Anunciados os sete finalistas do Wrap Like a King, campeonato de envelopamento promovido pela Avery

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/10/2015
Finalistas da edição 2015 do Wrap Like a King se encontrarão na feira Sema

Finalistas da edição 2015 do Wrap Like a King se encontrarão na feira Sema

A Avery Dennison, fabricante de películas adesivas, anunciou os trabalhos finalistas do Wrap Like a King, competição internacional de envelopamento de carros. Um júri composto por profissionais especializados escolheu os vencedores de sete das regiões nas quais o concurso se realiza: Europa, Canadá e cinco territórios dos EUA (Sul, Leste, Oeste, Centro e Meio-Oeste).

No estande da Avery dentro da feira Sema, que ocorrerá entre os dias 3 e 6 de novembro, em Las Vegas, EUA, os sete vencedores regionais (ver imagens abaixo) se encontrarão para competir pelo prêmio máximo, o King of the Wrap World. Nessa última fase, os instaladores terão de mostrar suas habilidades ao envelopar veículos durante o evento.

Os juízes avaliaram um total de 173 trabalhos inscritos, levando em conta critérios como habilidade requerida para a instalação, qualidade da aplicação, diferenciais de design e transformação visual (a diferença entre o veículo antes e depois do envelopamento).

Cada vencedor regional ganhou um pacote de prêmios no valor de 3.200 dólares, que inclui estadia de três noites em Las Vegas (para participar da feira Sema), 500 dólares em dinheiro, uma bobina de vinil Avery Dennison Wrap Class, um troféu Regional Wrap King, uma sessão de autógrafos com Ryan Friedlinghaus, da West Coast Customs, e serviços de suporte de marketing da Avery Dennison.

A Avery também anunciou que o campeão mundial da competição, a ser anunciado durante a feira Sema, receberá um prêmio adicional de 500 dólares em dinheiro, um troféu King of the Wrap World e quase mil dólares em serviços de apoio de marketing, como anúncios no site da Avery e em publicações impressas e de feiras de negócios.

Um dos pré-requisitos para participar do Wrap Like a King é utilizar vinis da Avery, de linhas como Supreme Wrapping, Conform Chrome e Supercast. Conheça os finalistas:

Centro dos EUA: Psycho Hurricane, trabalho realizado pela PG NOLA, de Nova Orleans. Uma Lamborghini Huracan foi adesivada com vinis Conform Chrome Silver, High Visibility 1200 Black Reflective e Black Chrome, além de laminação com DOL 1370
Vencedor do Centro dos EUA: Psycho Hurricane, trabalho realizado pela PG NOLA, de Nova Orleans. Uma Lamborghini Huracan foi adesivada com vinis Conform Chrome Silver, High Visibility 1200 Black Reflective e Black Chrome, além de laminação com DOL 1370
Leste dos EUA: Custom Chrome Shelby 1000, trabalho realizado pela Designer Wraps, de Millville. Um Ford Shelby Mustang foi adesivado com Conform Chrome e laminação DOL 1460
Vencedor do Leste dos EUA: Custom Chrome Shelby 1000, trabalho realizado pela Designer Wraps, de Millville. Um Ford Shelby Mustang foi adesivado com Conform Chrome e laminação DOL 1460
Meio-Oeste dos EUA: SpadeMade Ram, da Spade Kreations, de Cincinnati. Um Dodge Ram 2500 Mega Cab foi adesivado com Supreme Wrapping Film Matte Black e Conform Chrome Gold, além de laminação DOL 1080
Vencedor do Meio-Oeste dos EUA: SpadeMade Ram, da Spade Kreations, de Cincinnati. Um Dodge Ram 2500 Mega Cab foi adesivado com Supreme Wrapping Film Matte Black e Conform Chrome Gold, além de laminação DOL 1080
Sul dos EUA: Chrome
Vencedor do Sul dos EUA: Chrome "Rust Bucket" Caddy, da MetroWrapz, de Hollywood. Um Cadillac Escalade ESV foi adesivado com Supreme Wrapping Film Matte Black e Gloss Black e Conform Chrome Silver, além de laminação com DOL 1080
Norte dos EUA: Pagani Huayra, da SS Customs, de Redwood City. Um Pagani Automobili Huayra foi adesivado com Supreme Wrapping Film Satin Black e Conform Chrome Black
Vencedor do Norte dos EUA: Pagani Huayra, da SS Customs, de Redwood City. Um Pagani Automobili Huayra foi adesivado com Supreme Wrapping Film Satin Black e Conform Chrome Black
Canadá: Sekanskin in Mississauga, de Ontário. Um Nissan 370Z foi adesivado com Supreme Wrapping Film Milky Way, Satin Pearl Cielo Blu e Gloss Yellow
Vencedor do Canadá: Sekanskin, de Ontário. Um Nissan 370Z foi adesivado com Supreme Wrapping Film Milky Way, Satin Pearl Cielo Blu e Gloss Yellow
Europa: M4 Colourexplosion, da SIGNal Reklame GmbH in Schwäbisch Hall, da Alemanha. Uma BMW M4 foi adesivada com MPI 1005 e laminação DOL 1400
Vencedor da Europa: M4 Colourexplosion, da SIGNal Reklame GmbH in Schwäbisch Hall, da Alemanha. Uma BMW M4 foi adesivada com MPI 1005 e laminação DOL 1400

