Depreciação de impressoras de grandes formatos

Por José Pires de Araújo Jr. em 21/06/2018
Saiba como prever a depreciação de uma impressora digital

Saiba como prever a depreciação de uma impressora digital

A depreciação de equipamentos é um assunto recorrente nas conversas entre empresários do setor. Trata-se de uma despesa, não reembolsável, que tem como fato gerador a utilização de um equipamento ou sua obsolescência. No entanto, a empresa não precisa usar dinheiro do caixa para pagar tal despesa. Porém, é necessário realizar a devida contabilização para a recuperação do investimento.

O Brasil, segundo a lei 11638/2007, segue a tabela de depreciação abaixo:

Item Taxa de depreciação anual Anos
Edifício 4% 25
Máquinas e equipamentos 10% 10
Instalações 10% 10
Móveis e utensílios 10% 10
Veículos 20% 05
Computadores e periféricos 20% 05

 

Conforme a tabela, os computadores e seus periféricos depreciam-se em até 5 anos, com taxa de 20% ao ano. A lei referida (11638/2007) deve guiar a contabilidade. Não foi levada em consideração a “Lei de Moore”, que deve ser considerada nas ações gerenciais com foco na obsolescência de processadores (o “coração” dos computadores e seus periféricos). Em 1965, Gordon Moore publicou na revista Eletronic Magazine um artigo sobre o ciclo de vida dos processadores. Ele afirmou que a cada período de 18 meses, a capacidade dos processadores aumenta exponencialmente. Com base nisso, pode-se utilizar a “Lei de Moore” para a formação de custos no RKW, mas saiba que quanto menor o tempo de depreciação, maior é o valor a ser destacado.

As impressoras de grandes formatos, em última análise, são equipamentos eletrônicos com memória e utilizam programas para decodificação de dados, para estampar lonas, vinis, tecidos, entre outros substratos. São máquinas de alta tecnologia que necessitam de processadores cada vez mais potentes para suportar uma eletrônica que evolui a todo momento.

Essas impressoras provam que a “Lei de Moore” é uma realidade. O aumento da velocidade dos processadores e a evolução dos softwares estão permitindo que a impressão de grandes formatos atinja mercados diversos, como os de arte e arquitetura. Além disso, a tecnologia também tem possibilitado a impressão em substratos rígidos, como madeira e cerâmica, que podem ser utilizados em decoração.

Por causa dessa constante evolução, a depreciação gerencial de uma impressora de grande formato pode não ser 5 anos. Para conhecer a exata depreciação, recomenda-se levar em consideração a obsolescência causada pelos desenvolvimentos do segmento, embora a aceleração tecnológica segundo a “Lei de Moore” venha caindo. De acordo com especialistas do Vale do Silício, as tecnologias digitais são atualizadas anualmente.

Autor: José Pires de Araújo Jr.

 



Plotter de recorte: guia para instalação de vinis adesivos recortados

Por Eduardo Yamashita em 12/10/2014

Saiba como garantir a qualidade da aplicação de vinis recortados por plotters

Saiba como garantir a qualidade da aplicação de vinis recortados por plotters

A instalação de imagens em vinil adesivo recortado por plotter é um processo simples e rápido. Mas não tenha pressa. Com concentração e paciência, é possível instalar imagens com facilidade e qualidade.

Siga as recomendações e os procedimentos abaixo para que o vinil seja corretamente aplicado – e garanta uma instalação profissional.

Preparação da superfície

Todas as superfícies devem ser cuidadosamente limpas antes da aplicação de vinis adesivos. Para tanto, siga os procedimentos de limpeza abaixo:

  • Plástico e vidro

Limpe a superfície com detergente neutro. Remova qualquer matéria seca, como cola e fita adesiva, com uma lâmina de estilete. Se estiver planejando usar acrílico, remova a proteção do material 24 horas antes da aplicação, para dissipar as bolhas de ar (desgaseificação). Se isso não for observado, pode ocorrer a formação de bolhas de ar sob o vinil em alguns dias. Para aplicar em cima de outro vinil adesivo, use álcool isopropílico para desengordurar a superfície.

  • Superfícies pintadas e metais básicos

Essas superfícies podem ser limpas com solventes como nafta, xilol, heptana ou desengraxante comercial. No caso de paredes, use álcool isopropílico. Seque a superfície com um pano sem fiapos antes de evaporar. Superfícies recém-pintadas devem ser secas e curadas pelo menos 72 horas antes da aplicação do vinil.

Requisitos de temperatura

A temperatura do ambiente e a da superfície a ser adesivada devem estar entre 10ºC e 25ºC, para que os melhores resultados sejam obtidos. Alta umidade (acima de 90%) pode afetar o processo de aplicação.

Materiais necessários

  • Estilete;
  • Mistura de detergente neutro e água (proporção: uma colher de sopa de detergente para cada litro de água);
  • Espátula plástica;
  • Pano seco e limpo;
  • Fita de papel crepada.

A imagem recortada é composta por:

  • Máscara de transferência de papel;
  • Vinil autoadesivo recortado;
  • Liner.

