Mimaki lança série “Plus” de equipamentos para impressão e recorte

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/09/2019
Duas impressoras e uma plotter de recorte fazem parte da nova linha

Duas impressoras e uma plotter de recorte fazem parte da nova linha

A filial europeia da Mimaki, fabricante japonesa de impressoras digitais e plotters de recortes, anunciou o lançamento no mercado local da série “Plus”, composta pelos equipamentos CJV300 Plus, JV300 Plus e CG-FXII Plus.

A CJV300 Plus é uma impressora solvente com recorte integrado. A JV300 Plus é uma impressora solvente e CG-FXII Plus, uma plotter de recorte.

Os equipamentos vêm com uma série de tecnologias, como a versão mais recente do MAPS4 (Mimaki Advanced Pass System), que usa um algoritmo exclusivo para calcular o jeito mais eficaz de disparar gotas de tinta e evitar bandings. Outras tecnologias são a NCU (que verifica o status dos nozzles) e a NRS (que recuperação os nozzles). Um novo dispositivo de alimentação de substratos permite o manuseio de rolos de até 45kg.

Os modelos da série “Plus” também apresentam a nova função ID Cut, que possibilita operações contínuas de corte e diminui a intervenção humana, o tempo de produção e o desperdício de material. Por meio do RasterLink6 Plus RIP, a ID Cut imprime um código de barras exclusivo no layout dos trabalhos. Ao ler o código de barras, o sensor dispara a execução automática do corte.

Uma nova linha de tintas vendidas em embalagens reutilizáveis de 600ml foi desenvolvida exclusivamente para os equipamentos da série “Plus”. Segundo a Mimaki Europe, os insumos garantem processos de impressão mais inteligentes e sustentáveis, e as novas embalagens ecológicas podem economizar até 15% de tinta em relação aos cartuchos de 440ml.

CG-FXII Plus vem com a função ID Cut

Fonte: Mimaki Europe



Kernow lança duas mídias adesivas para sinalização

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/05/2019
Mídias são resistentes à arranhão

Mídias são resistentes à arranhão

A Kernow Coatings, fabricante de mídias, anunciou no mercado internacional dois novos substratos para comunicação visual, o KernowJet KlearWipe e o WallSharK.

O WallSharK é um filme adesivo para revestimento de paredes. Sem PVC, ligeiramente texturizada, estável e resistente a arranhões, a mídia oferece aplicação “invisível” nas juntas das extremidades. Compatível com todos os tipos de impressoras de grande formato, o filme tem 170µm e é indicado para paredes lisas.

O KlearWipe é um filme de laminação a seco para aplicações de longo prazo. Sobre ele, é possível escrever com todos os tipos de marcadores de quadro branco, além de oferecer adequação para marcadores de giz líquido. Segundo a empresa, os marcadores sempre podem ser apagados sem danificar o filme e deixar fantasmas. Além disso, o KlearWipe é resistente a arranhões e está em conformidade com as normas EN EN71-3: 2013 (necessárias para garantir a segurança de brinquedos). A mídia é oferecida em larguras de 1.372mm e 1.524mm.

Fonte: Kernow



Adesivação: o que acontece quando o clima está muito frio ou quente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/12/2012

Quando o tempo esfria, os envelopadores devem tomar alguns cuidados para que a adesivação saia como esperado. É sempre muito importante que o veículo esteja limpo. Antes de chegar ao local de adesivação, ele deve ser lavado (apenas com detergente) e desengraxado. Depois, recomenda-se esperar para que o carro seque e esquente. Além disso, procure fazer a instalação em locais fechados onde as temperaturas são mais elevadas.

Veja o que pode acontecer se o vinil for aplicado em locais com temperatura (muito) baixa:

  • A película pode não alongar, já que, logo após aquecê-la, ela vai esfriar;
  • O tack inicial do adesivo pode ser insuficiente para garantir a adesão da película;
  • A umidade pode condensar-se na superfície do veículo, complicando a adesivação;
  • A película pode ficar dura e frágil, e não vai aderir. Se isso acontecer, o adesivador vai, naturalmente, forçar a espátula, para promover a adesão do filme, e isso pode causar danos ao vinil;
  • Em condições muito úmidas, pode ser difícil manter o substrato seco.

Promover um pós-aquecimento também é fundamental para reduzir a tensão do vinil, manter a sua memória e mantê-lo no lugar correto.

ferramenta para adesivação

Para moldar a película, use ferramentas

Dicas para a adesivação em climas quentes

Atente-se quando o clima esquentar demais. Com o calor, o vinil fica mais maleável, o que dificulta o seu reposicionamento. Além disso, ele tende a distorcer e criar rugas.

A temperatura da superfície jamais deve exceder os 40ºC. Verifique as informações sobre temperaturas mínima e máxima dadas nos manuais dos produtos (se o veículo de cor escura estiver submetido a um calor de 32ºC, então a sua superfície pode estar acima dos 70ºC — tome cuidado).

Se a aplicação tiver de ser feita em ambiente externo, tente começar o trabalho o mais cedo possível. Faça o que puder para não deixar o carro sob o sol.

Em um clima quente e úmido, ocorre a condensação pela manhã. A aplicação nessa condição também deve ser evitada.

Artigo técnico originalmente publicado pela 3M dos EUA. Tradução e adaptação: InfoSign