Como evitar um envelopamento com falhas e malfeito

Por Eduardo Yamashita em 09/05/2016
O envelopamento falhou? Veja as razões para que isso tenha acontecido

O envelopamento falhou? Veja as razões para que isso tenha acontecido

Veículos comerciais envelopados com imagens muitas vezes criam a primeira impressão (positiva, negativa ou indiferente) que o público tem de uma empresa. O envelopamento de alta qualidade, atraente e bem conservado pode transmitir a mensagem de que a empresa e sua marca – por extensão, seus serviços – são sérias e idôneas.

O envelopamento exige um investimento que pode variar de centenas a milhares de reais por veículo, para a concepção e instalação de imagens. Portanto, há pouco espaço para erro. Por exemplo, o logotipo da empresa pode não aparecer corretamente. Se o projeto for ineficaz ou se o filme perde a coloração, podem aparecer rachaduras e falhas prematuras. Se isso acontecer, as imagens instaladas projetarão uma impressão que pode afetar negativamente a empresa.

Saiba que um envelopamento pobre ou com defeito pode dar prejuízos e custar para corrigir, reparar ou substituir, além de aumentar o tempo de inatividade do veículo. Portanto, evite erros levando em consideração os tópicos a seguir:

Projeto ruim

Muitos projetos iniciados por agências podem ficar fora da escala do veículo. Várias vezes, são omitidas partes importantes do veículo, como maçanetas e dobradiças. Portanto, é fundamental projetar imagens em escala correta e criar modelos com todas as funcionalidades incorporadas. Isso evita atrasos e alterações nos projetos.

Ao criar o projeto, garanta que a imagem esteja na escala correta do veículo

Lembre-se que um único tamanho de imagem não serve para todos os veículos. Uma imagem que funciona bem para uma van de carga não tem o formado proporcional de um caminhão, e vice-versa. Imagens aplicadas ao painel traseiro de um caminhão não terão a mesma aparência em uma caminhonete. Portanto, certifique-se de que os designers ajustem as imagens de acordo com cada veículo.

Concepção exagerada

Evite colocar muitas imagens e textos no projeto de envelopamento. Muita informação causa ruído e perdas de oportunidades de vendas. A tendência é querer sobrecarregar. Mas lembre-se: há apenas alguns segundos para agarrar a atenção do público e passar a mensagem. Portanto, crie projetos simples e rapidamente compreensíveis. Certifique-se de inserir as informações essenciais, como números de telefone, site e outros contatos claros e legíveis.

Investimento malfeito

Evite usar materiais, sobretudo vinis adesivos, mais baratos e leve em consideração o ambiente ao redor do veículo. E possível assumir custos de fora com materiais mais em conta para executar o envelopamento, mas isso pode ter consequências ruins, como um prejuízo no longo prazo. Além disso, com materiais de qualidade inferior, a instalação pode demorar, o que pode elevar o custo da produção. E também é possível que bolhas e rugas apareçam prematuramente.

A removibilidade do adesivo também deve entrar na composição do custo do ciclo de vida da imagem. Retirar filmes de alta qualidade é mais rápido e fácil, ao passo que películas de baixa qualidade tendem a rasgar em pedaços pequenos, o que exige mais trabalho.

Escolher o vinil adequado para o serviço é fundamental para o sucesso do envelopamento

Tipo de superfície

Há trabalhos que exigem mais cuidado para serem executados. Veículos com contornos profundos ou canais requerem o mais alto nível de engenharia de vinis para garantir que eles não levantem ou rasguem prematuramente. Como alternativa, é possível utilizar o material refletivo, que custa mais, mas oferece marketing e valor de segurança para as frotas que operam durante a noite ou no início da manhã. Afinal, eles ajudam a manter os motoristas mais seguros porque os veículos ficam mais visíveis, e a mensagem continua a ser veiculada durante a noite. Perde-se essa oportunidade com materiais convencionais não refletivos.

Quanto maior a complexidade da superfície, maior qualidade deverá ter o vinil adesivo

Pense em termos de ciclo de vida versus custo dos materiais. Ao avaliar os custos do ciclo de vida, não se esqueça de considerar fatores como durabilidade, longevidade, facilidade de manutenção e propriedades de reflexão e remoção.

Não perca: na segunda parte deste artigo, confira tópicos como tempo para o serviço, falhas na instalação e problemas na manutenção.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Cambea 9 terá nova dinâmica

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/01/2019
Campeonato será realizado dentro da Fespa Brasil 2019

Campeonato será realizado dentro da Fespa Brasil 2019

A nona edição do Cambea (Campeonato Brasileiro de Envelopamento Automotivo) reunirá dentro da Fespa Brasil 2019, entre os dias 20 e 23 de março, em São Paulo, a comunidade de envelopamento para quatro dias de competição e troca de experiências. Nesse ano, a disputa terá duas etapas classificatórias, a semifinal e a final. O vencedor terá a oportunidade de participar do World Wrap Masters Series, que ocorrerá em maio, na Alemanha.

Na etapa classificatória, o competidor terá uma hora e meia para envelopar uma lateral e um capô de um carro. Outra novidade do Cambea 9 é a inserção da semifinal (com seis equipes) no terceiro dia (sexta-feira). Apenas três disputarão a grande no dia 23 de março (sábado), com a missão de envelopar todo o carro em cinco horas.

O Cambea também é o momento de reunir profissionais, trocar experiência, aprender e festejar. Por isso, há modalidades como a Cambea Fast, cuja missão é envelopar o capô de um carro no menor tempo possível. O recorde atual pertence a Calebe San Martins, com o tempo de 3min42s.

A Alltak, idealizadora do Cambea, também trará o holandês Joffrey Van Der Jagt, da ProWrap, que estará no evento para transformar carros em obras de arte.

As inscrições para o Cambea Pro (Profissional) estão abertas. Para as demais provas, o participante se inscrições durante o próprio evento.

Fonte: Fespa Brasil



Tinta reativa Durst Alpha Ink R HD recebe certificação GOTS

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/09/2017
Selo comprova eficiência, padrão de qualidade e uso sustentável do insumo

Selo comprova eficiência, padrão de qualidade e uso sustentável do insumo

A fabricante Durst anunciou que a Alpha Ink R HD, nova tinta desenvolvida para as impressoras industriais têxteis da linha Alpha, recebeu a certificação da versão 5.0 da GOTS (Global Organic Textile Standard). O selo atesta que os insumos oferecem padrão de qualidade e eficiência e asseguram ciclos sustentáveis de produção.

Lançada em março de 2017, a versão 5.0 da GOTS contempla critérios de sustentabilidade e toxicologia ao longo de toda a cadeia de suprimentos. As orientações referem-se a vestuário e outros produtos têxteis constituídos por, pelo menos, 70% de fibras orgânicas certificadas. Portanto, os materiais produzidos de acordo com a GOTS 5.0 são sustentáveis e fabricados sob condições socialmente aceitáveis.

A Durst é um dos primeiros fabricantes de tecnologia inkjet a oferecer um sistema de tinta reativa certificada pela GOTS 5.0, para a produção digital de tecidos domésticos, roupas, acessórios e revestimento de móveis.

Martin Winkler, gerente para o segmento de impressão têxtil da Durst, declarou: “Seguindo a tendência de mercado, demos mais um passo importante com a certificação GOTS 5.0, para produção em mídias de algodão. A série Alpha e a nossa nova tecnologia de tinta oferecem um ecossistema perfeito para produção digital em tecidos.”

Fonte: Durst Brasil