Versão 2.3 do Apogee StoreFront da Agfa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 02/03/2015

StoreFront permite o comércio eletrônico de materiais impressos

StoreFront permite o comércio eletrônico de materiais impressos

A Agfa, fabricante de equipamentos gráficos, atualizou a Asanti StoreFront, solução web-to-print projetada para birôs de impressão comercial e sinalização. Com a versão 2.3 do software, é possível vender por meio da internet produtos impressos, como banners, e eletrônicos, como imagens e arquivos PDF.

Entre outras funções, o StoreFront 2.3 facilita transações comerciais. Como alternativa ao pagamento on-line com cartão de crédito ou débito, os birôs podem oferecer o serviço de transferência bancária, o que é interessante para organizações sem fins lucrativos ou governamentais.

O novo módulo de faturamento garante que os compradores recebam uma fatura completa em todos os pedidos. Esses extratos são armazenados como arquivos PDF, para facilitar a impressão e o arquivamento.

Andy Grant, gerente mundial de software da Agfa, declarou: "Os birôs precisam oferecer serviços adicionais aos clientes. A StoreFront é uma ferramenta interessante para que as empresas do setor possam criar documentos e distribuir produtos via internet, tornando-as completas fornecedoras de serviços comunicação".

Fonte: Agfa



Sinalização digital externa e as cidades inteligentes

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/03/2019
Tecnologia pode ser usada para melhorar os centros urbanos

Tecnologia pode ser usada para melhorar os centros urbanos

Não há dúvida de que a sinalização digital externa está mudando a cara de muitas cidades. Não se trata apenas de empresas tentando aumentar suas receitas por meio da tecnologia; ela faz parte das mudanças pelas quais estão passando as “cidades inteligentes”.

Em 2018, 55% da população mundial estava vivendo em áreas urbanas. O número deve aumentar para 68% até 2050. São mais 2,5 bilhões de pessoas procurando por lares, serviços e empregos em centros urbanos já lotados.

As “cidades inteligentes” adotam tecnologias para melhorar serviços, e a sinalização digital externa parece ser parte fundamental desse processo, pois está em linha com as tendências físicas, tecnológicas e ambientais da atualidade. Há instalações que melhoram a vida em áreas urbanas, ao oferecer bons serviços, manter as pessoas seguras e melhorar a qualidade de vida.

Serviços melhores

A sinalização digital de autoatendimento é cada vez mais comum. Elas são quiosques interativos, máquinas de bilhetes, telas tácteis usadas em varejo e exibições automáticas em compras de drive-thru.

O reconhecimento facial pode ser o próximo passo para a sinalização digital de autoatendimento. O KFC na China está empregando exibições que sugerem refeições com base no sexo e na idade do cliente. Também na China, alguns displays externos de reconhecimento facial são usados pela polícia para monitoramento e identificação.

Segurança

Nos EUA, a sinalização digital também tem sido usada para fins não comerciais. Com as instalações existentes, as autoridades conseguem fornecer alertas meteorológicos em vários estados, a fim de avisar a população sobre furacões e possíveis desastres naturais. É um indicativo de que, em breve, veremos a sinalização digital sendo usada em tempos de crise nas cidades de todo o mundo.

Qualidade de vida

A sinalização digital pode tornar os centros urbanos lugares mais agradáveis. A cidade de Bentonville, no Arkansas (EUA), recentemente trocou alguns de seus outdoors estáticos por digitais, que permitem que vários anunciantes compartilhem o mesmo espaço, em um loop contínuo de conteúdo. Por isso, a cidade conseguiu reduzir o número total de outdoors e melhorar a aparência da região.

As tendências relacionadas às características físicas, tecnológicas e ambientais da sinalização digital externa permitem que empresas e governos ofereçam serviços melhores para um número maior de pessoas. Essas tendências e seus benefícios garantem o crescimento contínuo da sinalização digital externa nos centros urbanos. Com essa integração, todos saem ganhando.

Fonte: DigitalSignageToday



Epson promove evento de estamparia têxtil sublimática nos EUA

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 31/01/2015

Indústria da moda pode se beneficiar com as possibilidades de personalização oferecidas pelas impressoras sublimáticas da Epson

Indústria da moda pode se beneficiar com as possibilidades de personalização oferecidas pelas impressoras sublimáticas da Epson

A Epson, fabricante de impressoras digitais, anunciou o Digital Couture Project – Epson NYFW 2015. Trata-se de um evento de moda previsto para ocorrer no dia 10 de fevereiro, em Nova York (EUA).

Com o objetivo de reforçar a disseminação da impressão sublimática no ramo, o evento é uma promoção regional da Epson para todas as Américas e antecede a temporada de inverno da NYFW (New York Fashion Week).

Um promissor criador de cada país foi escolhido para desenvolver uma coleção envolvendo estamparia, que será apresentada em desfile paralelo à NYFW.

A representante do Brasil será Mariana Morrell, aluna da graduação em Design de Moda do Istituto Europeo di Design (IED São Paulo). A estudante foi a vencedora de um concurso realizado na instituição, que levou em consideração critérios como portfólio, qualidade da estampa sublimada, criatividade e visão vanguardista.

Para o evento em Nova York, a Epson definiu o tema "O Futuro da Moda". São esperadas mais de 200 pessoas das indústrias de moda e tecidos.

Agustín Chacón, vice-presidente de vendas e operações das subsidiárias latino-americanas da Epson, declarou: "A sinergia entre moda e tecnologia de impressão digital abriu novas oportunidades e ofereceu produtividade jamais vista. Os resultados finais atingem um nível de detalhe preciso e uma qualidade ainda melhor".

Brasil será representado por criações da estudante Mariana Morrell

Brasil será representado por criações da estudante Mariana Morrell

Fonte: Epson