Transfer em camiseta: como aplicá-lo com filme PU (impressão digital)

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/01/2013

Veja, passo a passo, como se faz transfer com filme PU

Veja, passo a passo, como se faz transfer com filme PU

Você tem uma impressora solvente (grande formato) e uma plotter de recorte? Ou mesmo um equipamento com as duas tecnologias conjugadas? Uma boa pedida para ambos os casos é o transfer, em camiseta, realizado com filme de PU. Para trabalhar com ele, não tem muitos segredos.

Confira, na galeria a seguir, como fazer a transferência com filme de PU (indicado para tecidos sintéticos). O material utilizado para o procedimento foi o PUFilm, da Imprimax, que é indicado para aplicações de curto ou médio prazo. O frontal, que tem aparência fosca e sem textura, é de PU branco (com 120 micra de espessura). Já o liner (papel protetor) é de poliéster (com 75 micra).

Fonte: Imprimax. Edição: InfoSign



Brasileiro fica em segundo lugar em concurso internacional promovido pela Roland DG

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/11/2015
Competição reuniu no Japão os melhores profissionais de todas as assistências técnicas autorizadas da Roland no mundo

Competição reuniu no Japão os melhores profissionais de todas as assistências técnicas autorizadas da Roland no mundo

Entre os dias 20 e 22 outubro, na sede japonesa da Roland DG Corporation, em Hamamatsu, técnicos do mundo inteiro participaram da final do Global SE Award 2015, competição de engenheiros de serviço responsáveis pela reparação e manutenção de equipamentos da fabricante nipônica. O campeão foi Terry Carpenter, dos Estados Unidos. Em segundo lugar ficou o brasileiro Alexandre Geraldi. O posto de terceiro lugar foi ocupado por Peter De Bont, da Bélgica.

O Global SE Awards foi criado em 2008 entre as assistências técnicas japonesas. Em 2013, foi expandido para todas as subsidiárias Roland DG. No processo, são selecionados técnicos de serviços para concorrer ao título mundial, no Japão, onde os profissionais têm de colocar em prática habilidades e conhecimentos sobre equipamentos da marca.

Realizadas entre fevereiro e agosto de 2015, as etapas regionais tiveram a participação de 449 técnicos de 50 países, dentre os quais 21 profissionais foram selecionados. A etapa final foi composta por três desafios: substituição de cabeças de impressão, reparação de máquinas quebradas e exame escrito.

Alexandre Geraldi recebe troféu de executivo da Roland DG, no Japão
Alexandre Geraldi recebe troféu de executivo da Roland DG, no Japão

Somente concorreram ao Global SE Award profissionais que possuem certificação técnica da Roland DG. Para se tornar um certificado, é necessário passar por treinamento específico, que inclui exames práticos e escritos.

A Roland DG também está desenvolvendo um sistema on-line, para que as assistências técnicas autorizadas troquem informações, ajudando assim umas as outras. Futuramente, a empresa pretende unificar o sistema com o Global SE Award, para criar um banco de informações único.

Takaaki Koshita, gerente geral de serviços técnicos Roland DG Japão, declarou: “Com a promoção das etapas nacionais, buscamos desafiar os conhecimentos e as habilidades técnicas de cada profissional, que foram conquistadas com seu trabalho diário, e incentivá-los a compartilhá-las com seus colegas. Atendimento ao cliente e suporte são cada vez mais importantes, tanto para diferenciar a marca no mercado quanto para gerar confiança em seus produtos. Por isso, a missão da Roland DG é fornecer serviços de manutenção padronizados em todo o mundo”.

Fonte: Roland DG Brasil



Ricoh lança tinta digital látex à base d’água e resina

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/09/2016
Tintas recém-desenvolvidas pela Ricoh curam com mais rapidez

Tintas recém-desenvolvidas pela Ricoh curam com mais rapidez

A Ricoh, fabricante de impressoras digitais, anunciou no mercado internacional uma nova tinta látex à base d’água e resina, desenvolvida principalmente para oferecer tempo de cura reduzido. Depois de setembro, os atuais usuários de tecnologia Ricoh passarão a usar a tinta látex resinada, que, segundo a empresa, também custará menos e terá maior vida útil.

Além de curarem mais rapidamente, o que reduz o tempo de acabamento e entrega, as tintas látex permitem a impressão em diversas mídias de grande formato, como tecidos, papéis, backlits e vinis.

Ainda de acordo com a empresa, como a qualidade de cor das tintas látex tem melhorado nos últimos anos, muitos birôs começaram a empregá-la, estimulados também pelas vantagens ambientais que elas oferecem.

John Fulena, vice-presidente da divisão Production Printing Business da Ricoh USA, declarou: “Estas novas tintas aquosas de resina possibilitam curas mais rápidas e oferecem excelente saída de impressão, e fazem tudo isso a um preço menor do que as tintas antecessoras. Os birôs poderão usar esse dinheiro economizado para reinvestir em novas capacidades, ajustar preços para aumentar a competitividade ou simplesmente obter maiores lucros”.

Fonte: Ricoh