Xaar e Meteor colaboram em desenvolvimento de solução têxtil

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/12/2017
Cabeça empregada em solução é a Xaar 1201

Cabeça empregada em solução é a Xaar 1201

As desenvolvedoras Xaar e Meteor Inkjet Ltd uniram-se para criar um ecossistema inkjet específico para impressão têxtil. Indicada a outros fabricantes (em regime OEM), a solução empregada cabeça de impressão Xaar 1201.

Embora a cabeça da Xaar seja parte fundamental, há uma série de outros componentes, como eletrônicos e softwares, que compõem o ecossistema, os quais desempenham papel fundamental no funcionamento da solução.

A Xaar 1201 possui 1280 nozzles e trabalha com pontos variáveis, que produzem imagens de alta qualidade em uma ampla gama de substratos, em resolução de até 1440 dpi.

Fonte: Xaar



Xaar apresenta nova série de cabeças de impressão Xaar 1003

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/03/2016
Xaar 1003 foi desenvolvida para atender fabricantes de impressoras para aplicações industriais

Xaar 1003 foi desenvolvida para atender fabricantes de impressoras para aplicações industriais

A fabricante Xaar anunciou a linha Xaar 1003, composta por cabeças de impressão desenvolvidas para aplicações industriais. A série, cuja arquitetura é baseada nas antecessoras Xaar 1002 e 1001, emprega a nova XaarGuard, tecnologia desenvolvida para proteger a placa de nozzles. Além disso, a cabeça pode manter maior consistência na qualidade de imagens em aplicações única passada. Isso porque é fabricada por meio do processo X-ACT Micro Electric Mechanical Systems (MEMS).

Assim como suas antecessoras, a série Xaar 1003 combina a exclusiva TF Technology com a arquitetura Hybrid Side Shooter, para que a tinta seja recirculada diretamente na parte de trás dos nozzles durante o disparo das gotas. Isso assegura que a cabeça opere de forma confiável mesmo em ambientes industriais mais agressivos. A constante circulação de tinta evita a sedimentação e o bloqueio dos nozzles.

A Xaar 1003 estará disponível em três modelos: o GS12 (para aplicações em cerâmicas), o GS6 (para reprodução detalhes finos) e o GS40 (para efeitos especiais). A empresa promete outras variantes para máquinas com impressão UV. 

Gillian Ewers, diretor de marketing da Xaar, declarou: “Além do alto desempenho, a Xaar 1003 é fácil de instalar e é compatível com as cabeças Xaar 1002 e 1001”.

A Xaar 1003 pode ser utilizada por diversos fabricantes de equipamentos de impressão em cerâmica, rótulos, objetos, embalagens, laminados de madeira, vidros e outras mídias usadas em aplicações industriais.

Fonte: Xaar



Dicas para um envelopamento perfeito – Parte 2

Por Eduardo Yamashita em 17/09/2016
Segunda parte do artigo aborda os tópicos local de instalação, aplicação e pós-instalação, para executar um envelopamento profissional

Segunda parte do artigo aborda os tópicos local de instalação, aplicação e pós-instalação, para executar um envelopamento profissional

Na primeira parte deste artigo, foram abordados pontos importantes para um envelopamento profissional. Desta vez, falaremos sobre mais três requisitos essenciais para o serviço. São eles: local de instalação, aplicação e pós-instalação.

Local de instalação

Depois de criar o design correto, escolher o material adequado, obter uma grande impressão e preparar perfeitamente o veículo, é necessário cuidar do local onde será realizado o envelopamento. Onde será feita a instalação? Será interna ou ao ar livre? A instalação interna fica livre de poeira e tem a temperatura adequada para a instalação?

O envelopamento ao ar livre é um começo terrível. Não há nenhuma maneira de evitar que partículas de poeira caiam sobre a superfície do carro, e quando isso acontece, forma-se uma camada de sujeira que ficará sob o vinil. Um grande número de partículas de poeira poderá causar grandes rasgos no vinil, permitindo que a água penetre na imagem, o que leva o envelopamento ao fracasso.

É muito mais recomendado que o veículo seja adesivado dentro de um estabelecimento. Porém, a instalação interna deve ser livre de qualquer tipo de poeira e deve estar na temperatura correta.

A instalação de um vinil em alta temperatura fará com que ele estique em demasiado e falhe em longo prazo, apresentando altos índices de encolhimento. Já a instalação em temperaturas baixas fará com que o vinil fique mais rígido, o que exigirá muito do instalador durante a aplicação.

O local da instalação é extremamente importante para garantir que o resultado final do envelopamento seja excelente.

Prefira sempre realizar envelopamento em locais fechado e mais protegidos de sujeiras e outras interferências

Aplicação

Muita gente pensa que é fácil instalar vinis em veículos. Afinal, ele é simplesmente um adesivo gigante. Errado! Para que o instalador aprenda a maneira correta de envelopar carros, são dispendidos dinheiro, materiais e muitas horas.

Diferentes materiais se comportam de maneiras diversas e, portanto, o instalador deve ter uma vasta experiência com vários tipos de vinis. Muitos deles também desenvolvem suas próprias ferramentas para o trabalho.

Embora a instalação do vinil seja muito difícil, o corte final do acabamento é ainda mais desafiador. Pode-se ter o envelopamento perfeitamente instalado, mas se o material em excesso não for cortado e dobrado corretamente, o resultado final terá um acabamento falho. Refilar o vinil requer mãos firmes, paciência e técnica. Isso é o que diferencia um excelente instalador de um bom instalador. Executar um envelopamento que parece um trabalho de pintura é o que todos desejam.

Experiência com diversos tipos de vinis adesivos é pré-requisito para um bom instalador

Pós-instalação

A pós-instalação é a etapa mais negligenciada pelos instaladores. Trata-se de uma parte demorada e mais chata.

Nessa fase, o instalador deve passar soprador térmico por cima dos vinis aplicados nas áreas rebaixadas e curvas. Esse procedimento garante que o filme seja aquecido a certo grau, conforme exigido pelo fabricante (recomenda-se de 45ºC a 50ºC para vinis de cor sólida e de 85ºC a 90ºC para vinis impressos). Isso porque todos os envelopamentos usam vinis compostos por PVC. Este material permite que o vinil tenha memória. Isso quer dizer que quando ele for sobrecarregado e aquecido, vai voltar à sua forma original. No entanto, uma vez que o vinil é instalado, espera-se que ele não volte à sua forma original, pois isso significa que ele encolherá e puxará para trás o material.

A única maneira de sobrepujar a memória do PVC é garantir que as áreas esticadas ou sob pressão cheguem a essa temperatura específica. Isso garantirá que o vinil mantenha sua forma.

Enfim, digamos que todos os fatores acima foram atendidos e executados perfeitamente. O que acontece se ainda tivermos problemas com o envelopamento? Serviço ao cliente é o único recurso de que você pode depender, de modo que escolher uma empresa de envelopamento respeitável torna-se a parte mais importante do seu processo de decisão.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual