WS Adesivações vence oitava edição do Cambea

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/04/2018
Envelopadores campeões são de Fortaleza e também venceram o Cambea Nordeste

Envelopadores campeões são de Fortaleza e também venceram o Cambea Nordeste

Depois de cinco dias de disputa entre os melhores envelopadores automotivos do país, a dupla da WS Adesivações (Wellington e Rafael) sagrou-se a campeã do Cambea 8, competição que ocorreu durante a ExpoPrint Latin America 2018, entre os dias 20 e 24 de março no Expo Center Norte, na cidade de São Paulo. De Fortaleza (CE), os vendedores dividiram o pódio com envelopadores da Gênesis, de Rio Grande (RS) e da Prime, de Santa Maria (RS).

Nos três primeiros dias do campeonato, 16 equipes disputaram as baterias classificatórias. Em seguida, veio a semifinal, em que, além da adesivação de partes do carro, cada dupla teve de envelopar uma guitarra. Os três melhores times (citados acima) passaram para a final, prova em que foi necessário envelopar um carro completo em, no máximo, quatro horas. Nesse mesmo dia, houve também entre os eliminados das fases anteriores uma disputa de envelopamento de guitarras.

Wellington, da dupla campeã, declarou: “A primeira oportunidade surgiu no Cambea Nordeste. Se a gente não tem um sonho e não pensar em realizar, nosso trabalho é em vão. Estamos muito felizes. É bom que as pessoas acreditem que no Ceará há muitos bons profissionais, e é preciso valorizar esses talentos. Gostamos muito do que fazemos todos os dias”.

Marcelo Souss, diretor da Alltak e idealizador do Cambea, também deu sua impressão sobre o evento: “O Cambea 8 foi um sucesso, na ExpoPrint. A feira toda foi um sucesso, com público de qualidade. Estamos felizes em expor o nosso mercado, ainda muito novo. Este ano, tivemos algo surpreendente, com uma final com o pessoal de Fortaleza, que havia ganhado o Cambea Nordeste. A Gênesis ficou em terceiro no ano passado. E o campeão 2017 ficou em terceiro. Isso mostra o alto nível dos participantes”.

Em outra modalidade, a Cambea Fast, houve um recorde batido, além de uma competição inusitada de envelopamento de guitarra. A organização também divulgou que o Cambea Lab trouxe muitas técnicas novas ao público que acompanhou as competições.

Fonte: Expoprint



Inx lança tintas digitais têxteis e impressora cilíndrica

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/05/2019
Fabricante ampliou seu catálogo de tintas da linha Triangle

Fabricante ampliou seu catálogo de tintas da linha Triangle

A fabricante Inx apresentou a impressora digital cilíndrica CP100 UV e anunciou as novas tintas digitais têxteis Triangle DT8 e DT8-PRO.

A DT8 e a DT8-PRO são tintas à base d’água indicadas para impressão direta ou transferência em tecidos de poliéster (ou materiais sintéticos mistos que contenham, pelo menos, 60% de poliéster). Os insumos são compatíveis com cabeças Epson DX4, DX5, DX7 e TFP.

A impressora digital CP100 UV vem recursos de prova e prototipagem para pequenas produções em latas, garrafas e outros objetos cilíndricos. Com tintas CMYK e branca e verniz, a máquina utiliza sistema de cura UV de longa duração.

As peças estampadas pela CP100 UV podem ser testadas pela SLED, máquina que examina tintas, produtos químicos e cabeças de impressão. Ela mostra como as tintas respondem a uma ampla gama de substratos e materiais.

Jim Lambert, vice-presidente da divisão digital da Inx, declarou: “Quando a impressão digital direta em objetos começou, era mais ou menos colocar uma tinta e uma cabeça que já existiam, e ver se elas funcionariam. Mas elas avançaram muito e há cabeças específicas. Estamos agora no ponto em que os proprietários de marcas estão impulsionando a impressão digital de garrafas e embalagens cilíndricas em grandes volumes. E uma das coisas impressionantes da impressão direto em objetos é que você pode reduzir desperdícios e custos”.

Fonte: Inx



Como escolher prensa térmica para sublimação

Por João Leodonio em 22/12/2017
Plana, cilíndrica e cônica: saiba qual é a mais adequada para o seu negócio

Plana, cilíndrica e cônica: saiba qual é a mais adequada para o seu negócio

Na hora de adquirir uma prensa para sublimação, pergunte-se: em qual mercado vou atuar e quais formatos e quantidades quero atender? Com base nas respostas, será muito mais fácil pensar no tipo de prensa mais adequado para o seu negócio.

A mídia (televisão e redes sociais) vende muitas “soluções mágicas” para ganhar dinheiro com prensa térmica. Mas atente-se a essas propostas. A decepção por um investimento ruim e sem orientação pode ser maior do que a empolgação no momento da compra. Portanto, gastar tempo com pesquisa é melhor que você pode fazer para não frustrar um negócio promissor.

Prensa térmica plana para pequenos formatos

Com formatos que variam entre 23cm x 35cm e 50cm x 70cm, essas prensas podem vir ou não suporte (na maioria sem, e o comprador deverá confeccionar uma bancada ou pé) com uma ou duas bandejas, nas voltagens 110v ou 220v (recomenda-se as de 220v, por serem mais econômicas). Elas podem ser manuais, pneumáticas ou elétricas.

Recomenda-se adquirir um equipamento que atenda as medidas máximas dos produtos a serem prensados, além de escolher a voltagem mais econômica e preferir as marcas nacionais, por geralmente oferecerem uma assistência técnica mais ágil.

Prensas planas podem ser manuais, pneumáticas ou elétricas

Prensa térmica plana para formatos grandes (sublimação total)

A partir do formato de 50cm x 70cm, há dezenas de opções de dimensões de prensas planas para grandes formato. Também são encontradas com ou sem suporte, com uma ou duas bandejas (laterais ou sobrepostas), nas voltagens 110v ou 220v. Podem ser manuais, pneumáticas ou elétricas.

Como trata-se de um investimento maior, recomenda-se pesquisar muito e levantar a relação custo x benefício antes de adquirir o equipamento. Indica-se evitar as marcas importadas, por conta da má ou ausência de assistência técnica.

Prensa térmica cilíndrica e cônica

Há uma grande oferta de prensas térmicas cilíndricas com adaptações para sublimar objetos cônicos, geralmente sem suporte e nas voltagens 110v e 220v.

Há muitas ofertas e fabricantes, porém é importante desconfiar. Como nos casos das prensas planas, recomenda-se fugir das prensas importadas por conta da assistência técnica falha ou inexistente. As nacionais são, normalmente, mais caras, porém são vendidas por empresas que oferecem reposição de peças e manutenção muito melhor do que as concorrentes importadas.

Recomenda-se evitar promoções de pacotes (8x1 e 5x1), pois nos kits oferecidos algum dos produtos vão servir apenas para desencalhar o estoque do fornecedor.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático