Serilon excede meta de vendas de equipamentos EFI e ganha prêmio

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 14/02/2018
Guilherme Alexandrino recebe prêmio Sales Excelence, da EFI

Guilherme Alexandrino recebe prêmio Sales Excelence, da EFI

Na noite do dia 24 de janeiro, no restaurante Tao Las Vegas (EUA), a EFI, fabricante de impressoras digitais, promoveu um jantar especial para entregar a Sales Excelence, homenagem aos parceiros que mais se destacaram em vendas na América Latina. Os vencedores foram a Serilon Brasil (que ganhou o prêmio por exceder a meta de vendas em 2017) e a Inktrade S.A, (considerada a melhor distribuidora em volume de vendas). É um orgulho aos brasileiros, pois há anos o país não alcançava as metas desejadas pela EFI.

Ernande Ramos, diretor de vendas da América Latina da EFI, declarou: “É um prazer anunciar, depois de alguns anos, termos novamente um dealer brasileiro como o melhor da EFI para a América Latina, na categoria de percentual de vendas acima da meta. É a Serilon. A parceria, o compromisso com nossa marca, o atendimento ao cliente, a flexibilidade de fazer negócios e o profissionalismo de toda equipe foram quesitos primordiais para que a Serilon pudesse alcançar esse prêmio. Parabéns ao time da Serilon, pela excelência no trato com nossa marca e pelo compromisso com os seus clientes, que resultaram nessa conquista”.

Fonte: Serilon



Dicas para produção de sublimação por calandra

Por João Leodonio em 04/03/2018
Calandra pode aumentar a produtividade, desde que bem utilizada

Calandra pode aumentar a produtividade, desde que bem utilizada

A sublimação por calandra é o processo de transferência de imagens realizada por equipamentos cilíndricos que produzem de forma ininterrupta. Pode ser direta ou realizada por meio de rolos de papel impresso.

Há duas formas de estampagem na sublimação por calandra: imagem localizada ou imagem corrida cobrindo toda a área do papel (posterior do tecido). Nos dois casos, pode-se utilizar o rolo de tecido ou o tecido já cortado.

A sublimação por calandra é uma excelente opção para quem quer sublimar tecidos em rolos e estampas corridas exclusivas, pois trata-se de um processo que oferece velocidade de produção rápida. É também uma boa opção para estampas localizadas e com o corte já feito. Antes de adquirir uma calandra, recomenda-se analisar a relação custo x benefício e compará-la com o processo folha a folha de prensa plana.

Cuidado: papéis e tecidos já cortados podem enrugar durante o processamento na calandra

Limites de largura

As larguras são estipuladas de acordo com o tecido e a estampa (dimensionada com a produção). As mais comuns são 1,20m; 1,50m; 1,60m e 1,80m, mas há exceções.

Tipo de tecido

Quanto à composição do tecido, o ideal é 100% poliéster ou composto com outro tipo de fio com alta quantidade de poliéster. O tecido tubolar não pode ser utilizado em função de seu tipo de fabricação.

Problemas

Papéis ou tecidos já cortados podem enrugar no processo e causar problemas de estrias. Eles também podem sair do lugar, e a estampa será transferida erroneamente. Portanto, é prudente evitar passar na calandra papel e tecido já cortados.

Quando se utiliza rolo de tecido e papel impresso, um dos problemas mais comuns é a falta de tensão por igual nos lados da calandra. Neste caso, a habilidade do operador faz toda a diferença. Além do acerto inicial, é preciso atentar-se durante todo o processo, para evitar que não aconteçam falhas na sublimação.

Quando o serviço colocado em máquina não está no rolo ou as imagens estão para fora do tecido (sangria), a manta de apoio da calandra pode manchar. O ideal é passar, entre o tecido e a manta, um papel kraft de 100g/m2, para ele absorver o excesso de tinta e proteger a manta.

Regule corretamente as varáives do processo, para evitar falhas e retrabalhos

Temperatura e velocidade

São as variáveis que limitam o processo e o tipo de tecido utilizado. Para sublimar alguns tipos de tecido, é preciso mudar as regulagens de temperatura e velocidade porque elas podem alterar a estrutura do fio.

Com a necessidade de maior produtividade, algumas empresas aumentam a velocidade da passada. Porém, se ela for superior ao mínimo para um serviço de qualidade, poderá acontecer falhas causadas pela pouca transferência e pouca exposição, como manchas mais claras. O ideal de velocidade é de 1 a 3 m/min.

Quanto à temperatura, a média é de 200ºC. O ideal é variar entre 195ºC e 220ºC. O recomendado é ajustar essa variável de acordo com o tipo de tecido, pois há materiais que não suportam temperaturas muito altas. Porém, deve-se observar a qualidade do serviço em temperaturas mais baixas.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático 

 



SAi completa 25 anos e vende milionésimo software

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 14/06/2014

Em 2014, SAi bate recordes

Em 2014, SAi bate recordes

A SA International (SAi), desenvolvedora de aplicativos, completou 25 anos de atuação no mercado. Em paralelo, comemorou também a venda de um milhão de softwares. Um pacote da família Flexi (de sinalização) adquirido pela Ocean Graphics & Signs (de Nova York, EUA) foi a milionésima unidade vendida pela fabricante.

Sediada em Salt Lake City, EUA, a SAi completa seu vigésimo quinto aniversário em 2014. Antes conhecida como Scanvec Amiable, a empresa foi fundada em Israel, em 1989. Depois, em 1998, fundiu-se com a Amiable Technologies.

Nesse meio tempo, a SAi angariou um crescimento progressivo, desenvolvendo uma rede de distribuição mundo afora. Atualmente, a companhia serve 200 mil clientes em mais de 50 países. Em 2013, a empresa foi responsável por fundar a International Sign & Printmakers Guild.

Fonte: What They Think