Eagle TX 130 é nova impressora DTG

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/09/2018
Máquina pode conter várias mesas de impressão

Máquina pode conter várias mesas de impressão

A Ser.Tec., fabricante italiana de máquinas para estamparia serigráfica e digital, apresentou na Europa o Eagle TX 130, equipamento DTG (direct-to-garment) cuja área de impressão que pode agrupar várias mesas de tamanhos diferentes, de acordo com as necessidades do cliente. Uma das possibilidades, por exemplo, é a configuração de 18 mesas no formato A4.

De acordo com a empresa, as mesas centrais da impressora contam com um sistema deslizante que permite que elas sejam extraídas da máquina enquanto durante a operação, para que sejam descarregadas e recarregadas, o que diminui tempos de espera e paradas.

Uma mesa opcional de 130cm x 150cm pode ser instalada para a impressão de materiais pré-cortados e tecidos em geral.

Disponível em configurações de quatro cores ou quatro cores e branco, o Eagle TX 130, assim como todas as demais impressoras da linha Eagle, é controlável remotamente com por meio de um tablet dedicado.

Assista ao vídeo (em inglês) sobre a nova impressora abaixo:



Ampla lança impressora UV LED com tinta branca

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/03/2019
Elite FB 2514HD estreou na Fespa Brasil 2019

Elite FB 2514HD estreou na Fespa Brasil 2019

A Ampla, fabricante nacional de impressoras digitais, esteve na Fespa Brasil 2019, onde lançou o Elite FB 2514HD, equipamento UV LED com tinta branca.

Plana, a Elite FB 2514HD vem com 3 ou 6 cabeças industriais Gen5 e possui sistema de circulação para evitar a decantação da tinta branca. Outro diferencial da máquina é a impressão de alta definição, na resolução de 1200dpi (e 7 picolitros).

A impressora foi projetada para produzir aplicações em materiais flexíveis e rígidos com até 8cm de espessura e dimensões de 1,25m x 2,50m. Além disso, permite estampar mídias sensíveis ao calor.

Com a tinta branca é possível imprimir em substratos transparentes ou com fundo escuro e colorido. O equipamento também permite a impressão com acabamento em relevo.

Fonte: Ampla Digital



Como adesivar superfícies com rebites

Por Eduardo Yamashita em 03/11/2015
Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Além de fácil de aprender, a aplicação correta de imagens sobre rebites aumenta a velocidade da instalação e melhora a aparência do resultado.

Bastante recorrente no mercado, a adesivação de rebites normais em chapas lisas ou corrugadas será o foco deste artigo técnico. Com o método demonstrado, é possível obter resultados virtualmente perfeitos. Para tanto, o vinil deve ser aplicado de acordo com a forma de rebite e sem bolhas de ar e rugas. Todo adesivo deve ficar em contato com a superfície, e deve permanecer assim.

Observação: assim como o cast, o vinil calandrado pode ser capaz de se conformar a rebites, porém ele não ficará por muito tempo moldado nessas regiões.

Limpeza

A superfície deve ser devidamente limpa e completamente seca. Use as as seguintes soluções:

  • xilol ou similar: para contaminantes inorgânicos (gordura e graxa);
  • detergente neutro e água: para contaminantes orgânicos (terra, lama e partículas sólidas);
  • álcool isopropílico 70%: para limpeza final.

Com um pano (toalha), molhe e esfregue para remover a sujeira. Depois, antes da evaporação, seque com um segundo pano. É muito comum haver umidade por trás dos rebites. Isso acontece por causa da chuva ou da lavagem dos caminhões. Consequentemente, os fluidos remanescentes na traseira dos rebites devem ser removidos. Para tanto, aqueça as cabeças dos rebites e as áreas circundantes com um soprador térmico ou maçarico de propano até que todo líquido tenha evaporado. Em seguida, o vinil deve ser aplicado a seco e sem a utilização de fluidos de aplicação ou agentes umedecentes.

Método padrão de aplicação

Depois da limpeza dos rebites, realize a instalação seguindo os passos abaixo:

Espatule o vinil em paralelo à menor dimensão da imagem. Mantenha a imagem sempre esticada e pressione firmemente a espátula. Quando espatular sobre o rebite, alinhe o centro da espátula com o rebite, para que o vinil fique em contato com toda a superfície. Aplique e alise o vinil e empurre o ar para fora.
O resultado desejado é uma pequena bolsa de ar em torno de cada rebite. Depois de toda a imagem ter sido espatulada, se houver máscara de transferência, remova-a com cuidado em ângulo de 180 graus.
Corte o vinil sobre todas as emendas das chapas do caminhão. Use também um furador de bolhas, para permitir a saída do ar. Perfure vários pequenos buracos ao redor de cada rebite.
Use uma escova de rebite para pincelar em movimento circular, começando pelas bordas das bolhas de ar no vinil solto ao redor de cada rebite. Em espiral, siga em direção ao rebite. Leva apenas uma ou duas revoluções para empurrar para fora a maior parte do ar. Essa é “escovação” a frio, pois não há calor. Em seguida, use um soprador térmico (pistola de calor) ou maçarico de propano (não muito comum) e aqueça a região do rebite. Note que o vinil solta um pouco.
Escove novamente. Calor em excesso danifica o vinil. Se aquecê-lo demais, deixe-o esfriar antes de escovar. Repita o aquecimento e a escovação (geralmente três ou quatro vezes) até que todo o ar tenha saído. Em cada repetição, use mais calor e mais força na escovação.
Uma vez que todo o ar for retirado, use o calor novamente e centralize a escova na parte superior do rebite; esfregue-o com firmeza. A aparência final será similar a uma pintura.

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual