Mactac lança filme para laminação com propriedade antigrafite

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/11/2019
PermaGard SAG 38 é indicado para janelas e vidros

PermaGard SAG 38 é indicado para janelas e vidros

A fabricante Mactac anunciou o lançamento da PermaGard SAG 38, película de laminação que pode ser usada para proteger vinis perfurados colados em janelas e vidros.

Indicado para instalações externas de curto prazo e instalações internas de até cinco anos, o filme tem propriedade antigrafite e protege contra sujeira, umidade, abrasões leves, desbotamentos causados por raios UV e outros riscos ambientais.

De poliéster brilhante, o filme tem 1,5mil e é revestido com adesivo acrílico opticamente transparente. Além disso, vem com liner de PET de 1,5mil.

Jeff Stadelman, gerente de marketing da Mactac, declarou: “Os clientes procuram a combinação perfeita de preço e funcionalidade em um laminado para aplicações de janelas, e o filme PermaGard SAG 38 atende a esses requisitos”.

O PermaGard SAG 38 pode ser limpo com a maioria dos produtos de limpeza.

Fonte: Mactac



Esko Kongsberg chega aos 50 anos

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/05/2015

Ao longo de 50 anos, a fabricante acumulou conhecimento de tecnologia de ponta

Ao longo de 50 anos, a fabricante acumulou conhecimento de tecnologia de ponta

A Esko Kongsberg, fabricante de sistemas de acabamento digital com milhares de instalações em todo o globo, comemorou recentemente 50 anos.

A empresa começou fabricando mesas de desenho para produzir peças-teste para a construção de navios. O portfólio foi expandido e passou a incluir equipamentos para gravação de clichês de impressão de mapas. Nos anos 1980, as mesas de desenho Kongsberg começaram a ser usadas em empresas de sinalização e embalagem.

Atualmente, o portfólio de produtos Kongsberg vai da série XE (mesa de formato pequeno) até a série XN (com maior versatilidade e robustez). As últimas adições à família Kongsberg são a série V (de entrada) e a série C (para produtividade de formato muito grande).

Udo Panenka, presidente da Esko, declarou: "Nossos equipamentos de acabamento digital são atualmente utilizados para produção em massa de produtos e não apenas na confecção de protótipos ou amostras. Por isso, estamos direcionando grande parte de nossas pesquisas para o aumento da produtividade e da industrialização".

Fonte: Esko



Epson cria laboratório e centro de pesquisa de impressão digital têxtil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 14/12/2016
Espaços foram criados em colaboração com a For.Tex e a F.lli Robustelli

Espaços foram criados em colaboração com a For.Tex e a F.lli Robustelli

A Epson, fabricante de impressoras digitais, anunciou a criação de dois departamentos específicos para pesquisa e desenvolvimento de tecnologia de estamparia digital têxtil. São um centro de pesquisa de impressão e um laboratório de pesquisa de inovação, ambos com base na Itália.

Criado junto com For.Tex, o laboratório de pesquisa de inovação objetiva desenvolver novas tintas para impressão digital para diversos substratos. Segundo a empresa, o ambiente está equipado com tecnologias de ponta e conta com uma equipe de tecnólogos e pesquisadores.

Sediado na planta da F.lli Robustelli, empresa adquirida pela Epson, o centro de pesquisas de impressão tem como objetivo auxiliar o desenvolvimento de dispositivos inkjet, para garantir o desenvolvimento contínuo das impressoras têxteis da Epson.

A Epson, a F.lli Robustelli e a For.Tex agem em colaboração desde 2003, quando lançaram a impressora digital Monna Lisa. Em 2014, criaram o Textile Solution Center (TSC), centro para desenvolvimento e promoção da estamparia digital têxtil no mundo. Para estabelecê-lo, foram gastos 2 milhões de euros, investimento empregado para a construção de uma instalação de 3 mil metros quadrados que oferece oportunidades de reproduzir todo o processo industrial de impressão digital em tecidos, incluindo etapas como pré-tratamento, vaporização, lavagem, secagem e acabamento.

De acordo com a empresa, tecnologias digitais para imprimir imagens, padrões e efeitos visuais em tecidos crescem rapidamente e substituem tecnologias analógicas em diversas áreas. Em 2014, aproximadamente 31 bilhões de metros quadrados de tecido foram impressos no mundo, dos quais aproximadamente 3% foram produzidos usando tecnologias digitais, segundo a Provost Ink Jet Consulting Ltd. De 2015 a 2019, espera-se que o volume de impressão digital têxtil aumente cerca de 17% ao ano, de acordo com a World Textile Market Outlook.

Fonte: Epson