Azonprinter lança impressora Azon Matrix

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/12/2016
Equipamento é capaz de trabalhar com mídias de até 200mm de espessura

Equipamento é capaz de trabalhar com mídias de até 200mm de espessura

A fabricante Azonprinter anunciou no mercado internacional a Azon Matrix, impressora plana UV LED com mesas opcionais nos formatos de 700mm x 1.900mm, 700mm x 25.000mm e 1.200mm x 3.300mm. Capaz de trabalhar com mídias de até 100kg e 200mm de espessura, o equipamento estampa diretamente materiais como PET, ABS, TPU, policarbonato, madeira, pedra, vidro, lona, cerâmica, alumínio e couro.

De acordo com a empresa, a impressora é indicada para empresas de couro, eventos, decoração interna, sinalização e móveis, para a produção de peças como painéis diversos, sinalizações ambientais, displays para bares e restaurantes, entre outras aplicações indoor e outdoor.

Com software Azon RIP e tintas Azon TurboJet, a impressora também possui ferramenta de segurança que detecta automaticamente a espessura de mídia, para evitar que as cabeças sejam danificadas durante a produção. Além disso, um sistema de vácuo mantém as mídias planas e permite a impressão em materiais macios e finos com precisão.

Para manter a produção por longos períodos, a Azonprinter incorpora seis tanques de tinta com 500ml, projetados com sensores de monitoramento. A tinta branca, inclusive, pode ser utilizada como base para a impressão das cores CMYK de alta densidade, para proporcionar texturas diferenciadas às mídias.

A fabricante também disponibiliza um sistema opcional rolo a rolo, o adaptador Azon Rotax, para a impressão de mídias em bobinas.

Fonte: Azonprinter



Vinil adesivo: como realizar instalações bem-sucedidas

Por Eduardo Yamashita em 28/04/2014

Para garantir a aplicação correta do vinil adesivo em carros, vans, caminhões e em qualquer superfície lisa não porosa, a recomendação é seguir os procedimentos descritos abaixo. Por meio deles, é possível obter a instalação profissional de imagens diversas, como nomes, logos e letras.

Etapa 1 – Limpeza da superfície

A melhor maneira de garantir a aplicação da imagem é preparar a superfície, deixando-a limpa. Esse procedimento é uma obrigação. Portanto, certifique-se de que a superfície está limpa e livre de graxa, óleo, insetos e piche. Observe também se ela está enferrujada ou lascada.

Verifique se o veículo foi pintado recentemente. Em caso positivo, antes de prosseguir com a instalação, confirme a recomendação do fabricante sobre o tempo de cura da tinta.

Para a limpeza da superfície, na maioria dos casos, é necessário atacá-la com um líquido de limpeza ou solvente apropriado. No mercado, há uma série de soluções de solventes projetadas para remover gordura e cera.

O segundo passo na limpeza da superfície é remover óleos e umidade restantes (inclusive a umidade escondida em emendas e rebites), que podem gerar falhas e prejudicar a instalação futuramente. Por fim, antes de começar a instalação, execute a limpeza da superfície com álcool isopropílico.

Um dos pontos vitais para a instalação perfeita de vinil é a limpeza correta da superfície

Um dos pontos fundamentais para a instalação perfeita de vinil é a limpeza correta da superfície

Etapa 2 – Controle do ambiente de trabalho

Para garantir a aplicação correta, realize a instalação do vinil adesivo em temperatura média (nem muito quente nem muito fria). Segundo especialistas, o ambiente ideal deve ficar entre 18ºC e 25ºC. O vinil até pode ser instalado em locais com temperaturas abaixo de 10ºC ou de até 35ºC. Porém certamente o aplicador terá muito mais dificuldade para trabalhar com as devidas propriedades do vinil.

Temperatura, umidade e luz solar podem afetar a instalação da imagem. A temperatura ideal varia conforme o instalador e o tipo (fabricante) de vinil. Enquanto alguns preferem 20ºC, outros preferem temperaturas mais baixas. Se estiver muito quente, o vinil pode aderir à superfície rápido demais, diminuindo o tempo para reposicionar a imagem.

A umidade muito alta pode amolecer o vinil e umedecer o suporte de papel (liner), o que torna a sua remoção mais difícil. A falta de umidade, no entanto, provoca a formação de bolhas, pois o vinil fica mais rígido, isso dificulta a espatulação.

Empregar aplicação úmida é uma das maneiras mais eficazes de lidar com o calor e a umidade. Ela resfria a superfície e permite ao instalador reposicionar o vinil antes que ele seja aplicado. Instaladores experientes preferem usar a técnica a seco, pois a úmida tende a ser mais demorada por exigir a remoção da água.

O controle das variáveis ambientais melhora as condições da aplicação do vinil adesivo

O controle das variáveis ambientais melhora as condições da aplicação do vinil adesivo

CUIDADO: O uso demasiado de sabão impedirá a adesão do vinil à superfície. Ele deve ser o suficiente para "quebrar" e suavizar a superfície da água. Lembre-se também que, quanto mais água você usar, mais água você terá de remover após a aplicação.

Evite empregar a técnica de instalação úmida nas seguintes condições:

  • Aplicação em rebites e emendas: levará muito tempo para que a água saia dessas áreas. A umidade por trás do vinil faz ele levantar com o tempo;
  • No inverno e em temperaturas mais frias: o tempo mais fresco retarda a evaporação da água.

A instalação de imagens impressas em vinil adesivo pode parecer difícil, mas com prática e paciência, vale a pena. O vinil é um meio barato de publicidade e oferece a capacidade de fazer alterações facilmente.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Fujifilm inaugura fábrica de tintas digitais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 28/01/2013

A planta tem 1800 metros quadrados

A planta tem 1800 metros quadrados

Tradicional fabricante de insumos para impressão digital, a Fujifilm acaba de anunciar a inauguração de uma nova planta em Broadstairs, no Reino Unido. Segundo a empresa, foram gastos mais de quatro milhões de euros para o planejamento e desenvolvimento da construção, além de um adicional de dois milhões e meio de euros para a atualização do departamento de pesquisa e desenvolvimento da fábrica. Ao todo, foram dois anos para a implementação do projeto.

O novo edifício tem 1800m2 e foi construído para aumentar em 56% a produção anual de tintas da empresa, para atender às novas demandas do mercado, que está migrando cada vez mais dos sistemas analógicos (serigrafia, por exemplo) para os digitais.

A fábrica tem a capacidade de produzir seis mil toneladas anuais de tinta, que depois é embalada e vendida em frascos, bolsas ou cartuchos, dependendo do modelo de impressora no qual ela será utilizada.

Mais de 340 empregados trabalham na planta e 80% deles estão envolvidos com pesquisa e desenvolvimento de tintas digitais.

Mais de 340 empregados trabalham na nova fábrica da Fujifilm

Mais de 340 empregados trabalham na nova fábrica da Fujifilm

Colin Boughton, diretor de operações da Fujifilm, comentou: "Nós planejamos tudo meticulosamente, levando em conta a nossa liderança na tecnologia de tintas digitais. Precisávamos ter equipamentos de ponta para garantir uma produção de alto nível, além de ter de aumentar o nosso volume".

Segundo a empresa, todo o projeto faz uso de métodos e processos produtivos que reduzem impactos ambientais. A fábrica emprega, por exemplo, uma caldera que consome 40% a menos de combustíveis fósseis que os sistemas mais convencionais de aquecimento.

Além disso, apenas 7% dos refugos gerados pela fábrica vão para aterros; 23% do lixo retorna como combustível. O restante, 70%, é reciclado. Isso significa que 93% do lixo é reusado de alguma forma.

A fábrica é certificada nas normas ISO 14001 e ISO 9001. E no meio de 2013, a empresa promete a certificação OHSAS 18001, voltada para saúde e segurança no trabalho.

Fonte: Fujifilm. Texto: InfoSgin