se o controle de temperatura (entre 20ºC e 25ºC) e umidade relativa (entre 45% e 60%).

Modo correto de armazenar papel offset em pacotes

Papéis sublimáticos para impressoras A3 e A4

Nas impressoras “caseiras” são utilizados, normalmente, os formatos A3 e A4. Nesses casos, os papéis sem tratamento não são recomendados, pois a tinta tende a ancorar na massa mecânica da mídia, o que dificulta a pssagem do insumo para o tecido. Para compensar esse problema, muitas empresas aumentam a carga de tinta impressa, o que, consequentemente, onera o processo. Além disso, é importante frisar que a maioria dos perfis de cor disponíveis no mercado não estão preparados para materiais não revestidos. Portanto, o recomendado é usar papéis tratados (resinados) e perfis adequados.

Gramatura: varia de 75g/m² a 125g/m², dependendo de tipo de serviço a ser executado. Muitas fornecedoras oferecem papéis com bom desempenho, e vale testar qual deles entrega a quantidade de tinta adequada para a prensagem correta.

Armazenamento: não expor a umidade, pó e calor excessivo. Manter em pacotes fechados até o momento da utilização. Recomenda-se usar estufas de armazenagem para manter a integridade física do substrato.

Estufa para papéis A3

Papéis sublimáticos para impressão de grande formato

Para impressões em grande formato, utiliza-se tanto papel tratado como papel offset sem tratamento. A largura e o comprimento das mídias variam de acordo com a capacidade de cada impressora digital.

Gramatura: varia entre 56g/m² e 90g/m², dependendo do tipo de serviço a ser executado (textos ou chapados).

Armazenamento: recomenda-se manter os rolos em ambiente controlado (temperatura e umidade relativa) e sem exposição a poeira e luz. Mantê-los empacotados até o momento da utilização.

Modo correto de armazenar papel em rolo

 

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático