Saiba como foi executada a reinterpretação do quadro Guernica

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 22/01/2021
Durst e Estudios Durero viabilizaram projeto artístico de José Manuel Ballester

Durst e Estudios Durero viabilizaram projeto artístico de José Manuel Ballester

Considerada por muitos críticos de arte uma das pinturas anti-guerra mais comoventes e poderosas da história, Guernica foi originalmente pintada por Pablo Picasso e recentemente retrabalhada por José Manuel Ballester, célebre fotógrafo e artista espanhol, que contou com a ajuda da Durst e do Estudios Durero para a tarefa.

Ballester alcançou reconhecimento internacional por suas reinterpretações que eliminam figuras de humanos e animais de pinturas famosas.

O trabalho de Ballester, “Around Guernica, 2009/2020”, é uma versão esvaziada da pintura de Picasso, fazendo referência à cidade de Bilbao durante a quarentena provacada pela pandemia de covid-19. A obra tornou-se a peça central da exposição “2020/03/15 José Manuel Ballester”, no Museu Guggenheim. A exposição, que também inclui uma seleção de fotos de ruas e espaços desertos, está aberta até 21 de fevereiro de 2021.

Com "Around Guernica", Ballester acrescenta um novo item ao projeto que iniciou há mais de 10 anos, quando decidiu investigar os espaços arquitetônicos e naturais projetados em algumas das obras mais importantes da história, como “As Meninas” e “O Jardim das Delícias Terrestres”.

Estas imagens foram o primeiro passo de um projeto em colaboração com os Estudios Durero e o Museu Guggenheim de Bilbao, que culminou com a exposição fotográfica, a publicação de um livro e a primeira exposição de “Around Guernica”.

O Museu Guggenheim de Bilbao foi o responsável por abordar os Estudios Durero, que “imaginam, criam e desenvolvem novas formas de produção gráfica”, para imprimir o Picasso retrabalhado, em mídia de linho tecido à mão, fornecido pelo museu especialmente para a tarefa. O substrato era do formato de 3,5m x 7,8m.

Os técnicos dos Estudios Durero e o Sr. Ballester passaram um dia no Customer Experience Center, na sede da Durst, na Itália, com o objetivo de estampar a interpretação de Guernica em uma Durst Rho 512. E eles tinham apenas uma chance, pois o material disponível era suficiente para apenas uma tiragem. Portanto, não foi possível executar nenhum teste prévio de impressão no material.

Ander Soriano, proprietário dos Estudios Durero, declarou: “Foi uma verdadeira honra para nós e para Durst desenvolver este projeto especial do Sr. Ballester e do Museu Guggenheim de Bilbao. Na obra original de Picasso e na reinterpretação de Ballester, a pintura usa apenas uma gama muito ampla de cinzas. Portanto, a qualidade de impressão deve ser excepcionalmente alta para oferecer alto valor à reprodução. E isso teria sido impossível sem a Durst Rho 512 6 C”.

Fonte: Durst



O que você deve saber sobre conteúdo para sinalização digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/11/2014

É fundamental responder a três perguntas básicas na hora de criar conteúdo a ser veiculado por sinalização digital

É fundamental responder a três perguntas básicas na hora de criar conteúdo a ser veiculado por sinalização digital

Especialista em sinalização digital, Frank Kenna dá dicas fundamentais para quem cria conteúdos a serem veiculados em displays de digital signage. Abaixo estão três questões básicas para ajudá-lo a avaliar a qualidade do conteúdo:

1. Qual é a relevância do conteúdo para os objetivos que você quer atingir?

Muitos administradores de sinalização digital usam conteúdos gratuitos ou de baixo custo disponíveis na internet. Isso pode parecer bom, mas será que realmente vai ajudar a atingir seus objetivos? Não. O que ele faz é ajudar a impulsionar o número de leitores (ver questão 3), mas isso é apenas um dos ingredientes de uma sinalização digital eficaz. Seus objetivos devem direcionar o conteúdo.

2. Você cria e veicula facilmente os conteúdos?

Depois de identificar os seus objetivos, você tem de saber quem vai desenvolver o conteúdo. Alguém precisa criar um material fresco e relevante regularmente. Os administradores precisam de um software que seja fácil de operar e que veicule conteúdos rapidamente.

3. Será que as pessoas estão lendo o conteúdo?

Se não lerem, investigue as razões para isso estar acontecendo. Você precisa escolher um dado importante e se concentrar nele. Se o seu público-alvo for composto por trabalhadores do chão de fábrica, mostre-lhes métricas de produção e outros materiais relevantes. E separe pelo menos 25% do seu conteúdo para coisas que não tenham a ver com o negócio, como notícias, esportes e previsão do tempo.

Responder às três questões acima poderá levá-lo a encontrar um bom caminho para um sistema de sinalização digital eficaz e que realmente funcione.

Fonte: Digital Signage Today



Aleph apresenta solução de impressão digital têxtil na SGIA 2017

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/10/2017
LaForte Paper é solução industrial de impressão digital em papéis de transferência

LaForte Paper é solução industrial de impressão digital em papéis de transferência

A fabricante italiana Aleph esteve na SGIA 2017 para apresentar a LaForte Paper, impressora digital industrial criada para estampar papéis transfer tanto para sinalização quanto para estamparia têxtil.

Capaz de trabalhar na velocidade de até 920m2/h ou na resolução de até 1200dpi (com pontos variáveis), a máquina conta com um sistema patenteado de cinto rotativo e vácuo (que elimina a necessidade de cola). Além disso, opera com movimento por força magnética das cabeças, que se alinham automaticamente durante o processo.

Desde seu lançamento na feira ITMA 2015, a LaForte Paper possui design que reflete sua força e estabilidade do desempenho, e a interface fácil de usar oferece grande conveniência aos operadores.

Segundo a empresa, o número de unidades da impressoras LaForte Paper instaladas na Itália e no exterior continua a aumentar. Por isso, o departamento de desenvolvimento da Aleph atualmente está trabalhando em novas tecnologias para expandir seus negócios a outros mercados.

Assiata ao vídeo promocional da máquina:

Fonte: Aleph