Bordeaux Digital lança bulk ink para Epson Stylus Pro GS6000

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/03/2013

A Bordeaux Digital, fabricante de tintas digitais, anunciou no mercado internacional o lançamento de uma solução bulk ink para a impressora Epson Stylus Pro GS6000.

A solução inclui bolsas de tinta ecossolvente Bordeaux Mix & Match e um sistema de chips que substitui os dispositivos originais (da Epson).

Bulk ink da Bordeaux para Epson Stylus Pro GS6000

Bulk ink da Bordeaux para Epson Stylus Pro GS6000

As bolsas têm 1000ml de insumo, e são vendidas em duas combinações de cores: CMYK duplo ou CMYK, Lc, Lm, laranja e verde.

O bulk ink permite o monitoramento do nível de tinta e também alerta o usuário para as substituições das bolsas do insumo.

Segundo a fornecedora, as tintas são compatíveis com uma variedade grande de substratos. Além disso, a tinta amarela é isenta de níquel.

Fonte: Bordeaux Digital. Texto: InfoSign



Gandy Digital abre fábrica de impressoras na Europa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 02/12/2015
Planta abriga showroom e linhas de montagem

Planta abriga showroom e linhas de montagem

A Gandy Digital, fabricante canadense de equipamentos de impressão de grande formato, inaugurou uma planta fabril na cidade de Zaventem, na Bélgica. Com mais de 2 mil metros quadrados, o local possui escritórios e showroom, além de linhas de montagem e espaço para armazenamento.

Na área de demonstrações, os clientes podem fazer treinamentos e testes, que ajudam a fabricante a desenvolver impressoras e configurações específicas para as necessidades dos birôs da região.

De acordo com a empresa, entre as impressoras que já estão em exibição na nova planta da Gandy Digital está a Gladi8tor, com tecnologia UV e sistema plano de alimentação de substratos. A máquina também emprega configuração em linha de cabeças de impressão e pode produzir na velocidade de 240m²/h.

Shmulik Lazgiel, diretor da Gandy Digital EMEA, declarou: “Com o sucesso de lançamentos recentes, como a Gladi8tor e a Termin8tor, tivemos a sorte de desfrutar um crescimento significativo na Europa. E para dar continuidade a isso, foi preciso ter uma base fabril maior e mais bem equipada”.

Fonte: Gandy Digital



Ampla recebe alunos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/11/2017
Ricardo Lie, diretor de negócios da Ampla, palestrou para os alunos da UTFPR

Ricardo Lie, diretor de negócios da Ampla, palestrou para os alunos da UTFPR

No dia 23 de outubro, um grupo de 15 alunos do curso de Tecnologia em Design Gráfico da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) visitou a fábrica da Ampla Impressoras Digitais. A turma foi recebida por Ricardo Augusto Lie, diretor de negócios e sócio da Ampla e presidente da CSMEG (Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos Gráficos da Abimaq). Essa é a segunda turma da UTFPR a visitar a Ampla, que recebeu o primeiro grupo de alunos, do mesmo curso, no dia 17 de abril de 2017.

A visita à fabricante de equipamentos de impressão digital foi uma atividade da disciplina Produção Gráfica 2, que contempla processos de impressão e acabamentos gráficos em diversos substratos.

Ricardo Lie iniciou a programação com uma apresentação sobre a história e os equipamentos desenvolvidos pela Ampla, contextualizando a fabricante nacional no cenário brasileiro e global. Além disso, os alunos conferiram o showroom com equipamentos fabricados pela empresa.

Waleska Pacheco, professora que coordenou e acompanhou os alunos durante a visita, declarou: “As visitas técnicas são sempre enriquecedoras, principalmente quando eles conseguem visualizar o processo de produção completo, como no caso da Ampla, onde há o contato desde a fabricação do equipamento até vê-lo em funcionamento. Isso ajuda os alunos a entender melhor o que foi transmitido em sala de aula de forma teórica. Agradeço, em nome da UTFPR, a oportunidade de participar do programa Portas Abertas da Ampla”.

Christian Vinicius Bazyl De Franca, aluno da turma que visitou a fábrica, declarou: “Foi muito interessante. É um pedaço do mercado com o qual não estamos acostumados a conviver e visitar e, por isso, entender como os equipamentos funcionam e como são projetados foi muito importante e enriquecedor”.

Fonte: Ampla