Participe do "Serigrafia em Ação" na FuturePrint 2019

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 04/07/2019
Espaço terá palestras e demonstrações gratuitas de equipamentos serigráficos

Espaço terá palestras e demonstrações gratuitas de equipamentos serigráficos

Quem visitar a 29ª edição da FuturePrint, feira que ocorrerá entre os dias 10 e 13 de julho, no Expo Center Norte, poderá conhecer na prática as principais técnicas e aplicações serigráficas. O espaço “Serigrafia em Ação” terá palestras gratuitas que mostrarão como empregar o processo em diversos segmentos, como moda infantil, religiosa e esportiva, entre outros. Além das palestras, com duração estimada de 45 minutos, haverá demonstrações de equipamentos e insumos.

Serão tratadas as diversas etapas do processo serigráfico: pré-impressão (preparação de matrizes serigráficas), impressão de diferentes produtos, efeitos e substratos diversos, impressão digital direta no tecido, além de dicas para quem está começando no mercado e serigrafia artística em pôsteres.

Leonardo Ishii, responsável pelo marketing da Gênesis Tintas e curador do espaço, declarou: “Os visitantes poderão ver na prática as diversas possibilidades que a serigrafia proporciona, além de conhecer produtos, técnicas e obter dicas dos profissionais. Para quem está começando, será muito elucidativo conhecer as diversas oportunidades e ter contato com as marcas que fazem a diferença no mercado. Este ano também teremos alguns convidados especiais tratando de assuntos bem diferentes e interessantes”.

Haverá equipamentos em demonstração no espaço, como mesa corrida, carrossel semiautomático, máquinas de pré-cura, reveladora de matrizes, lavadora de matrizes, prensa de transfer e impressora DTG. Além disso, haverá diversos insumos, como tintas serigráficas, emulsões, químicos auxiliares, telas, rodos, calhas, chavetas, morcetes, entre outros.

As palestras serão apresentadas pelas empresas: Agabê, Fremplast, Gênesis Tintas, Global Química, Mega Global e pelos consultores Rafael Roan e Vânio Niks. Confira a programação:

 

Dia 10/07:

14h00 às 14h45: Gênesis Tintas - Nichos de mercado: moda infantil, religiosa, esportiva, com Moacir Ferreira.             

15h00 às 15h45: Agabê - Como preparar uma matriz serigráfica perfeita, com Donizete Baldin e André Manzatto.        

16h00 às 16h45: Global Química & Moda - Como revolucionar o seu negócio com impressão DTG, Felipe Simeoni            

17h00 às 17h45: Fremplast - Variedade de aplicações para moda fitness e esportiva, Anderson Fernandes e Rogério Lacerda.

18h00 às 18h45: Mega Global - O fotolito certo para suas impressões, Moacir Ferreira.        

19h00 às 19h45: Rafael Roan - Impressão de quadricomias, simulados e indexados, Rafael Roan e Vânio Niks.

 

Dia 11/07:

14h00 às 14h45: Fremplast - Efeitos diferenciados: como dar qualidade ao seu trabalho, Anderson Fernandes e Rogério Lacerda.         

15h00 às 15h45: Mega Global - Preparação e recuperação de matrizes serigráficas, Moacir Ferreira.            

16h00 às 16h45: Gênesis Tintas - Serigrafia Cilíndrica: imprimindo copos long drink, Altair Junior.            

17h00 às 17h45: Agabê - O que é quadricomia e como confeccionar as matrizes, Donizete Baldin e André Manzatto.

18h00 às 18h45: Global Química & Moda - Como revolucionar o seu negócio com impressão DTG, Felipe Simeoni.           

19h00 às 19h45: Rafael Roan - Impressão de quadricomias, simulados e indexados, Rafael Roan e Vânio Niks.             

 

Dia 12/07:     

14h00 às 14h45: Agabê - Serigrafia e sustentabilidade, Donizete Baldin e André Manzatto.            

15h00 às 15h45: Fremplast - Impressão serigráfica solvente para diversos substratos, Anderson Fernandes e Rogério Lacerda.

16h00 às 16h45: Mega Global - Serigrafia artística: impressão de pôsteres, Zanksy.  

17h00 às 17h45: Global Química & Moda - Como revolucionar o seu negócio com impressão DTG, Felipe Simeoni.           

18h00 às 18h45: Gênesis Tintas - Como calcular o custo da sua estampa, Moacir Ferreira.    

19h00 às 19h45: Rafael Roan - Impressão de quadricomias, simulados e indexados, Rafael Roan e Vânio Niks.             

 

Dia 13/07:

11h00 às 11h45:  Global Química & Moda - Como revolucionar o seu negócio com impressão DTG, Felipe Simeoni.

12h00 às 12h45:  Gênesis Tintas - Dicas de materiais e equipamentos para começar na serigrafia, Camila Erharter.

13h00 às 13h45: Fremplast - Soluções técnicas para evitar migração dos tecidos sintéticos, Anderson Fernandes e Rogério Lacerda.

14h00 às 14h45: Mega Global - Serigrafia Cilíndrica: imprimindo copos long drink, Altair Junior.