Fonte: Wrap Like a King



Digital Sign lança cartuchos para limpeza de cabeças

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/08/2014

Cartuchos da InkJetClean é compatível com impressoras que usam cabeças Epson

Cartuchos da InkJetClean são compatíveis com impressoras que usam cabeças Epson

A Digital Sign Technologies, fornecedora de materiais para impressão digital, lançou no mercado internacional cartuchos da linha InkJetClean, composta por insumos para limpeza, manutenção e recuperação de cabeças de impressão da Epson. Os cartuchos são compatíveis com equipamentos ecossolvente Mimaki, Roland e Mutoh.

O fluido passa pelas cabeças e recupera os nozzles avariados. Além disso, limpa as tubulações e o capping station da impressora.

Em minutos, os cartuchos melhoram a condição das cabeças, economizando tempo e eliminando riscos associados ao desgaste das peças.

Os cartuchos podem ser usados quando o operador da impressora notar problemas decorrentes do entupimento dos nozzles. A manutenção assegura a consistência e a qualidade de saída dos impressos, além de aumentar o tempo de vida útil das cabeças.

Fonte: My Print Resource



Os iluminantes: fundamentais no gerenciamento de cores

Por Pedro Gargalaca em 05/12/2012

Neste artigo técnico, há informações sobre os iluminantes CIE usados para o controle e gerenciamento de cores.

Luz e iluminantes

Qualquer luz emite energia nas diferentes faixas de comprimento de onda do espectro visível. Ao resultado gráfico disso, damos o nome de "curva de distribuição de energia espectral dos iluminantes".

O gráfico abaixo mostra a emissão energética da luz do dia (com temperatura de cor de 6500K). O eixo horizontal representa os comprimentos de onda (entre 300 e 820nm). Já o eixo vertical representa a energia relativa espectral. O pico da curva ocorre aos 460nm, na região dos azuis. Ou seja, a aparência dessa luz será azulada. Portanto, os objetos observados sob este iluminante tenderão a parecer mais azulados.

Emissão energética espectral da luz do dia, com temperatura de cor de 6500K

Iluminante e fonte luminosa

Também é importante entender a diferença entre fonte luminosa e iluminante. De acordo com Billmeyer e Saltzman, uma fonte depende de energia para gerar iluminamento. Por exemplo: as lâmpadas que usam energia elétrica. Já um iluminante é definido por sua curva de energia espectral, que não precisa existir necessariamente.

Para a análise das fontes, usa-se um espectroradiômetro (ou um equipamento EyeOne). Os iluminantes são especificados por curvas de energia espectrais teóricas. Assim, podemos desenhar um gráfico, e ele passa a ser um padrão de iluminante.

Índice de Reprodução de Cor (IRC)

Os testes para verificar se uma fonte luminosa se aproxima de um padrão internacional (iluminante) é conhecido como CRI ("Color Rendering Index", ou Índice de Reprodução de Cor, o IRC).

