Vinil adesivo: conheça as superfícies onde ele pode ser aplicado

Por Eduardo Yamashita em 28/03/2014

Na comunicação visual, há muitos projetos confeccionados com vinis adesivos, que podem ser processados por meio de recorte eletrônico ou impressão (digital, serigrafia e flexografia). As imagens obtidas com essas mídias precisam ser aplicadas (instaladas) numa determinada superfície (ou substrato). Em relação a isso, a pergunta mais importante a fazer é: A imagem ficará adesivada na superfície?

Para isso, precisamos entender o conceito técnico e as características das superfícies. Com essas informações, é possível responder à pergunta sem errar. A classificação das superfícies pode estar relacionada ao tipo, à curvatura e ao acabamento.

Conheças as principais características das superfícies onde o vinil adesivo pode ser aplicado

Conheças as principais características das superfícies onde o vinil adesivo pode ser aplicado

Tipo de superfície

Nada mais é que o material de que é composta a superfície, como:

  • metal: ferro, aço e alumínio;
  • plástico: vinil (PVC), poliéster, polipropileno, polietileno e acrílico;
  • madeira: compensada, aglomerada, laminada e maciça;
  • alvenaria: concreto, argamassa e gesso.

Há também superfícies com revestimentos, uma vez que elas terão contato direto com o adesivo da película:

  • papel;
  • PVC/vinil;
  • pintura;
  • verniz;
  • melamínico.
Antes de realizar a aplicação, considere sempre o material de que é composta a superfície

Antes de realizar a aplicação, considere sempre o material de que é composta a superfície

Curvatura da superfície

São as "deformações" que a superfície apresenta:

  • plana: sem curva (não confundir com o termo "lisa"). Exemplo: uma parede "reta";
  • curva: pode ser dividida em:
  1. simples: curva com um único sentido. Exemplo: um tubo cilíndrico;
  2. composta: curva em dois ou mais sentidos. Exemplo: uma bola;
  • combinada: possui a conjugação das superfícies citadas anteriormente, e pode ser:
  1. corrugada: composição de superfícies planas. Exemplo: um caminhão baú corrugado;
  2. baixo-relevo: composição de superfícies planas, pode ter curvas simples (exemplo: canaleta de van) e/ou curvas compostas (exemplo: quina da canaleta de van, maçanetas e frisos de veículos).
Exemplo de superfície corrugada

Exemplo de superfície corrugada

Acabamento da superfície

Outro aspecto que o aplicador deve conhecer para fazer a instalação correta do vinil é o tipo de acabamento da superfície, que pode ser:

  • liso: sem irregularidade, totalmente regular, como se fosse polida;
  • poroso: apresenta uma desigualdade, é assimétrica, com "lacunas".
Exemplo de superfície porosa

Exemplo de superfície porosa

Classificação

É importante ressaltar que as classificações (tipo, curvatura e acabamento) são intercambiáveis, ou seja, há diversos tipos de superfícies combinadas. A figura abaixo ajuda a compreender melhor o conceito.

Classificação das superfícies

Classificação das superfícies

Após esse entendimento é possível julgar se a superfície responderá à expectativa de resultado em relação à imagem aplicada. Pode-se também definir quais são os tratamentos que as superfícies específicas devem receber, para atender aos requisitos de durabilidade do projeto. E importante: jamais esqueça as técnicas de aplicação para cada tipo de superfície.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



InkTec promete lançar impressora Jetrix KX5-R na Fespa 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/06/2013

Jetrix KX5-R: impressora UV plana com sistema rolo a rolo adicional

Jetrix KX5-R: impressora UV plana com sistema rolo a rolo adicional

A subsidiária europeia da InkTec vai lançar a Jetrix KX5-R durante a Fespa 2013, em Londres. Trata-se de uma nova impressora digital UV plana com área de 2,5 x 1,3m. A máquina, que vem equipada com cabeças Konica Minolta 1024 (de 6 picolitros), oferece velocidade máxima de 30 m2/h e resolução máxima de 1440dpi.

Segundo a fornecedora, a Jetrix KX5-R emprega um sistema adicional de alimentação de substratos, do tipo rolo a rolo e com largura de 2,2m. Além disso, a Jetrix KX5-R usa tintas patenteadas e especialmente formuladas para oferecer adesão a diversos substratos flexíveis ou rígidos, como vidro, acrílico e metal, sem a necessidade de um promotor de aderência. Ainda de acordo com empresa, as tintas podem ser dobradas e não racham.

A Jetrix KX5-R é compatível com softwares RIP como Oynx, Caldera e Shiraz, além de possuir uma nova função que permite ao operador programar a impressão em camadas, em vez de fazê-la em múltiplas passadas.

Fonte: Graphic Display World



Xangai sediará Fespa China em novembro de 2013

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/10/2013

Fespa China 2013

A primeira edição da Fespa, organização internacional de comunicação visual e impressão digital, em solo chinês vai acontecer no Shanghai World Expo Exhibition & Convention Center (SWEECC), de 18 a 20 de novembro de 2013. Nigel Steffens, CEO da Fespa, acredita que a cidade de Xangai é ideal para o evento inaugural: "Nosso objetivo é desenvolver a Fespa China, para torná-la um evento internacional, atraindo expositores globais e visitantes de toda a Ásia. Não poderíamos ter uma cidade-sede melhor que Xangai. Esta é uma das megalópoles mais dinâmicas do mundo, e ela oferece um ambiente estável para os negócios".

Atualmente, Xangai é o centro comercial e financeiro da China continental. Uma cidade que mistura tradição oriental e tecnologia ocidental. Mais de dez milhões de pessoas viajam para Xangai.

Fonte: Fespa Brasil