15h00 às 15h45: Agabê - Custo de produção de matrizes serigráficas, Donizete Baldin e André Manzatto.

16h00 às 16h45: Rafael Roan - Impressão de quadricomias, simulados e indexados, Rafael Roan e Vânio Niks.



Agfa lança impressora Anapurna H1650i

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/02/2018
Máquina é equipada com tecnologia UV LED

Máquina é equipada com tecnologia UV LED

A fabricante Agfa ampliou seu portfólio de equipamentos de grande formato e anunciou a Anapurna H1650i, impressora UV LED híbrida com 1,65m de largura. Segundo a empresa, trata-se de uma versão menor e mais acessível da Anapurna H2050i (o interessado no equipamento pode entrar em contato com a Top Suuply).

Indicada para sinalização e comunicação visual, a impressora estampa mídias rígidas e flexíveis por meio de cura UV LED e emprega tinta branca e tecnologia de deposição de camadas finas.

Com sistema de alimentação de substratos que conta com correias especiais e feixe de transporte reforçado, o equipamento vem com cabeças de impressão capazes de disparar gotas de 12 picolitros.

A Anapurna H1650i inclui sistema LED refrigerado a ar, que permite a impressão em substratos finos e sensíveis a calor. O dispositivo consume menos de energia e é capaz de imprimir em número maior de mídias.

Philip Van der Auwera, gerente de produto da Agfa Graphics, declarou: “A Anapurna H1650i LED foi projetada como uma opção de entrada, mas robusta e versátil para provedores de serviços de impressão de grande formato. Embora menor, está equipada com recursos impressoras de ponta, como a medição automática da altura da cabeça e a barra antiestática”.

A impressora roda com o Asanti, software de fluxo de trabalho da Agfa.

Fonte: Agfa



Dicas para produção de sublimação por calandra

Por João Leodonio em 04/03/2018
Calandra pode aumentar a produtividade, desde que bem utilizada

Calandra pode aumentar a produtividade, desde que bem utilizada

A sublimação por calandra é o processo de transferência de imagens realizada por equipamentos cilíndricos que produzem de forma ininterrupta. Pode ser direta ou realizada por meio de rolos de papel impresso.

Há duas formas de estampagem na sublimação por calandra: imagem localizada ou imagem corrida cobrindo toda a área do papel (posterior do tecido). Nos dois casos, pode-se utilizar o rolo de tecido ou o tecido já cortado.

A sublimação por calandra é uma excelente opção para quem quer sublimar tecidos em rolos e estampas corridas exclusivas, pois trata-se de um processo que oferece velocidade de produção rápida. É também uma boa opção para estampas localizadas e com o corte já feito. Antes de adquirir uma calandra, recomenda-se analisar a relação custo x benefício e compará-la com o processo folha a folha de prensa plana.

Cuidado: papéis e tecidos já cortados podem enrugar durante o processamento na calandra

Limites de largura

As larguras são estipuladas de acordo com o tecido e a estampa (dimensionada com a produção). As mais comuns são 1,20m; 1,50m; 1,60m e 1,80m, mas há exceções.

Tipo de tecido

Quanto à composição do tecido, o ideal é 100% poliéster ou composto com outro tipo de fio com alta quantidade de poliéster. O tecido tubolar não pode ser utilizado em função de seu tipo de fabricação.

Problemas

Papéis ou tecidos já cortados podem enrugar no processo e causar problemas de estrias. Eles também podem sair do lugar, e a estampa será transferida erroneamente. Portanto, é prudente evitar passar na calandra papel e tecido já cortados.

Quando se utiliza rolo de tecido e papel impresso, um dos problemas mais comuns é a falta de tensão por igual nos lados da calandra. Neste caso, a habilidade do operador faz toda a diferença. Além do acerto inicial, é preciso atentar-se durante todo o processo, para evitar que não aconteçam falhas na sublimação.

Quando o serviço colocado em máquina não está no rolo ou as imagens estão para fora do tecido (sangria), a manta de apoio da calandra pode manchar. O ideal é passar, entre o tecido e a manta, um papel kraft de 100g/m2, para ele absorver o excesso de tinta e proteger a manta.

Regule corretamente as varáives do processo, para evitar falhas e retrabalhos

Temperatura e velocidade

São as variáveis que limitam o processo e o tipo de tecido utilizado. Para sublimar alguns tipos de tecido, é preciso mudar as regulagens de temperatura e velocidade porque elas podem alterar a estrutura do fio.

Com a necessidade de maior produtividade, algumas empresas aumentam a velocidade da passada. Porém, se ela for superior ao mínimo para um serviço de qualidade, poderá acontecer falhas causadas pela pouca transferência e pouca exposição, como manchas mais claras. O ideal de velocidade é de 1 a 3 m/min.

Quanto à temperatura, a média é de 200ºC. O ideal é variar entre 195ºC e 220ºC. O recomendado é ajustar essa variável de acordo com o tipo de tecido, pois há materiais que não suportam temperaturas muito altas. Porém, deve-se observar a qualidade do serviço em temperaturas mais baixas.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático