Wasatch lança versão 7.4 do SoftRIP

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/11/2016
SoftRIP 7.4 vem com novas ferramentas e funções para fluxo de trabalho e garment printing

SoftRIP 7.4 vem com novas ferramentas e funções para fluxo de trabalho e garment printing

A Wasatch, desenvolvedora de softwares, anunciou a versão 7.4 do SoftRIP, aplicativo dedicado a impressão de grandes formatos. Uma das principais ferramentas do novo RIP é a Automation Option, que permite configurar a escala de produção em uma ou várias impressoras em uma pequena rede local ou pela internet.

A nova versão do SoftRIP também possui uma interface simplificada projetada para imprimir etiquetas. Funções dedicadas são encontradas na tela principal juntamente com as ferramentas de gerenciamento de cores.

Na nova edição do aplicativo, filas de impressão podem ser excluídas automaticamente. Todas as entradas podem ser limpas rotineiramente ao iniciar o SoftRIP através da configuração Management Tools. Além disso, as filas podem ser bloqueadas e protegidas por senha. Isso significa que os gerentes de produção podem manter de forma segura as filas do SoftRIP e manter ou excluir entradas conforme necessidade.

A Wasatch também adicionou ferramentas para gerenciar a impressão de tinta branca em roupas escuras. Trata-se de uma função especialmente desenvolvida para empresas que trabalham com equipamentos de impressão inkjet direta em vestuário. Com ela, os operadores podem gerar automaticamente tinta branca em arquivos que contêm transparência. Isso pode reduzir o tempo de preparação de arquivos e aumentar a confiabilidade da impressão.

A Wasatch afirma ainda que adicionou diversos novos drivers para impressoras como Mutoh 1938TX, Mimaki TS300P, MS JP3, Epson P10000 e P20000.

Fonte: Wasatch



Calcgraf disponibiliza versão gratuita de sistema de orçamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/03/2018
NetCalc pode ser acessado por dispositivos móveis

NetCalc pode ser acessado por dispositivos móveis

A Calcgraf, desenvolvedora de softwares de orçamento, anunciou uma versão gratuita do NetCalc, sistema em nuvem que pode ser acessado por smartphones, tablets e notebooks.

A ferramenta oferece regras de cálculo personalizáveis e permite a definição de quesitos como aproveitamento de mídia e consumo de insumos. Possibilita, também, a escolha do processo de impressão mais adequado e considera tempos de produção. Além disso, contempla cálculos para impressão digital e envia as propostas de orçamento ao cliente por e-mail.

O NetCalc pode ser integrados a outros módulos de gestão da Calcgraf: Produção, Faturamento, Financeiro, Suprimentos, Fiscal, PCP, Pós-Cálculo e Gerencial.

A versão gratuita do NetCalc suporta até 3 vendedores, 1 usuário ativo por vez, 99 clientes cadastrados e até 20 orçamentos gravados por mês. Para maiores volumes e integração com os demais módulos, pode-se optar por planos a partir de R$99,00 por mês.

Fonte: Calcgraf

Tags: Calcgraf, NetCalc,


Dicas para produção de sublimação por calandra

Por João Leodonio em 04/03/2018
Calandra pode aumentar a produtividade, desde que bem utilizada

Calandra pode aumentar a produtividade, desde que bem utilizada

A sublimação por calandra é o processo de transferência de imagens realizada por equipamentos cilíndricos que produzem de forma ininterrupta. Pode ser direta ou realizada por meio de rolos de papel impresso.

Há duas formas de estampagem na sublimação por calandra: imagem localizada ou imagem corrida cobrindo toda a área do papel (posterior do tecido). Nos dois casos, pode-se utilizar o rolo de tecido ou o tecido já cortado.

A sublimação por calandra é uma excelente opção para quem quer sublimar tecidos em rolos e estampas corridas exclusivas, pois trata-se de um processo que oferece velocidade de produção rápida. É também uma boa opção para estampas localizadas e com o corte já feito. Antes de adquirir uma calandra, recomenda-se analisar a relação custo x benefício e compará-la com o processo folha a folha de prensa plana.

Cuidado: papéis e tecidos já cortados podem enrugar durante o processamento na calandra

Limites de largura

As larguras são estipuladas de acordo com o tecido e a estampa (dimensionada com a produção). As mais comuns são 1,20m; 1,50m; 1,60m e 1,80m, mas há exceções.

Tipo de tecido

Quanto à composição do tecido, o ideal é 100% poliéster ou composto com outro tipo de fio com alta quantidade de poliéster. O tecido tubolar não pode ser utilizado em função de seu tipo de fabricação.

Problemas

Papéis ou tecidos já cortados podem enrugar no processo e causar problemas de estrias. Eles também podem sair do lugar, e a estampa será transferida erroneamente. Portanto, é prudente evitar passar na calandra papel e tecido já cortados.

Quando se utiliza rolo de tecido e papel impresso, um dos problemas mais comuns é a falta de tensão por igual nos lados da calandra. Neste caso, a habilidade do operador faz toda a diferença. Além do acerto inicial, é preciso atentar-se durante todo o processo, para evitar que não aconteçam falhas na sublimação.

Quando o serviço colocado em máquina não está no rolo ou as imagens estão para fora do tecido (sangria), a manta de apoio da calandra pode manchar. O ideal é passar, entre o tecido e a manta, um papel kraft de 100g/m2, para ele absorver o excesso de tinta e proteger a manta.

Regule corretamente as varáives do processo, para evitar falhas e retrabalhos

Temperatura e velocidade

São as variáveis que limitam o processo e o tipo de tecido utilizado. Para sublimar alguns tipos de tecido, é preciso mudar as regulagens de temperatura e velocidade porque elas podem alterar a estrutura do fio.

Com a necessidade de maior produtividade, algumas empresas aumentam a velocidade da passada. Porém, se ela for superior ao mínimo para um serviço de qualidade, poderá acontecer falhas causadas pela pouca transferência e pouca exposição, como manchas mais claras. O ideal de velocidade é de 1 a 3 m/min.

Quanto à temperatura, a média é de 200ºC. O ideal é variar entre 195ºC e 220ºC. O recomendado é ajustar essa variável de acordo com o tipo de tecido, pois há materiais que não suportam temperaturas muito altas. Porém, deve-se observar a qualidade do serviço em temperaturas mais baixas.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático