Mimaki anuncia nova impressora têxtil TS55-1800

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/09/2018
TS55-1800 foi apresentada na Europa

TS55-1800 foi apresentada na Europa

A Mimaki anunciou no mercado europeu o lançamento da TS55-1800, impressora sublimática de grande formato indicada para produções de médias tiragens. A máquina vem equipada com dispositivos de operação contínua, como a tecnologia de verificação de nozzles e o sistema de recuperação.

Capaz de imprimir com a resolução de 480x600dpi e alta densidade de tinta, o equipamento poder rodar na velocidade máxima de 140m2/h. Além disso, conta com o exclusivo Mimaki Advanced Pass System (MAPS4), que melhora a qualidade da impressão e elimina a formação de bandings.

Um dos diferencias da TS55-1800 é o opcional Mini Jumbo Roll, dispositivo que pode alimentar continuamente 2.500 metros lineares de papel transfer. Isso permite o uso de rolos maiores de substrato, o que pode economizar mais de 20% no custo da mídia.

A impressora também é equipada com o sistema de verificação e recuperação de nozzles e tanques de tinta de 10 litros, que garantem operação contínua e impressão sem supervisão durante a noite.

Bert Benckhuysen, gerente sênior de produtos da Mimaki Europe, declarou: “Acreditamos que a TS55-1800 contribuirá enormemente para a atual transformação analógico-digital em andamento no setor têxtil”.

Em setembro e outubro, a impressora será exibida em diversas feiras europeias.

Fonte: Mimaki Europe



Cobertura Serigrafia Sign 2013 – Parte 2: Corte, gravação e acabamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/07/2013

Além das impressoras digitais, vários outros equipamentos fizeram parte da feira Serigrafia Sign 2013. Entre eles, os dispositivos para corte, gravação e acabamento, como routers, máquinas a laser, mesas de corte e plotters de recorte. Veja a seguir um panorama do que os expositores dessas soluções apresentaram no evento.

Leia também as demais partes dessa cobertura:
1ª: Impressoras digitais
3ª: Mídias, tintas e softwares
4ª: Números, eventos e parcerias
5ª: Acessórios para comunicação visual
6ª: Sublimação, transfer e fotoproduto
.

Router

O visitante que procurava por uma nova router pôde conferir dezenas de ofertas dessa tecnologia. No estande da Vitor Ciola, por exemplo, os interessados puderam conferir as consagradas máquinas da linha Scriba. Entre as características desses equipamentos, estão a dupla motorização no eixo X, estrutura rígida em aço e alumínio extrudado e servo motores DC com encodres de 2.000ppr. A série de routers da Vitor Ciola possui desde modelos mais simples (como o Scriba Start) a equipamentos mais complexos (como o Scriba 2051, com área de 2.000 x 5.100mm).

Scriba, da Vitor Ciola

Scriba, da Vitor Ciola

A Aviso também é dona de um amplo catálogo de equipamentos para corte e gravação, que inclui máquinas a laser, fresadoras e dispositivos CNC de plasma. Na feira, a empresa destacou a linha de routers Nina, composta pela Nina Gold Plus, que — segundo a fabricante — é uma evolução de suas predecessoras em termos de robustez, além de possuir pórtico elevado em alumínio extrudado e travas para segurança.

Outra empresa que marcou presença foi a Engraver, que expôs diversas máquinas de corte e gravação. Entre elas, mesas de corte, fresadoras, modeladoras, além routers como a Engraver 2030, com área de trabalho de 2.000 x 3.000mm e motor passo. O dispositivo possui estrutura construída em tubos de aço e utiliza guias prismáticas de precisão. A fornecedora vende outras routers, com características variadas, como a Engraver 1325 e a Engraver 1212.

A 3D Transform também compareceu à 23ª edição da feira Serigrafia Sign. A fabricante apresentou mesas de corte (CNC com faca oscilante), máquinas a laser da marca Laser System (com fonte CO2 ou YAG) e equipamentos para corte de isopor (CNC EPS 3D). Também expôs as suas tradicionais routers, para usinagem em materiais como acrílico, latão, madeira, entre outros substratos.

