Tintas UV da Fujifilm recebem selo UL Greenguard

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 30/08/2017
Certificado foi atribuído a 14 modelos de tintas UV

Certificado foi atribuído a 14 modelos de tintas UV

A fabricante Fujifilm anunciou que 14 modelos de tintas da linha Uvijet (KA, KI, KN, KO, KV, LF, LL, OB, OL, OW, OZ, US, WH e WI) receberam a certificação UL Greenguard. De baixo odor, os insumos são indicados para uso em impressoras inkjet de grande formato.

Os critérios para a obtenção do selo estão entre os mais rigorosos padrões industriais do mundo. Os materiais certificados UL Greenguard são cientificamente comprovados para atender às normas de emissões químicas, o que ajuda a criar ambientes internos mais saudáveis.

Mike Battersby, gerente de marketing da Fujifilm Global Graphic Systems, declarou: “Existe uma crescente demanda por produtos mais saudáveis usados em indústrias. Por isso, os regulamentos estão mudando. Temos grande orgulho em ver 14 tintas Uvijet reconhecidas pela UL por suas baixas emissões. Além disso, nossa fábrica do Reino Unido gera sua própria energia elétrica por meio de 800 painéis solares, que também alimentam nossos equipamentos de alta eficiência. Executar nossos negócios dessa maneira nos permite conservar e reutilizar energia térmica, ajudando a reduzir nossa pegada de carbono, e oferecer esses benefícios aos nossos clientes”.

Fonte: Fujifilm



MTEX promove evento para lançar impressoras têxteis e de etiquetas

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/11/2018
No portfólio da fabricante portuguesa estão impressoras sublimáticas com 3,2m de largura

No portfólio da fabricante portuguesa estão impressoras sublimáticas com 3,2m de largura

A MTEX, fabricante portuguesa de impressoras digitais de tecidos e etiquetas, realizou recentemente um encontro internacional na cidade do Porto, para apresentar novidades de seu portfólio de equipamentos inkjet industrial.

Para o segmento têxtil, a MTEX apresentou a Dragon, impressora sublimático com 16 cabeças e 1,9m de largura. A máquina dispõe de um secador integrado que torna o processo mais ágil. No modo de 720dpi e duas passadas, o equipamento roda na velocidade de 270m2/h. A Dragon também incorpora um sistema de limpeza de cabeças patenteado e um sistema de remoção de gás.

No evento, também foi exposta uma nova impressora sublimática industrial, a Eagle, com 3,2m de largura e unidade de sublimação integrada. Com o front-end desenvolvido pela MTEX, a Eagle é indicada para tecidos usados em domicílios ou em aplicações gráficas. Pode rodar na mesma velocidade da Dragon.

Para 2019, a MTEX planeja lançar a Scorpion, impressora têxtil digital que emprega tintas reativas e ácidas. A empresa disponibilizará uma opção completa da Scorpion, que incluirá sistemas de vaporização, lavagem e secagem de tecidos.

MTEX NS Atom: inkjet de mesa para produção de rótulos e etiquetas

Para o segmento de rótulos e embalagens, a MTEX apresentou as impressoras da linha New Solution, composta por máquinas com tecnologia Memjet. Em 2016, a empresa havia lançado a NS Pro e a NS Multi, para produções de baixo volume. Durante o evento na cidade do Porto, a MTEX destacou uma segunda geração dessas impressoras, que inclui os modelos NS Atom (de mesa), NS Multi LG (sucessor da NS Multi) e o NS Lion (sistema completo de produção de etiquetas). As máquinas empregam cabeça CMYKK da Memjet e apresentam as seguintes especificações básicas: largura de até 240mm, velocidade de 9 ou 18mpm e tinta corante à base d’água.

Fonte: MTEX



Dicas para um envelopamento perfeito – Parte 2

Por Eduardo Yamashita em 17/09/2016
Segunda parte do artigo aborda os tópicos local de instalação, aplicação e pós-instalação, para executar um envelopamento profissional

Segunda parte do artigo aborda os tópicos local de instalação, aplicação e pós-instalação, para executar um envelopamento profissional

Na primeira parte deste artigo, foram abordados pontos importantes para um envelopamento profissional. Desta vez, falaremos sobre mais três requisitos essenciais para o serviço. São eles: local de instalação, aplicação e pós-instalação.

