Mercado de impressão industrial deve atingir 137 bilhões de dólares em 2024

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/10/2019
Em 2019, o segmento vale quase 100 bilhões de dólares

Em 2019, o segmento vale quase 100 bilhões de dólares

Há novas oportunidades muito interessantes sendo criadas pela impressão industrial e funcional. É o que aponta um estudo recém-lançado pela consultoria norte-americana Smithers. Intitulado “The Future of Functional and Industrial Printing to 2024”, o relatório aponta que o valor atual do segmento é de 97,7 bilhões de dólares, e a previsão é que ele aumente para 137 bilhões de dólares em 2024.

O estudo exclusivo fornece dados de mercado e informações tecnológicas sobre impressão funcional e industrial, segmentadas por processo, aplicações e segmentos.

Segundo a Smithers, a Ásia é a maior região produtora de impressão industrial, o que reflete a posição da China e de outros países vizinhos recém-industrializados. A maioria das inovações técnicas está centrada em máquinas inkjet, que está substituindo impressoras analógicas e mudando a dinâmica das produções.

Outro apontamento contido no relatório mostra que há soluções inovadoras para novas aplicações e setores, como eletrônicos impressos. Além disso, os fornecedores de tecnologias inkjet estão identificando a impressão industrial como um novo segmento. Por isso, têm desenvolvido fluidos, métodos de aplicação e recursos integrados de impressão em muitos setores da indústria.

Os segmentos abaixo foram estudados e retratados na pesquisa:

- Decoração e arquitetura: a inkjet vem sendo adotada por empresas que produzem e estampam aplicações de decoração de interiores como portas, pisos e revestimentos de parede. Novos sistemas inkjet de única passada podem substituir a impressão de rotogravura, pois oferece aos clientes vantagens como a personalização.

- Cerâmica: a inkjet já é amplamente usada na impressão de cerâmica, sobretudo em decoração de interiores. O próximo passo é o desenvolvimento de impressoras que que apliquem vernizes inovadores e produzam efeitos superficiais.

- Eletrônica: novas aplicações estão sendo desenvolvidas com tintas e fluidos funcionais, embora a consistência da impressão continue sendo um desafio na produção de eletrônicos.

- Vidro: impressoras inkjet planas de amplo formato dedicadas a impressão de vidro chegaram para atender ao segmento de arquitetura, sobretudo na produção de projetos exclusivos e personalizados.

- Automotivo: a otimização da produção e a necessidade de diminuir o peso são fatores que estão levando a indústria de carros de luxo a adotar, por exemplo, painéis de iluminação OLED impressos. Porém, o maior volume concentra-se nos materiais impressos para veículos de baixo custo. A inkjet está sendo explorada como substituta de tintas e decalques externos em carros e outros veículos.

- Biomedicina: o envelhecimento da população em vários países aumentou a demanda por serviços de saúde. Há biossensores que monitoram condições geriátricas crônicas sem intervenção direta dos médicos. Muitos desses dispositivos podem ser impressos, especialmente em substratos flexíveis que aderem à pele.

Fonte: Smithers



Case: antena parabólica camuflada com vinil adesivo

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 14/08/2013

Envelopamento de carro, moto e lancha. Personalização de móveis, paredes e ambientes. Adesivação de displays, balcões e estandes. Corriqueiras nos mercados de arquitetura e comunicação visual, essas aplicações têm um elemento em comum: o vinil adesivo — um substrato versátil capaz de se moldar a muitas superfícies diferentes.

Além dos tradicionais trabalhos em veículos e pontos de venda, o Coastline Graphics, birô sediado no Reino Unido, realizou a camuflagem de uma antena parabólica. A excentricidade foi pedida por um cliente que gostaria de ver a sua antena "integrada" à natureza.

Para o trabalho, a Coastline empregou vinis adesivos 3M IJ180, que foram impressos numa Mimaki JV33. A empresa tem uma licença exclusiva da RealTree para imprimir padrões de camuflagem em alta definição. Veja abaixo o resultado desse trabalho camaleônico.

Fonte: Graphic Display World

satelite 1 satelite 2 satelite 3



Fujifilm anuncia venda de impressora Jet Press 540W

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/03/2013

A Fujifilm anunciou, no mercado internacional, a disponibilidade comercial da Jet Press 540W, impressora inkjet única passada que foi lançada em 2012, na Drupa. A máquina é indicada para curtas tiragens e personalização de materiais gráficos comerciais e editoriais, como folhetos, revistas, livros e jornais. Com um design exclusivo e compacto, a Jet Press 540W também permite a impressão frente e verso.

O equipamento trabalha com substratos de até 540 milímetros de largura, a uma velocidade de 127 metros por minuto, com uma qualidade de 600 dpi (que podem ser atualizados para 1200 dpi posteriormente). A Jet Press 540W também utiliza uma tecnologia exclusiva de reticulagem (FM) que permite a reprodução de cores suaves e textos nítidos, bem como elimina o efeito moiré.

Jet Press 540W: impressora inkjet única passada da Fujifilm

Jet Press 540W: impressora inkjet única passada da Fujifilm

A impressora da Fujifilm trabalha tanto com tinta corante quanto com pigmentada. São as VIVIDIA WP-S e VIVIDIA WD-S. A primeira, que é pigmentada, pode ser usada em quase todas as aplicações gráficas, apresenta ampla gama de cores e provoca menos decalque. Já a VIVIDIA WD-S (corante) também tem uma ampla gama de cores, mas oferece melhor resistência a água, quando usada ​​em papéis inkjet.

Segundo a fabricante, ao combinar as capacidades de imprimir pequenas tiragens e trabalhar com dados variáveis, a Jet Press 540W suporta grande variedade de trabalhos e abre novas oportunidades para as empresas prestadoras de serviços gráficos.

Fonte: Adcomms. Texto: InfoSign