Veja algumas routers expostas na Serigrafia Sign 2013:

A Brawel também compareceu ao evento, mostrando routers e equipamentos CNC fabricados no Brasil, para usinar, cortar e esculpir diversos materiais, como metais, polímeros, laminados, entre outros.

Fundada em 2010, a Lexno também esteve no evento, no qual exibiu suas routers, como a SPL-2015, com área útil de 2.000 x 1.500mm, motor passo, estrutura de aço tubular e faca tangencial de série. A empresa ainda tem, em seu portfólio, a linha de máquinas que usam tecnologia de plasma.

Engraver levou as suas routers para a feira

Engraver levou as suas routers para a feira

Já a Serilon, distribuidora de equipamentos para comunicação visual, possui amplo portfólio de dispositivos para corte e gravação, incluindo máquinas a laser da linha Creativa, mesas de corte DYSS e routers da família Rizon, como a Primalinea 2030, com 1.950 x 2.750mm de área de trabalho e motor de 3CV.

A Day Brasil, além de mesas de corte da Zund, comercializa routers da MultiCam, equipamentos que estiveram em exposição na Serigrafia Sign 2013. A máquina tem eixo de 3CV de alta frequência, interface EZ Control, calibração automática de ferramenta, entre outras qualidades.

Máquina a laser

Outra tecnologia em abundância na feira Serigrafia Sign 2013 foi a de gravação e corte a laser. A Automatisa, por exemplo, apresentou máquinas como a Dua 1209 com área útil de 1.200 x 900 mm (dois bicos) e potências (laser de vidro) de 80, 100 e 130W. Outro equipamento no estande da empresa foi a Acrila 1525 (área de 2.55 x 1.500mm), especialmente desenvolvida para corte de materiais não metálicos de grandes formatos, como acrílico, MDF, PETG e PS.

Acrila, da Automatisa

Acrila, da Automatisa

A DS4 também demonstrou os seus equipamentos. Além de comercializar routers da série I-servo, a fornecedora ofereceu as máquinas a laser da série DSL 130, cuja área de trabalho tem 1300 x 620mm, para corte de materiais com até 210mm de espessura e 20kg. A empresa também vende a DSL 1312, máquina a laser com área de corte de 1300 x 1250mm.

Outra presença na feira foi a Gravograph, dona de uma linha grande de equipamentos para gravação, que levou para o evento, entre outras opções, a LS900, máquina a laser voltada a empresas que têm volume médio a alto de produção. O dispositivo possui chassi de alta resistência e plataforma de gravação com área de 610 x 610 mm.

Já a Futurize apresentou a Laser Flat, máquina que possui área de corte de 1.500 x 2.500mm, que permite a colocação de chapas de acrílico, MDF, madeira, couro, tecidos, entre outros substratos. O equipamento emprega dois canhões de laser, que podem operar isolada ou simultaneamente. A empresa também comercializa outras máquinas, como a Futurize Plus Laser 6008D e a Laser 6004D.

Veja algumas máquinas a laser expostas na Serigrafia Sign 2013:

A Laser CNC, além de routers, comercializa máquinas a laser com a CMA1080, usada para corte de gravação de MDF, acrílico, EVA, tecidos e outros substratos não metálicos. O equipamento tem área de trabalho de 1.000 x 800mm e potência de laser de 80 a 130W.

A Mettalforma também esteve na Serigrafia Sign 2013. A empresa vende a CMA 1390, máquina a laser para corte e gravação de substratos como o acrílico. Tem potência de 80 a 130W e área de trabalho de 1.300 x 900mm. Atinge velocidade máxima de 6.400mm/min (gravação) e 3.600mm/min (corte) e resolução de 4.000dpi.

Marcou presença também a Glory Laser, com a GLC-6040, de 600 x 400mm de área de trabalho, tubo selado de laser e potências que vão de 70 a 200W. A máquina faz corte e gravação em plásticos, couro, tecidos, EVA, entre outros substratos.

A Fesmo levou o seu amplo portfólio de equipamento para corte e gravação. Além de routers, a fornecedora demonstrou máquinas a laser CO2 da linha FMA, que pode trabalhar materiais com até 25mm de espessura, além de gravar na velocidade de 64000mm/min e cortar na velocidade de 36000mm/min.

