Kornit lança versão Lite da impressora Storm HD6

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 28/01/2020
Equipamento tem capacidade produtiva de 60 mil impressões por ano

Equipamento tem capacidade produtiva de 60 mil impressões por ano

A fabricante Kornit anunciou a Storm HD6 Lite, impressora DTG que substitui o modelo Kornit Storm II.

Capaz de produzir até 60 mil impressões por ano, a Storm HD6 Lite é indicada para estamparias que estão migrando para o mercado industrial ou para serigrafias com tecnologia analógica que buscam ampliar seus recursos de produção.

Omer Kulka, vice-presidente executivo de marketing e estratégia de produtos da Kornit, declarou: “No ano passado, lançamos muitos produtos inovadores, de acordo com o novo ritmo das indústrias de estamparia têxtil que exigem qualidade e durabilidade e que atendem pedidos sob demanda para uma grande variedade de clientes e consumidores. E a nova Storm HD6 Lite chega para atender empresas e marcas de todos os tamanhos e necessidades”.

Fonte: Kornit



Avery lança vinis adesivos acetinados e iridescentes

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 24/04/2017
Filmes fazem parte da linha Supreme Wrapping

Filmes fazem parte da linha Supreme Wrapping

A Avery Dennison, fabricante de mídias para comunicação visual, anunciou a expansão da série Supreme Wrapping, que – além do Lightning Ridge (filme iridescente que muda de verde para roxo) – passou a ter mais oito opções de vinis com acabamentos acetinado e brilhante, que são:

  • Satin Orange (acetinado laranja);
  • Satin Yellow (acetinado amarelo);
  • Satin Grass Green (acetinado verde grama);
  • Satin Light Blue (acetinado azul claro);
  • Satin Dark Blue (acetinado azul escuro);
  • Satin Metallic Purple (acetinado roxo metálico);
  • Satin Silver (acetinado prata);
  • Satin Gray (acetinado cinza).

Por enquanto, os vinis são comercializados apenas na América do Norte.

Jeff Losch, diretor de marketing da Avery Dennison dos EUA, declarou: “Estamos entusiasmados por apresentar novas opções de acabamento do portfólio do Supreme Wrapping, com as características típicas da série, como reposicionamento, durabilidade e funcionalidades de aplicação sem bolhas, as quais tornaram estes filmes tão populares entre os instaladores. Estes novos vinis foram inspirados pelas necessidades e desejos de nossos clientes”.

Indicada para envelopamento de veículos, a linha Supreme Wrapping é composta por mais de 100 opções de cores e acabamentos.

Fonte: Avery Dennison



Aplicação de vinil adesivo: a seco ou úmida

Por Eduardo Yamashita em 27/06/2015

Conheça prós e contras de cada um dos métodos de aplicação

Conheça prós e contras de cada método

Na hora de adesivar vinis, em uma parede ou ao fazer o envelopamento de carros, os profissionais de instalação e aplicação deparam-se com uma dúvida elementar: usar método úmido ou a seco?

A diferença entre eles é a presença (ou não) de água, elemento cujo objetivo é criar uma "película" entre o adesivo (cola) e a superfície. A água diminui a aderência (tack) inicial do adesivo. Isso facilita a aplicação, pois o adesivo fica com menos área de contato com a superfície.

Na aplicação úmida, é possível reposicionar o vinil até que o aplicador encontre a posição correta da película. No método a seco, como a aderência é total, não é possível fazer o reposicionamento do vinil.

Cada método tem prós e contras, resumidos a seguir:

  Vantagens    Desvantagens
Aplicação úmida
- Baixa adesão do adesivo (cola) à superfície;
- Reposicionamento total do vinil;
- Facilidade nos encaixes entre vinis.
- Adesão inicial mais demorada;
- Elevado tempo de instalação (em função da secagem da água);
- Necessário ambiente adequado para trabalhos com água;
- Limitado a superfícies planas ou curvas simples.
Aplicação a seco
- Não precisa de tempo adicional antes do acabamento;
- Poder ser usado em qualquer superfície.
- Necessário uso de fitas de posicionamento da imagem;
- Alta aderência do adesivo (cola) à superfície;
- Difícil reposionamento.

 

A seco ou úmida

Uma pergunta bastante frequente é: Qual método devo utilizar? Para obter a resposta, você vai precisar saber o tipo de superfície sobre a qual será aplicado o vinil adesivo.

O método a seco é indicado para qualquer tipo de superfície. Já o úmido é indicado apenas para superfícies planas ou com curvaturas simples.

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A diferença entre ambas é a aplicação de água

A pergunta seguinte é: Por quê? Porque, ao aplicar o método úmido em superfícies complexas (com curvaturas compostas e baixos relevos), não é possível remover toda a água utilizada no processo. Ou seja, o trabalho deixa resíduos entre o adesivo e a superfície, formando microbolhas de água — imperceptíveis após a aplicação.

Quando o vinil aplicado é submetido ao calor (do sol), as microbolhas levantam o vinil, que resseca com o tempo e acaba rompendo-se, causando estragos irrecuperáveis à imagem. Portanto, ao facilitar a aplicação, corre-se o risco de prejudicar todo o trabalho.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

 

Texto originalmente publicado com exclusividade no InfoSign, no dia 27 de junho de 2013. Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.