Local de instalação

Depois de criar o design correto, escolher o material adequado, obter uma grande impressão e preparar perfeitamente o veículo, é necessário cuidar do local onde será realizado o envelopamento. Onde será feita a instalação? Será interna ou ao ar livre? A instalação interna fica livre de poeira e tem a temperatura adequada para a instalação?

O envelopamento ao ar livre é um começo terrível. Não há nenhuma maneira de evitar que partículas de poeira caiam sobre a superfície do carro, e quando isso acontece, forma-se uma camada de sujeira que ficará sob o vinil. Um grande número de partículas de poeira poderá causar grandes rasgos no vinil, permitindo que a água penetre na imagem, o que leva o envelopamento ao fracasso.

É muito mais recomendado que o veículo seja adesivado dentro de um estabelecimento. Porém, a instalação interna deve ser livre de qualquer tipo de poeira e deve estar na temperatura correta.

A instalação de um vinil em alta temperatura fará com que ele estique em demasiado e falhe em longo prazo, apresentando altos índices de encolhimento. Já a instalação em temperaturas baixas fará com que o vinil fique mais rígido, o que exigirá muito do instalador durante a aplicação.

O local da instalação é extremamente importante para garantir que o resultado final do envelopamento seja excelente.

Prefira sempre realizar envelopamento em locais fechado e mais protegidos de sujeiras e outras interferências

Aplicação

Muita gente pensa que é fácil instalar vinis em veículos. Afinal, ele é simplesmente um adesivo gigante. Errado! Para que o instalador aprenda a maneira correta de envelopar carros, são dispendidos dinheiro, materiais e muitas horas.

Diferentes materiais se comportam de maneiras diversas e, portanto, o instalador deve ter uma vasta experiência com vários tipos de vinis. Muitos deles também desenvolvem suas próprias ferramentas para o trabalho.

Embora a instalação do vinil seja muito difícil, o corte final do acabamento é ainda mais desafiador. Pode-se ter o envelopamento perfeitamente instalado, mas se o material em excesso não for cortado e dobrado corretamente, o resultado final terá um acabamento falho. Refilar o vinil requer mãos firmes, paciência e técnica. Isso é o que diferencia um excelente instalador de um bom instalador. Executar um envelopamento que parece um trabalho de pintura é o que todos desejam.

Experiência com diversos tipos de vinis adesivos é pré-requisito para um bom instalador

Pós-instalação

A pós-instalação é a etapa mais negligenciada pelos instaladores. Trata-se de uma parte demorada e mais chata.

Nessa fase, o instalador deve passar soprador térmico por cima dos vinis aplicados nas áreas rebaixadas e curvas. Esse procedimento garante que o filme seja aquecido a certo grau, conforme exigido pelo fabricante (recomenda-se de 45ºC a 50ºC para vinis de cor sólida e de 85ºC a 90ºC para vinis impressos). Isso porque todos os envelopamentos usam vinis compostos por PVC. Este material permite que o vinil tenha memória. Isso quer dizer que quando ele for sobrecarregado e aquecido, vai voltar à sua forma original. No entanto, uma vez que o vinil é instalado, espera-se que ele não volte à sua forma original, pois isso significa que ele encolherá e puxará para trás o material.

A única maneira de sobrepujar a memória do PVC é garantir que as áreas esticadas ou sob pressão cheguem a essa temperatura específica. Isso garantirá que o vinil mantenha sua forma.

Enfim, digamos que todos os fatores acima foram atendidos e executados perfeitamente. O que acontece se ainda tivermos problemas com o envelopamento? Serviço ao cliente é o único recurso de que você pode depender, de modo que escolher uma empresa de envelopamento respeitável torna-se a parte mais importante do seu processo de decisão.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual