Wallpen lança impressora inkjet vertical para estampar paredes

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 30/10/2017
Impressora Wallpen emprega cabeças Xaar

Impressora Wallpen emprega cabeças Xaar

A Wallpen GmbH, fabricante alemã de equipamentos de impressão, anunciou a Wallpen, impressora inkjet UV capaz de estampar imagens diretamente em paredes e superfícies verticais de ambientes internos ou externos. Com sistema patenteado, a máquina também imprime substratos, como gesso, papel de parede, madeira, pedra, plástico, azulejo, vidro, metal e concreto.

De acordo com a empresa, o equipamento pode ser empregado para estampar desenhos atraentes em espaços públicos, como centros comerciais, hospitais, museus e escritórios. Portanto, é indicada a pintores, decoradores, designers de interiores, birôs de comunicação visual, agências de publicidade, designers gráficos e empresas de outros setores.

Capaz de criar desenhos com quase 4m de altura, a Wallpen opera na velocidade de 4m2/h, em resolução de 370 x 600dpi. Compacto, o equipamento cabe em um carro de tamanho médio e pode ser facilmente transportado e configurado por uma pessoa em apenas cinco minutos.

A Wallpen levou dois anos para desenvolver a impressora, que incorpora uma barra de impressão Xaar 128 e utiliza uma estrutura de alumínio. Durante a operação, a máquina escaneia a superfície com um laser, para fazer ajustes e se adaptar às imperfeições e ondulações do substrato.

Andreas Schmidt, diretor da Wallpen, declarou: “Várias indústrias mostraram interesse pela impressora, e as vendas já estão indo bem. As cabeças Xaar 128 são fundamentais para o nosso produto, devido à sua capacidade de produzir tinta UV”.

Veja a impressora em funcionamento:

Fonte: Xaar



3M apresenta recomendações de preparação de superfícies pintadas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/04/2014

A 3M, fabricante de vinis, anunciou recentemente um novo procedimento de aplicação de películas adesivas, o Enhanced Adhesion Cleaning, que reúne informações sobre preparação de superfícies pintadas com materiais de baixo nível de componentes orgânicos voláteis (COVs).

Segundo a empresa, o material foi elaborado para ajudar instaladores que estão descobrindo que os vinis adesivos não aderem como antes. Alguns profissionais dizem que os filmes mudaram, mas na verdade são as novas formulações de pinturas de baixo COV que têm causado problema.

O novo método é simples: inicialmente, deve-se limpar determinada área usando uma mistura de 70% de álcool isopropílico e 30% de água. Após passar duas vezes a solução sobre a superfície, aplicam-se tiras de vinil nas áreas limpas onde a película será instalada. Depois de 15 minutos, é preciso observar a característica de release. Quando a adesão do filme estiver satisfatória, o mesmo método deve ser usado para preparar toda a área onde o vinil será instalado. Pesquisas na 3M mostram que esse procedimento pode aumentar a adesão de todos os filmes aplicados a uma superfície pintada.

Com as recomendações, o instalador pode melhorar seu desempanho na hora de aplicar vinis

Com as recomendações, o instalador pode melhorar seu desempenho na hora de aplicar vinis

O Enhanced Adhesion Cleaning da 3M é descrito em detalhes no site da 3M, no qual visitantes podem ler e baixar as instruções.

Fornecedores e instaladores também podem visitar o site para baixar o Bulletin 5.37 – A Guide to Understanding and Applying Graphics to Common Smooth and Textured Wall Surfaces (Um Guia para Entender e Aplicar Gráficos em Superfícies Suaves e Texturizadas). Em inglês, o documento fornece uma visão mais completa dos procedimentos de teste para instalação de filmes em paredes.

Joe Walton, engenheiro de serviço técnico da 3M, declarou: "A pinturas de baixo COV estão afetando o desempenho dos vinis adesivo. Para nós, da 3M, é importante agir rapidamente a fim de ajudar os instaladores. Essas novas e simples recomendações podem ajudar a prevenir falhas, problemas e prejuízos na instalação".

Fonte: 3M



Fotobras apresenta nova impressora solvente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/04/2013

Impressora solvente pode ser financiada pelo BNDES

Impressora solvente pode ser financiada pelo BNDES

Durante a Fespa Brasil 2013, a Fotobras apresentou a CIRRUS, impressora digital solvente de 3,2m de largura de impressão, que emprega quatro cabeças Xaar Proton 382.

De acordo com a Fotobras, a impressora, que tem um ano de garantia, trabalha na resolução de 720dpi e velocidades de 27m²/h, 35m²/h e 45m²/h.

O equipamento suporta substratos como vinil, lona, perfurado, mesh, entre outros materiais flexíveis.

Segundo os representantes da máquina, ela tem baixo custo de impressão e, por ser fabricada no Brasil, pode ser financiada pelo BNDES.

Fonte: Fotobras