Veja algumas máquinas a laser expostas na Serigrafia Sign 2013:

Já a Sitari levou as máquinas da marca Laser Mark, como o modelo T40 (com área de trabalho de 44 x 254mm) e o modelo R60 (de 610 x 450mm). Ambos os dispositivos empregam laser CO2 de 40W.

Representante da Trotec no Brasil, a Solugrav demonstrou várias máquinas a laser em seu estande, como a Speedy300 Flexx, cuja área de trabalho é de 726 x 432mm e usa como fontes o CO2 e o Fiber Laser Pulsado. A empresa aproveitou a ocasião para mostrar a nova Speedy400 Flexx, com área de 1.000 x 610mm.

A Cutlite levou as suas máquinas de porte industrial como a Laser Plus 2015, cuja área de trabalho é de 2.000 x 1.500mm, com potências de 250, 500 e 1.000W, podendo trabalhar com aço, acrílico, MDF, entre outros materiais.

GCC, vendida pela Akad

GCC, vendida pela Akad

Já a Akad apresentou a linha de máquinas da GCC, como a LaserPro X500 (área de trabalho de 1290 x 916mm), LaserPro X380 (965 x 609mm) e a LaserPro X252 (635 x 458mm).

A Inova laser apresentou a ILF20Watts, equipamento portátil para aplicações nos mercados de brindes, instituições, indústrias e materiais esportivos. A empresa também destacou a ILD-01. Portátil, a solução oferece 20.000 horas de gravação em metais, couro, plásticos, entre outros materiais.

No estande da Welle, os visitantes da feira puderam ver em funcionamento máquinas a laser para diversas aplicações. Dependendo do modelo, o equipamento pode empregar laser fibra (para metais e polímeros), CO2 (couro, tecido, madeira e acrílico) ou UV (polímeros, vidros e cerâmicas). Desenvolvidas no Brasil, as máquinas da Welle podem ser financiadas por programas como Finame e Cartão BNDES.

Além disso, equipamentos da Potencial Laser, Top Máquinas, Sun Special, Mac-LenMáquinas Lampe também foram expostos durante a feira Serigrafia Sign 2013.

Mesa de corte

As tradicionais mesas de corte Zund estiveram presentes na Serigrafia Sign 2013. O estande que as apresentou foi o da BG Soluções, revendedora da marca no país, que destacou a linha Zund S3, composta por máquinas com sistemas de vácuo e motorização e estação de trabalho ergonômica. Essas mesas são multifuncionais por permitirem o uso de módulos e ferramentas diversas. Os equipamentos (de fabricação suíça) trabalham com vários substratos flexíveis e rígidos, como PS, PVC, PET, PP, policarbonato, acrílico, MDF, alumínio, entre outros.

A marca Zund esteve presente na Serigrafia Sign 2013

A marca Zund esteve presente na Serigrafia Sign 2013

O visitante da Serigrafia Sign 2013 também pôde conferir as mesas de corte da Esko Kongsberg. Dona de um portfólio extenso de modelos, a marca possui linhas de equipamentos como a XE, XL e XP — cada qual com características técnicas distintas. A série XL, por exemplo, tem máquinas com áreas que vão de 1680 x 1270mm até 2210 x 4800mm. Já a família XE possui dispositivos que trabalham na velocidade de 64m/mim, enquanto a linha XP pode chegar a 100m/min. Os equipamentos Esko são também distribuídos pela Alphaprint e Digigraf.

Mesa de corte da Esko

Mesa de corte da Esko

A Bannerjet levou a CB03, que tem uma série de opcionais, tais como a ferramenta de corte oscilante (para material composto de até 15mm de espessura), I-Cut (sistema integrado de câmera para leitura de registro) e a Foam Cutting (corta espuma de até 45mm), entre outras opções.

Já a Kehl expôs a 6240 TPT, para corte de tapetes personalizados. A máquina possui faca tangencial oscilante, ferramenta de marcação, laser (para posicionamento do material), além de ter área de trabalho de 1200 x 1200mm.

Plotter de recorte

Certamente, numa feira de sinalização, como a Serigrafia Sign 2013, não pode faltar as clássicas plotters de recorte. Para essa edição da feira, a Mimaki lançou a série CGSRIII, composta por modelos de 60, 100 e 130mm de largura de corte. Os novos equipamentos têm maior precisão e força no corte, quando comparados aos modelos anteriores.

Nova plotter Mimaki da série CGSRIII

Nova plotter Mimaki da série CGSRIII

A Roland também levou plotters para o seu portentoso estande. A fabricante japonesa oferece equipamentos como o CAMM-1 GX-24, que possui um motor servo de controle digital e pode trabalhar na velocidade de corte de até 500mm/s.

Outra distribuidora a exibir plotters no evento foi a Akad, que vende a Expert 24 (com corte de até 600mm, força de até 250g e velocidade de até 400mm/s) e a Expert 52LX (com largura útil de corte de até 1300 mm e sistema AASII).



Como adesivar superfícies com rebites

Por Eduardo Yamashita em 03/11/2015
Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Além de fácil de aprender, a aplicação correta de imagens sobre rebites aumenta a velocidade da instalação e melhora a aparência do resultado.

Bastante recorrente no mercado, a adesivação de rebites normais em chapas lisas ou corrugadas será o foco deste artigo técnico. Com o método demonstrado, é possível obter resultados virtualmente perfeitos. Para tanto, o vinil deve ser aplicado de acordo com a forma de rebite e sem bolhas de ar e rugas. Todo adesivo deve ficar em contato com a superfície, e deve permanecer assim.

Observação: assim como o cast, o vinil calandrado pode ser capaz de se conformar a rebites, porém ele não ficará por muito tempo moldado nessas regiões.

Limpeza

A superfície deve ser devidamente limpa e completamente seca. Use as as seguintes soluções:

  • xilol ou similar: para contaminantes inorgânicos (gordura e graxa);
  • detergente neutro e água: para contaminantes orgânicos (terra, lama e partículas sólidas);
  • álcool isopropílico 70%: para limpeza final.

Com um pano (toalha), molhe e esfregue para remover a sujeira. Depois, antes da evaporação, seque com um segundo pano. É muito comum haver umidade por trás dos rebites. Isso acontece por causa da chuva ou da lavagem dos caminhões. Consequentemente, os fluidos remanescentes na traseira dos rebites devem ser removidos. Para tanto, aqueça as cabeças dos rebites e as áreas circundantes com um soprador térmico ou maçarico de propano até que todo líquido tenha evaporado. Em seguida, o vinil deve ser aplicado a seco e sem a utilização de fluidos de aplicação ou agentes umedecentes.

Método padrão de aplicação

Depois da limpeza dos rebites, realize a instalação seguindo os passos abaixo:

Espatule o vinil em paralelo à menor dimensão da imagem. Mantenha a imagem sempre esticada e pressione firmemente a espátula. Quando espatular sobre o rebite, alinhe o centro da espátula com o rebite, para que o vinil fique em contato com toda a superfície. Aplique e alise o vinil e empurre o ar para fora.
O resultado desejado é uma pequena bolsa de ar em torno de cada rebite. Depois de toda a imagem ter sido espatulada, se houver máscara de transferência, remova-a com cuidado em ângulo de 180 graus.
Corte o vinil sobre todas as emendas das chapas do caminhão. Use também um furador de bolhas, para permitir a saída do ar. Perfure vários pequenos buracos ao redor de cada rebite.
Use uma escova de rebite para pincelar em movimento circular, começando pelas bordas das bolhas de ar no vinil solto ao redor de cada rebite. Em espiral, siga em direção ao rebite. Leva apenas uma ou duas revoluções para empurrar para fora a maior parte do ar. Essa é “escovação” a frio, pois não há calor. Em seguida, use um soprador térmico (pistola de calor) ou maçarico de propano (não muito comum) e aqueça a região do rebite. Note que o vinil solta um pouco.
Escove novamente. Calor em excesso danifica o vinil. Se aquecê-lo demais, deixe-o esfriar antes de escovar. Repita o aquecimento e a escovação (geralmente três ou quatro vezes) até que todo o ar tenha saído. Em cada repetição, use mais calor e mais força na escovação.
Uma vez que todo o ar for retirado, use o calor novamente e centralize a escova na parte superior do rebite; esfregue-o com firmeza. A aparência final será similar a uma pintura.

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual