Feira FuturePrint 2019 prepara Circuito de Impressão Digital Têxtil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/06/2019
Iniciativa apresenta o passo a passo de uma estamparia digital têxtil

Iniciativa apresenta o passo a passo de uma estamparia digital têxtil

A FuturePrint 2019, feira sucessora da Serigrafia Sign, será realizada entre os dias 10 e 13 de julho, no Expo Center Norte, em São Paulo (SP). Entre seus atrativos estará o Circuito de Impressão Digital Têxtil, o Future Têxtil, espaço que apresentará o processo produtivo da estamparia digital, que contempla a pesquisa de mercado, o desenvolvimento do produto, a preparação da imagem a ser impressa, a preparação do tecido, a escolha da impressora, o acabamento do tecido e a entrega do produto finalizado.

Voltado para empresários e profissionais de criação, desenvolvimento, produção e mercado da indústria têxtil, o Circuito é um projeto elaborado pela feira FuturePrint, com a curadoria de Sarah Rodrigues Caldas Falleiros (da PanoRama) e Pedro Dupláa S. Ferreira e José Herculano Ferreira (da ArtZone – Arte e Tecnologia).

O curador declarou: “A iniciativa tem como principal objetivo apresentar de forma prática e fácil o funcionamento de uma estamparia digital têxtil, destacando cada etapa do processo de produção e os elementos que compõem o produto final, desde a criação até o acabamento. É uma oportunidade bastante interessante para entender e aprender mais sobre o setor, suas particularidades e oportunidades de mercado”.

Na quarta-feira, dia 10 de julho, a abertura do Circuito ocorre às 13h50, com o tema “Do design à produção”. Na palestra serão apresentadas informações sobre impressão em tecido, briefings e tendências em design de estampas. Em seguida, uma mesa redonda discutirá como quebrar paradigmas no relacionamento entre as equipes de criação e de produção.

Na quinta-feira, 11 de julho, as pautas serão a “Indústria do Futuro”, a digitalização do mercado têxtil, a evolução tecnológica dos equipamentos e a “Confecção 4.0”. O participante poderá acompanhar duas mesas redondas: “Sustentabilidade na Indústria Têxtil – Tendências e Certificações” e “Review Feira ITMA 2019 - Tendências Tecnológicas na Indústria Têxtil”.

Na sexta-feira, 12 de julho, o Fórum tratará da “Estamparia Digital x Estamparia Analógica”, além de cenários e tendências do mercado de impressão digital têxtil e técnicas em impressão digital. Para encerrar o dia, haverá um talk show com empreendedores de estamparia digital.

No sábado, 13 de maio, o fórum terá como tema a diversificação dos negócios, com dicas de como escolher o equipamento mais adequado para atender o fluxo de trabalho na impressão digital têxtil. Outros tópicos abordados são: modelos de estamparias para confecções, como ganhar dinheiro com sublimação e apresentação de um case de sucesso de como obter diferenciação no mercado têxtil.

Liliane Bortoluci, diretora da feira, declarou: “Além de apresentar as tecnologias em ação para os participantes da FuturePrint, queremos discutir os principais desafios desse segmento e promover o networking profissional”, destaca.

Fonte: FuturePrint



Substratos não tecidos usados para sublimação

Por João Leodonio em 10/04/2018
Com o processo sublimático, é possível estampar dezenas de mídias e objetos

Com o processo sublimático, é possível estampar dezenas de mídias e objetos

Além dos tecidos com poliéster, é possível sublimar muitos outros tipos de substratos, desde que sejam resistentes a temperaturas superiores a 200ºC. Outra característica fundamental dessas mídias é que elas apresentam uma camada superficial de resina à base de poliéster, cuja função é fixar a sublimação. Portanto, o substrato não é sublimado, mas sim a resina aplicada na superfície dele.

Além de substratos planos, o processo sublimático permite estampar materiais e objetos curvos e com formatos diversos, como canecas, copos, porta-retratos, relógios, chaveiros, squeezes, tapetes, placas, descansos de panelas, caixas de presente, quebra-cabeças, entre outros.

A despeito do surgimento contínuo de novos substratos passíveis de receber a sublimação, os materiais mais comumente utilizados no mercado são: cerâmica, metais, madeiras, pedras, EVA, borracha, vidros, cartões, PVC e alguns polímeros.

Cuidados

- Antes de sublimar, limpe os substratos com produtos indicados pelo fabricante. Elimine qualquer tipo de impureza oriunda do manuseio e da aplicação de resina;

- Obedeça o tempo e a temperatura indicados pelos fabricantes. Essa relação varia de acordo com o tipo de substrato;

- Faça uma inspeção visual no ato da compra do produto para detectar possíveis falhas provocadas na aplicação da resina;

- Para sublimar em prensas planas, recomenda-se o uso de um gabarito de altura para cada substrato. Há materiais, como azulejos e vidros, que são muito sensíveis à pressão da prensa. Com os gabaritos, é preciso fazer apenas o ajuste fino, o que evitará perdas desnecessárias;

- Para todos os casos, indica-se o uso de fita adesiva térmica específica para a fixação do papel ao substrato. Não utilizar outros adesivos, pois corre-se o risco de manchar o produto.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático 

 



Orafol lança mídias de sinalização veicular

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 20/11/2014

Material faz parte da linha Oralite

Material faz parte da linha Oralite

A Orafol, fabricante de materiais adesivos, anunciou no mercado internacional uma nova versão do filme Oralite para sinalização de veículos.

O material é uma atualização de uma película precedente , a Chevron, vendida nas cores vermelha e limão fluorescente. Além de reflexão microprismática, o novo filme possui propriedades de visibilidade e é fácil de ser aplicado.

Sylvia Lucht, diretora de marketing de soluções reflexivas da Orafol, declarou: "Esse material oferece flexibilidade e certamente facilita o trabalho dos instaladores, sem comprometer a visibilidade. Ele possui excelentes propriedades reflexivas e fluorescentes, tanto de dia quanto de noite".

A nova película Oralite não exige vedação. Além disso, molda-se às curvas dos veículos e é certificado TPESC B 13233.

Fonte: Large Format Review