A escala que classifica as fontes luminosas vai de 0 a 100 (o ponto 100 simula a luz do dia, isto é, a visualização do iluminante padrão D65).

A recomendação de algumas normas internacionais, como a ISO 3664, é que este índice seja sempre superior a 90, para que as fontes luminosas sejam confiáveis (para análise e gerenciamento de cores).

Porém, quanto maior o CRI de uma fonte, mais cara ela é: uma lâmpada com CRI acima de 90 custa mais do que uma com CRI inferior a 90.

Saiba que não existe nenhuma fonte luminosa que atinja o valor de CRI igual a 100.

Como os iluminantes afetam a cor

Vamos dar um exemplo: temos uma caixa nas cores preta, azul e verde. Ela fica numa sala com luz vermelha. Nessas condições, aos nossos olhos, vai parecer que a caixa é preta, pois todas as cores dela absorvem a cor vermelha e, portanto, nenhuma luz chega a nós.

Outro fenômeno é a metameria de iluminante. Duas cores parecem iguais quando vistas sob a mesma fonte luminosa, mas se tornam diferentes quando observadas sob outra. Por exemplo: uma cor com três pigmentos (vermelho, azul e amarelo) gerou a seguinte curva de reflectância espectral:

Na produção de um novo lote desta cor, o colorista teve que utilizar um tom alternativo, pois o vermelho que ele usava parou de ser fornecido. O resultado da formulação gerou a seguinte curva de reflectância:

Assim, chegamos a algumas conclusões:

  • Quando as duas cores são observadas sob a luz do dia, que ressalta as deficiências de azul, elas ficam com aparência idêntica. Isto se deve ao fato de que as duas curvas de reflectância espectral não possuem diferenças na região do azul;
  • Quando as duas cores são observadas sob a fonte de luz CWF, que é a lâmpada fluorescente branca fria, a aparência das duas cores começa a parecer diferente, pois a CWF ressalta os defeitos da região de verde. Como as duas curvas de reflectância já apresentam certa deficiência nesta região, os defeitos ficam mais evidentes;
  • Quando estas cores são observadas sob a fonte de luz incandescente, que ressalta as deficiências de vermelho e amarelo, a diferença fica muito perceptível, pois as curvas de reflectância são muito diferentes nesta região do gráfico.

Escolha o iluminante

Qual o iluminante correto para avaliar as cores do impresso? Resposta: aquele que mais se aproxima ao iluminante do local onde o impresso será visto e ficará exposto.

Por exemplo: se o impresso ficar em ambientes externos, escolha iluminantes que representem as variações da luz do dia. Se o impresso for instalado numa loja de departamento, escolha os iluminantes fluorescentes.

Saiba qual é a fonte luminosa (e o seu fabricante) utilizada no ponto de venda. Assim, você pode obter a curva de distribuição espectral da fonte e compará-la com as curvas dos iluminantes padrão CIE.

Outro exemplo: se a fonte utilizada no ponto de venda for a GE Branca Fria, pesquise as curvas de distribuição espectral nos catálogos da General Electric.

iluminante para gerenciamento de cores

Comparação entre iluminante de uma fonte GE e o iluminante CIE F2

O padrão para o iluminante CIE F2 foi baseado numa média de fontes fluorescentes "branca fria" disponíveis no mercado. Comparando as duas curvas de distribuição energética espectral acima, podemos observar que a curva da lâmpada da GE não é igual à curva do iluminante CIE F2. Mas elas são similares.

Se medirmos o CRI da lâmpada da GE, vamos obter algo próximo de 90. Portanto, ao medirmos com o espectrofotômetro usando o iluminante F2, estaremos simulando como o impresso será visto no ponto de venda.

Porém, nem todos os fabricantes permitem acesso às curvas de distribuição espectral de seus produtos. Nesta situação, precisamos saber se as cores produzidas não são metaméricas, e devemos avaliar a reprodução da cor em três iluminantes: D65 (luz do dia), F2 e A (Incandescente).

Se as variações de delta E não forem grandes entre esses três iluminantes, não haverá problemas em qualquer que seja o ambiente onde o impresso será exposto.

Fonte: Coralis. Edição do texto: InfoSign