Passo a passo da instalação:

1. Use pequenos pedaços de fita adesiva para posicionar a imagem na superfície. Isso assegura o posicionamento adequado da imagem.

1. Use pequenos pedaços de fita adesiva para posicionar a imagem na superfície. Isso assegura o posicionamento adequado da imagem.

2. Aplique uma única faixa horizontal de fita adesiva na parte superior da imagem. A tira será utilizada como dobradiça (articulação), que fixa a imagem durante o processo de aplicação.

2. Aplique uma única faixa horizontal de fita adesiva na parte superior da imagem. A tira será utilizada como dobradiça (articulação), que fixa a imagem durante o processo de aplicação.

3. Mantenha a borda inferior do gráfico articulada (esticada) para longe da superfície e, aos poucos, remova o liner para expor o lado do adesivo do vinil à superfície. Cuidado: não deixe que o adesivo toque a superfície, pois ele tem forte aderência e poderá aderir à superfície de forma irregular. A remoção da imagem para a recolocação vai ser difícil ou impossível.

3. Mantenha a borda inferior do gráfico articulada (esticada) para longe da superfície e, aos poucos, remova o liner para expor o lado do adesivo do vinil à superfície. Cuidado: não deixe que o adesivo toque a superfície, pois ele tem forte aderência e poderá aderir à superfície de forma irregular. A remoção da imagem para a recolocação vai ser difícil ou impossível.

4. Sobre a superfície, pulverize a mistura de água e sabão, que reduz a aderência do vinil, permitindo levantar e recolocar o gráfico, se necessário.

4. Sobre a superfície, pulverize a mistura de água e sabão, que reduz a aderência do vinil, permitindo levantar e recolocar o gráfico, se necessário.

5. Mantenha a imagem esticada para longe da superfície. Com uma espátula plástica, inicie a aplicação para aderir a imagem na superfície. Trabalhe de cima para baixo. Não deixe que toda a imagem toque a superfície. Se rugas aparecerem, levante a imagem e volte a espatulá-la.

5. Mantenha a imagem esticada para longe da superfície. Com uma espátula plástica, inicie a aplicação para aderir a imagem na superfície. Trabalhe de cima para baixo. Não deixe que toda a imagem toque a superfície. Se rugas aparecerem, levante a imagem e volte a espatulá-la.

6. Uma vez que a imagem está na posição correta e adesivada sobre a superfície, comece a reespatular a imagem para retirar toda água. A partir do centro para fora, use movimentos firmes com a espátula para remover a água debaixo das letras individuais e dos elementos contidos na imagem.

6. Uma vez que a imagem está na posição correta e adesivada sobre a superfície, comece a reespatular a imagem para retirar toda água. A partir do centro para fora, use movimentos firmes com a espátula para remover a água debaixo das letras individuais e dos elementos contidos na imagem.

7. Depois de remover a água, retire a máscara da imagem. Para removê-la, borrife a mistura de água e sabão. Espere um ou dois minutos, para que o papel-máscara encharque. Remova cuidadosamente a máscara. Tenha cuidado para não puxar o vinil acima com o papel máscara.

7. Depois de remover a água, retire a máscara da imagem. Para removê-la, borrife a mistura de água e sabão. Espere um ou dois minutos, para que o papel-máscara encharque. Remova cuidadosamente a máscara. Tenha cuidado para não puxar o vinil acima com o papel máscara.

8. Usando o pedaço de sobra do liner, espatule toda a imagem para remover resíduos de água e pequenas bolhas. Coloque o pedaço de liner (que foi retirado na imagem) com o lado brilhante de frente para você. Continue a aplicar pressão com a espátula no sentido para fora, para remover água e bolhas de ar.

8. Usando o pedaço de sobra do liner, espatule toda a imagem para remover resíduos de água e pequenas bolhas. Coloque o pedaço de liner (que foi retirado na imagem) com o lado brilhante de frente para você. Continue a aplicar pressão com a espátula no sentido para fora, para remover água e bolhas de ar.

Esse artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



Mutoh lança impressora sublimática ValueJet 1948WX

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 10/01/2017
ValueJet 1948WX é impressora para sublimação que tem 1,9m de largura

ValueJet 1948WX é impressora para sublimação que tem 1,9m de largura

A fabricante Mutoh anunciou no mercado internacional a nova ValueJet 1948WX, impressora sublimática com 1,9m de largura que pode trabalhar na velocidade máxima de 117m²/h.

Com quatro cabeças e dois aquecedores integrados, a impressora é indicada para estamparia de tecidos personalizados para decoração, vestuário, moda e sinalização.

A ValueJet 1948WX foi lançada na Heimtextil 2017, feira que realizada na Alemanha entre os dias 10 e 13 de janeiro. A empresa aproveitou a oportunidade para mostrar também outros equipamentos do seu portfólio, como a ValueJet 1938TX (para impressão direta em tecidos) e a ValueJet 1638X (para impressão de materiais para decoração interna).

Fonte: Mutoh