Depreciação de impressoras de grandes formatos

Por José Pires de Araújo Jr. em 21/06/2018
Saiba como prever a depreciação de uma impressora digital

Saiba como prever a depreciação de uma impressora digital

A depreciação de equipamentos é um assunto recorrente nas conversas entre empresários do setor. Trata-se de uma despesa, não reembolsável, que tem como fato gerador a utilização de um equipamento ou sua obsolescência. No entanto, a empresa não precisa usar dinheiro do caixa para pagar tal despesa. Porém, é necessário realizar a devida contabilização para a recuperação do investimento.

O Brasil, segundo a lei 11638/2007, segue a tabela de depreciação abaixo:

Item Taxa de depreciação anual Anos
Edifício 4% 25
Máquinas e equipamentos 10% 10
Instalações 10% 10
Móveis e utensílios 10% 10
Veículos 20% 05
Computadores e periféricos 20% 05

 

Conforme a tabela, os computadores e seus periféricos depreciam-se em até 5 anos, com taxa de 20% ao ano. A lei referida (11638/2007) deve guiar a contabilidade. Não foi levada em consideração a “Lei de Moore”, que deve ser considerada nas ações gerenciais com foco na obsolescência de processadores (o “coração” dos computadores e seus periféricos). Em 1965, Gordon Moore publicou na revista Eletronic Magazine um artigo sobre o ciclo de vida dos processadores. Ele afirmou que a cada período de 18 meses, a capacidade dos processadores aumenta exponencialmente. Com base nisso, pode-se utilizar a “Lei de Moore” para a formação de custos no RKW, mas saiba que quanto menor o tempo de depreciação, maior é o valor a ser destacado.

As impressoras de grandes formatos, em última análise, são equipamentos eletrônicos com memória e utilizam programas para decodificação de dados, para estampar lonas, vinis, tecidos, entre outros substratos. São máquinas de alta tecnologia que necessitam de processadores cada vez mais potentes para suportar uma eletrônica que evolui a todo momento.

Essas impressoras provam que a “Lei de Moore” é uma realidade. O aumento da velocidade dos processadores e a evolução dos softwares estão permitindo que a impressão de grandes formatos atinja mercados diversos, como os de arte e arquitetura. Além disso, a tecnologia também tem possibilitado a impressão em substratos rígidos, como madeira e cerâmica, que podem ser utilizados em decoração.

Por causa dessa constante evolução, a depreciação gerencial de uma impressora de grande formato pode não ser 5 anos. Para conhecer a exata depreciação, recomenda-se levar em consideração a obsolescência causada pelos desenvolvimentos do segmento, embora a aceleração tecnológica segundo a “Lei de Moore” venha caindo. De acordo com especialistas do Vale do Silício, as tecnologias digitais são atualizadas anualmente.

Autor: José Pires de Araújo Jr.

 



Mimaki Brasil é patrocinadora master do Cambea 5

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 29/06/2015

Quinta edição de campeonato de envelopamento recebeu o patrocínio da Mimaki

Quinta edição de campeonato de envelopamento recebeu o patrocínio da Mimaki

A filial brasileira da Mimaki, fabricante de equipamentos para impressão e recorte, é a patrocinadora master da quinta edição do Cambea (Campeonato Brasileiro de Envelopamento Automotivo), que ocorre durante a feira Serigrafia Sign Future Textil 2015, em São Paulo, no pavilhão do Anhembi, entre os dias 21 e 24 de julho, das 13h às 20h.

A competição consiste em adesivar uma lateral e um capô em 1h30. Inicialmente, 18 duplas (um envelopador e um ajudante) competirão em eliminatórias diárias em que seis equipes se enfretam. As três mais bem pontuadas seguem para a final.

Na última etapa da competição, as equipes terão cinco horas para adesivar o carro todo. O campeão receberá uma Mimaki CG-60SR III, plotter de recorte com sensor de marca de registro e com velocidade de até 70cm/seg. Além disso, ganhará uma viagem para Las Vegas, nos EUA (passagem aérea, hospedagem e credenciamento) para conhecer a Sema Show, maior feira de carros customizados do planeta. Custos com passaporte, visto e extras serão por conta do participante. O prêmio é para apenas uma pessoa: o campeão (conforme regras do Cambea).

Além da competição principal, a Mimaki também patrocina outras atrações e categorias do Cambea:

Cambea Fast (capôs)

O aplicador tem 10 minutos para envelopar um capô. A rapidez é o principal critério de avaliação, embora a qualidade não possa ser deixada de lado. Rugas, bolhas e defeitos descontarão pontos.

Cambea World Record

Na edição de 2014, o Cambea mostrou ao público que é possível trocar a cor de um veículo de passeio em menos de 30 minutos. Em 2015, serão convidados os melhores instaladores do país para mais um desafio: adesivar um carro em menos de 20 minutos.

Cambea Fast (retrovisor)

As inscrições deverão ser feitas no estande do Cambea. Neste desafio, o participante terá de adesivar um retrovisor em até 10 minutos.

Cambea Lab

Espaço onde o público poderá tirar dúvidas a partir de demonstrações ao vivo dadas por Justin Pate. O espaço conta com um equipamento de impressão e recorte integrados, a Mimaki CJV150-160, criando um ambiente semelhante ao de um birô especializado em envelopamento de carros.

Fonte: Mimaki



Tinta reativa Durst Alpha Ink R HD recebe certificação GOTS

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/09/2017
Selo comprova eficiência, padrão de qualidade e uso sustentável do insumo

Selo comprova eficiência, padrão de qualidade e uso sustentável do insumo

A fabricante Durst anunciou que a Alpha Ink R HD, nova tinta desenvolvida para as impressoras industriais têxteis da linha Alpha, recebeu a certificação da versão 5.0 da GOTS (Global Organic Textile Standard). O selo atesta que os insumos oferecem padrão de qualidade e eficiência e asseguram ciclos sustentáveis de produção.

Lançada em março de 2017, a versão 5.0 da GOTS contempla critérios de sustentabilidade e toxicologia ao longo de toda a cadeia de suprimentos. As orientações referem-se a vestuário e outros produtos têxteis constituídos por, pelo menos, 70% de fibras orgânicas certificadas. Portanto, os materiais produzidos de acordo com a GOTS 5.0 são sustentáveis e fabricados sob condições socialmente aceitáveis.

A Durst é um dos primeiros fabricantes de tecnologia inkjet a oferecer um sistema de tinta reativa certificada pela GOTS 5.0, para a produção digital de tecidos domésticos, roupas, acessórios e revestimento de móveis.

Martin Winkler, gerente para o segmento de impressão têxtil da Durst, declarou: “Seguindo a tendência de mercado, demos mais um passo importante com a certificação GOTS 5.0, para produção em mídias de algodão. A série Alpha e a nossa nova tecnologia de tinta oferecem um ecossistema perfeito para produção digital em tecidos.”

Fonte: Durst Brasil