Artigo: Pensando fora da caixa

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/07/2019
Você já parou para pensar em alternativas que agreguem valor aos seus impressos?

Você já parou para pensar em alternativas que agreguem valor aos seus impressos?

Se você trabalha em um birô de sinalização e grande formato, pode pensar em algumas coisas para aumentar a lucratividade da empresa. Você pode arregaçar as mangas, promover agressivamente seus serviços e conquistar participação de mercado de seus concorrentes. Você também pode misturar as coisas e oferecer algo diferente, e cobrar um prêmio nesse processo.

A meta de qualquer birô de sinalização é obviamente garantir que seus clientes captem a atenção dos usuários finais (consumidores). Isso significa agarrar o olhar deles por alguns segundos vitais e atraí-los. Se você tiver o equipamento certo, obter isso pode ser mais fácil, rápido e barato.

Tomemos, por exemplo, um revestimento UV transparente de acabamento brilhante aplicado a um display de PDV. Além de oferecer uma aparência de alto nível para a peça, a película torna o PDV mais atraente quando a luz o atinge. E a probabilidade de os clientes perceberem isso aumenta muito.

Outro exemplo é a adição de texturas. É uma oportunidade para produtos decorativos e objetos promocionais. Em vez de simplesmente imprimir algo, com o software certo, você pode produzir uma textura para dar uma sensação tátil real ao impresso.

Melhor ainda, ao elaborar um orçamento para aprovação do trabalho, é possível adicionar uma seleção como “adicionar UV local” ou “adicionar textura”. Faça isso e tenha algumas amostras impressas. Assim, você estará mais apto a conseguir aumentar o valor (e o preço) do trabalho.

Tornar esse processo livre de falhas é uma sofisticação existente de alguns softwares de sinalização. Alguns pacotes de aplicativos permitem que você gerencie tudo, do design à adição de verniz e texturas UV. Isso elimina a necessidade de lidar com pacotes diferentes, o que pode causar perda de tempo e dores de cabeça.

Enfim, há muitas oportunidades para aqueles que pensam um pouco diferente em nosso setor e conseguem demonstrar valor agregado aos seus clientes.

Este artigo foi escrito por Bobby Fosson, gerente de vendas nos EUA da SAi, desenvolvedora de softwares de sinalização e grandes formatos. O executivo pode ser contatado pelo e-mail bobbyf@thinksai.com

 



Roland DG anuncia ter vendido 420 mil plotters de recorte no mundo

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 15/01/2015

Fabricante japonesa começou a produzir equipamentos de recorte em 1988

Fabricante japonesa começou a produzir equipamentos de recorte em 1988

A Roland DG, fabricante japonesa de equipamentos para comunicação visual, recentemente anunciou ter vendido 420 mil unidades de suas plotters de recorte. A empresa produz e comercializa esse tipo de equipamento desde 1988, quando lançou a linha CAMM-1.

Segundo a fabricante, a introdução das plotters de recorte no mercado internacional foi um divisor de águas para diversos setores, sobretudo para aqueles que produzem etiquetas, decalques, sinalização, pisos e decoração. Antes da chegada dos equipamentos, esses trabalhos eram feitos à mão, sendo mais demorados e dispendiosos.

Outro ponto significativo na história da empresa foi o lançamento da linha STIKA, em 1990. Desenvolvidas para consumidores e escritórios, as plotters da série produziam materiais para decoração de automóveis e lojas de varejo, além de sinalização de escritório e ponto de venda (PDV).

Yuko Maeda, gerente geral da Roland DG para produtos de sinalização, declarou: "Acreditamos que a necessidade do uso das plotters ainda é grande. Portanto, continuamos empenhados em superar as expectativas dos clientes ao produzir tecnologia líder de mercado. A venda de 420 mil equipamentos é prova do nosso sucesso".

Fonte: Large Format Review



Efi Arazi, gênio da impressão digital, falece aos 76 anos

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 15/04/2013

Efi Arazi - 1937-2013

Efi Arazi – 1937-2013

Pioneiro da indústria de impressão digital, Efi Arazi, que ajudou a revolucionar o segmento de comunicação visual, faleceu domingo passado, dia 14 de abril.

Nascido em Jerusalém, Israel, em 1937, Arazi teve um longa carreira permeada por genialidade e inovação. Aos 16 anos, em seu país natal, foi premiado em um concurso de tecnologia. Em 1960, formou-se em engenharia pelo mundialmente conceituado MIT (Massachusetts Institute of Technology), nos EUA, onde ajudou a desenvolver a câmera de tevê utilizada na missão Apolo 11. Aos 23 anos, tornou-se membro da Universidade de Harvard.

Sua contribuição para a indústria de impressão começou em 1967. De volta a Israel, Arazi fundou e dirigiu (até 1988) a Scitex, empresa especializada no desenvolvimento e na fabricação de hardwares e softwares para o mercado gráfico.

Depois de deixar a Scitex, Arazi deu outra contribuição ao mercado de impressão: fundou a Electronics For Imaging (EFI), empresa que formatou o conceito de "digital front end", além de criar e fabricar copiadoras e impressoras de grande formato.

Com uma carreira brilhante, Efi Arazi deixa um enorme legado à indústria global de impressão digital e comunicação visual.

Fonte: InfoTrends