Case: Setembro Amarelo em Curitiba

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/10/2018
VinilSul apoiou ação que alertou sobre a importância da valorização à vida

VinilSul apoiou ação que alertou sobre a importância da valorização à vida

Setembro é o mês da valorização à vida e da prevenção ao suicídio. Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), é possível evitar que a fatalidade aconteça em até 90% dos casos, e muitos movimentos que promovem a conscientização sobre o tema ganharam força nos últimos anos.

O CVV (Centro de Valorização da Vida) é a entidade responsável pelas atividades de conscientização sobre o suicídio no Brasil. A entidade promove a campanha “Você não está sozinho. Falar é a melhor solução”, que se intensifica durante o mês de setembro. A intenção é estimular as pessoas que precisam de apoio a procurar os serviços gratuitos e voluntários da instituição.

Em Curitiba, a capital paranaense, 100 pessoas são vitimadas pelo suicídio ao longo de um ano; muitas delas pulam do alto de edifícios. A partir dessa informação, surgiu a ideia de transformar os ônibus da cidade em mídias móveis. A frota municipal da URBS (Urbanização de Curitiba), empresa responsável pelo transporte público da cidade, foi adesivada com mensagens de apoio que pudessem ser vistas do alto. A comunicação foi desenvolvida pela agência de publicidade 433 AG. O birô MG3 Delta imprimiu as frases em rolos de vinil branco VS Quali, doados pela VinilSul. A mídia é indicada para aplicações promocionais internas e externas de curta duração. Além disso, pode ser impressa com tinta digital (solvente, ecossolvente e UV) e tinta serigráfica.

Se você precisa ou quer ajudar alguém, procure o CVV. O centro disponibiliza serviços grátis e sigilosos, e as conversas podem ser feitas por telefone (188), e-mail ou chat (24 horas).

Fonte: Vinilsul



Impressoras Mimaki UCJV estampam rótulos de BOPP e papéis

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 10/04/2018
Materiais da Arconvert foram impressos durante a Expoprint 2018

Materiais da Arconvert foram impressos durante a Expoprint 2018

A Mimaki, fabricante de impressoras, e a Arconvert, especializada na produção de filmes e papéis autoadesivos, desenvolveram soluções de rótulos para o mercado de flexografia. Os materiais criados pelas empresas foram expostos durante a Expoprint 2018, feira que ocorreu entre os dias 20 e 24 de março, no Expo Center Norte (São Paulo).

Os rótulos de BOPP e papéis foram estampados por meio de equipamentos Mimaki da série UCJV, composta por máquinas UV LED de impressão e recorte.

Com 1,60m de largura e quatro ou sete cores de tinta, os equipamentos são indicados para a produção de etiquetas, decalques, mídias para janelas, gráficos de piso, displays, envelopamento de veículos, embalagens e protótipos.

O modelo UCJV300-160 disponibiliza a impressão em quatro camadas (por exemplo: cor, branco, preto, branco), tecnologia que permite a criação de imagens diferencias e dinâmicas em aplicações retroiluminadas.

Fonte: Mimaki Brasil



Mimaki ganha certificado "skin-safe"

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 24/05/2013

A Mimaki, fabricante de impressoras digitais, anunciou que sua série de tintas sublimáticas SB300 (para equipamentos TS500-1800) recebeu a certificação da Centexbel. Com o selo, fica comprovado que o insumo não faz mal à pele, caso entre em contato com ela. De acordo com os representantes da marca, isso é importante para aplicações nas quais a tinta pode encostar na pele, como em peças de vestuário, por exemplo.

"Estamos muito satisfeitos com esta certificação", disse Mike Horsten, gerente geral de marketing da Mimaki. "Nossos produtos para estamparia têxtil foram recebidos muito bem pelo mercado, e acreditamos que esse selo vai nos ajudar a ganhar ainda mais credibilidade", completou Horsten.

"Agora, nossos clientes podem se sentir confortáveis para criar seus projetos para vestuário com impressão digital, sem qualquer preocupação com danos aos usuários finais", concluiu o gerente.

Selo garante que as tintas sublimáticas podem entrar em contato com a pele, sem prejudicá-la

Selo garante que as tintas sublimáticas podem entrar em contato com a pele, sem prejudicá-la

Fonte: Output Magazine