EFI exibirá impressora Reggiani ReNoir Next na Febratex 2016

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 12/07/2016
Reggiani ReNoir Next é indicada a estamparias e indústrias têxteis

Reggiani ReNoir Next é indicada a estamparias e indústrias têxteis

A EFI, fabricante de impressoras digitais, estará na Febratex 2016, feira que ocorre entre os dias 9 e 12 de agosto, no Parque Vila Germânica, em Blumenau (SC). Para o evento, a empresa promete levar a Reggiani ReNoir Next, equipamento de porte industrial para estamparia têxtil digital.

A empresa recepcionará visitantes e clientes no estande 45, do setor 1, onde estarão especialistas dos produtos voltados para a indústria têxtil. A fabricante também realizará demonstrações de impressão em papel trans para aplicações em roupas esportivas, moda e sinalização.

Apresentada ao público brasileiro durante a Fespa Brasil 2016, em São Paulo, a Reggiani ReNoir Next é a primeira impressora de entrada industrial sem esteira. A máquina emprega tintas à base d’água e suporta mídias com até 1,8m de largura.

A impressora faz parte do portfólio de equipamentos EFI Reggiani, que também incluir tecnologias front-end digital e máquinas pré e pós-tratamento.

Em sua 14ª edição, a Febratex almeja reunir cerca de 90 mil profissionais do mercado de tecidos, expositores de mais de 50 países e muitas novidades da indústria têxtil.

Fonte: EFI



Durst amplia portfólio de soluções têxteis

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 28/08/2016
Durst e Technijet unem-se para desenvolver a Swiftjet

Durst e Technijet unem-se para desenvolver a Swiftjet

A Durst, fabricante de impressoras, e a Technijet, fornecedora de sistemas de lavagem de tecidos, firmaram uma parceria para desenvolver a Swiftjet, solução de pré-tratamento de substratos têxteis. Trata-se de uma unidade conectada à impressora que realiza pulverização, secagem e os outros procedimentos para tratar os fios dos tecidos. A solução é adaptada para os equipamentos da série Durst Alpha e pode processar larguras de impressão de até 330cm. A Durst também oferecerá o sistema como solução independente para terceiros.

Christoph Gamper, CEO da Durst, declarou: “Em todos os segmentos nos quais atuamos, nosso maior objetivo é substituir as tecnologias ‘antigas’ por novos sistemas. Não é apenas fazer a mudança do analógico para o digital. Trata-se de uma redefinição dos processos de produção. Nesta redefinição, eficiência econômica e critérios ambientais não são exclusivos, mas complementares. Com as nossas impressoras e a Swiftjet, pode-se reduzir significativamente a pegada ecológica, em particular na estamparia têxtil”.

Desde 2015, a Durst tem investido recursos para otimizar a eficiência produtiva e ambiental de seus equipamentos da linha Alpha. A empresa também lançou o Alpha P, sistema de tintas pigmentadas que pode imprimir em algodão e poliéster e não exige aglutinantes e processos adicionais, o que reduz o consumo de água e energia na produção.

Fonte: Durst



Tudo sobre fabricação de tinta solvente (impressão digital)

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/11/2012

Atire a primeira pedra o impressor que nunca teve problemas com tinta. Cores impressas que não correspondem às tonalidades do arquivo, entupimento das cabeças de impressão digital, falta de adesão ao substrato: tudo isso pode ter relação direta ou indireta com os insumos usados no equipamento.

O que fazer diante de problemas como esses? Entrar em contato com o fornecedor? Pedir assistência técnica? Mudar de tinta? Todas são possibilidades cabíveis. Mas para tomar a decisão acertada, nada melhor do que dominar o assunto. Conhecer características, componentes e métodos de fabricação ajuda muito na hora de comprar e usar os insumos.

Visando esclarecer os técnicos e empresários do mercado sobre tais pontos, a Gênesis, fabricante de tinta de impressão digital, encomendou ao editor do InfoSign (Luiz Ricardo Emanuelli) uma série (em 3 partes) de artigos técnicos sobre o assunto.

Na primeira parte, estão descritos os processos de dispersão, moagem, micronização e filtragem, utilizados na fabricação das tintas. Já o segundo texto aborda os elementos desses insumos: pigmentos, resinas, aditivos e solventes. A parte final trata de propriedades, como ancoragem, tensão superficial, viscosidade, entre outras.

A dispersão, uma das etapas da fabricação da tinta, é detalhada na série de artigos sobre o insumo

Texto: InfoSign. Informações de: Blog da Gênesis