Depreciação de impressoras de grandes formatos

Por José Pires de Araújo Jr. em 21/06/2018
Saiba como prever a depreciação de uma impressora digital

Saiba como prever a depreciação de uma impressora digital

A depreciação de equipamentos é um assunto recorrente nas conversas entre empresários do setor. Trata-se de uma despesa, não reembolsável, que tem como fato gerador a utilização de um equipamento ou sua obsolescência. No entanto, a empresa não precisa usar dinheiro do caixa para pagar tal despesa. Porém, é necessário realizar a devida contabilização para a recuperação do investimento.

O Brasil, segundo a lei 11638/2007, segue a tabela de depreciação abaixo:

Item Taxa de depreciação anual Anos
Edifício 4% 25
Máquinas e equipamentos 10% 10
Instalações 10% 10
Móveis e utensílios 10% 10
Veículos 20% 05
Computadores e periféricos 20% 05

 

Conforme a tabela, os computadores e seus periféricos depreciam-se em até 5 anos, com taxa de 20% ao ano. A lei referida (11638/2007) deve guiar a contabilidade. Não foi levada em consideração a “Lei de Moore”, que deve ser considerada nas ações gerenciais com foco na obsolescência de processadores (o “coração” dos computadores e seus periféricos). Em 1965, Gordon Moore publicou na revista Eletronic Magazine um artigo sobre o ciclo de vida dos processadores. Ele afirmou que a cada período de 18 meses, a capacidade dos processadores aumenta exponencialmente. Com base nisso, pode-se utilizar a “Lei de Moore” para a formação de custos no RKW, mas saiba que quanto menor o tempo de depreciação, maior é o valor a ser destacado.

As impressoras de grandes formatos, em última análise, são equipamentos eletrônicos com memória e utilizam programas para decodificação de dados, para estampar lonas, vinis, tecidos, entre outros substratos. São máquinas de alta tecnologia que necessitam de processadores cada vez mais potentes para suportar uma eletrônica que evolui a todo momento.

Essas impressoras provam que a “Lei de Moore” é uma realidade. O aumento da velocidade dos processadores e a evolução dos softwares estão permitindo que a impressão de grandes formatos atinja mercados diversos, como os de arte e arquitetura. Além disso, a tecnologia também tem possibilitado a impressão em substratos rígidos, como madeira e cerâmica, que podem ser utilizados em decoração.

Por causa dessa constante evolução, a depreciação gerencial de uma impressora de grande formato pode não ser 5 anos. Para conhecer a exata depreciação, recomenda-se levar em consideração a obsolescência causada pelos desenvolvimentos do segmento, embora a aceleração tecnológica segundo a “Lei de Moore” venha caindo. De acordo com especialistas do Vale do Silício, as tecnologias digitais são atualizadas anualmente.

Autor: José Pires de Araújo Jr.

 



Lexno passa a vender novas routers

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/03/2013

Nova router da Lexno

Nova router da Lexno

A Lexno, indústria brasileira, anunciou a disponibilidade de dois novos modelos de router. As máquinas trabalham com substratos como MDF, PVC, acrílico, inox e chapas galvanizadas. Enquanto o modelo 2015 possui 2000mm de comprimento de corte e 1500mm de largura de corte, o modelo 3020 tem comprimento de 3000mm e largura de 2000mm.

Com um motor Spindle 4CV refrigerado a ar, a router possui fusos de esferas classe C7. Segundo a empresa, a máquina possui guias que garantem a precisão de até 0,0125mm. A router também tem eixo Z de 160mm (com opção de 400mm)

Aos compradores, a marca promete garantia de dois anos e treinamento de três dias para até dois funcionários.

Fonte: Lexno



Webinar grátis sobre como obter orçamentos gráficos melhores

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/02/2017
EFI promove evento on-line que ocorre no dia 22 de fevereiro

EFI promove evento on-line que ocorre no dia 22 de fevereiro

No dia 22 de fevereiro, a EFI, fabricante de impressoras digitais, ministrará para toda a América Latina o webinar grátis “Orçamentos sempre lucrativos, independentemente do nível de experiência de seus colaboradores”. Com duração de uma hora, o seminário também destacará a solução iQuote, pertencente ao pacote de software Productivity Suite.

O palestrante Rafael Ribeiro, executivo brasileiro da área de software de produtividade da EFI, exibirá ao público maneiras criativas de usar o aplicativo em benefício do negócio do cliente. Durante o webinar, o apresentador mostrará como os orçamentos podem gerar planos de trabalho precisos e lucrativos.

Ernande Ramos, diretor de vendas para América Latina da EFI, declarou: “Hoje, as empresas usam um modelo em que 80% do conhecimento do negócio está concentrado nas mãos de 20% dos colaboradores. Com o iQuote, é possível que mais profissionais exerçam esta função, sem que elas tenham anos de experiência na empresa”.

A inscrição deve ser feita por meio da página especialmente criada para o webinar.

Fonte: EFI