Tecidos usados na impressão por sublimação

Por João Leodonio em 03/04/2018
Conheça os materiais têxteis que podem ser estampados com processo sublimático

Conheça os materiais têxteis que podem ser estampados com processo sublimático

As facilidades de importação e as ofertas da indústria brasileira têxtil impulsionam, atualmente, o mercado de tecidos sintéticos. São materiais que podem receber estampas sublimadas e, embora, haja grande disponibilidade deles, nem todos são recomendados para a impressão por sublimação. Portanto, este artigo ajuda você a reconhecer os principais produtos e classificá-los de acordo com suas composições e aplicações.

Tecidos PP (100% poliéster e diversas gramaturas)

Conheça os materiais têxtil totalmente compostos por poliéster:

- Flamê: malha mais leve que aparenta ter certa transparência. Bastante utilizada para camisetas.

- Devorê: malha mais leve que, devido ao processo de desgaste que sofre em sua produção, tem algumas partes mais fechadas e outras mais abertas, o que confere efeito diferenciado quando sublimada. Muito utilizada para camisetas.

- Crepe: trata-se de um tecido mais nobre e que confere acabamento superior. É muito utilizado para roupas femininas com toque diferenciado. Há variações de Crepe, porém uma característica marcante em todos elas é o alto grau de encolhimento.

- Oxford: mais barato, serve para a confecção de painéis de aniversário e comunicação visual em geral, pois é bem resistente e aceita muito bem a sublimação.

- Tactel: muito utilizado para bermudas e almofadas. Tem um toque menos nobre e apresenta encolhimento quando sublimado.

Mais leve, flamê é bastante utilizada em camisetas

Poliéster com Elastano

Trata-se de uma composição muito utilizada para a composição de peças de vestuário que precisam de um caimento mais colado ao corpo ou para exposição ao calor com menor grau de aquecimento. Conheça os tipos:

- Suéde, Neoprene e Suplex: muito utilizados para calças legging e bodys, pois não apresentam transparência e dão muita mobilidade às peças de vestuário.

- Dry Fit: classificado como malha fria, pois não esquenta muito. É bastante utilizado em materiais esportivos, como camisas de futebol e roupas para academia e pesca. Existem variações de qualidade e gramatura, como o Tecno Dry. Outros tipos são: Helanca, Helanca Light, Helanquinha e Cacharrel, que apresentam características próximas ao Dry fit.

- Chiffon: caracteriza-se por conferir transferência às peças de vestuário, além de ser muito utilizado em painéis de aniversário e comunicação visual.

- Cetim: muito utilizado em peças que precisam de um toque de ceda. Também é utilizado em forros de vestidos e ternos.

Há variações de Dry Fit que também podem ser estampadas com sublimação

PA (Poliéster com Algodão)

Há várias composições, como 50% P/50% A e 70% P/30% A. A principal característica do PA depois de sublimado é não ter 100% de nitidez, pois apenas os fios de poliéster serão estampados. Isso altera a característica de toque, tornando-o mais “pesado”.

PV (Poli Viscose ou Poliéster com Viscose)

Existem alguns percentuais diferentes para cada tipo de fio. Para esses casos, recomenda-se ter muito cuidado e realizar testes antes de sublimar toda aa produção, pois a viscose pode apresentar manchas ao lavar.

Tecidos sublimados também podem ser usados para compor quadros e peças de comunicação visual

Recomendações gerais

Quanto ao processo, recomenda-se testar sempre os tipos diferentes de tecidos antes de efetuar o corte. É necessário analisar a estrutura dos tecidos quanto ao grau de encolhimento. Por exemplo, a sublimação no crepe deve ser aplicada com tempo e temperatura inferiores aos utilizados em outros tecidos.

Ao estampar PA e PV, recomenda-se, após o teste de sublimação, submeter o tecido a uma lavagem para verificar o resultado de cor e manchas.

No caso dos tecidos que sofrem encolhimento ao serem expostos à temperatura (principalmente os materiais com elastano), após definido o percentual de encolhimento nos testes, recomenda-se executar o pré-encolhimento por até oito segundo e com a temperatura do serviço. Depois de encolhido, realize a transferência sublimática.

Alguns tecidos podem ter elastano (ou não). Para ter a certeza da composição, recomenda-se pedir para ver a etiqueta do fabricante no ato da compra dos materiais.

Sobre o autor: João Leodonio atua no segmento gráfico há 10 anos, como gerente de produção e consultor. Tecnólogo em produção gráfica, atuou como palestrante pela Imprensa Oficial, de Angola, e como consultor de processos produtivos. É proprietário da Pari Transfer Sublimático 

 



HP lança impressoras de grande formato conectadas à Internet

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/06/2013

A HP lançou duas "eprinters", impressoras de grande formato conectadas à Internet. Segundo a empresa, os modelos (Designjet T920 e T1500) possuem design ergonômico e proporcionam uma experiência aprimorada aos usuários das áreas de arquitetura, engenharia, construção e design.

Com as novidades, é possível promover projetos colaborativos, facilitando o trabalho e permitindo que indivíduos de diferentes partes do mundo participem do processo criativo.

Eprinters da HP: impressoras de grande formato conectadas à web

Eprinters da HP: impressoras de grande formato conectadas à web

As impressoras contam com funções de preview, além de acesso remoto a dados e visualizações. A HP Designjet T920, ideal para cópias mais rápidas, reúne até 50 folhas A4 no carregamento frontal e possui alinhamento automático. Já o modelo T1500 opera com dois rolos e ferramenta para realizar tarefas com mídias de tamanhos diferentes.

Ambas as máquinas apresentam um tela para gerenciamento de tarefas e controle de custos de impressão. Elas contam com seis tintas, podendo produzir pretos escuros e cinzas neutros, além de cores vivas e linhas nítidas.

Fonte: Large Format Review



HP lança no Brasil terceira geração de impressoras látex

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/07/2014

HP Látex 360

HP Látex 360 faz parte da terceira geração de impressoras látex da empresa

A HP lançou no Brasil a terceira geração de impressoras látex. Composta por três modelos (HP Látex 310, 330 e 360), a nova série é indicada a birôs e gráficas digitais que visam expandir sua capacidade de impressão em grandes formatos. Segundo a fabricante, as máquina produzem tiragens menores e oferecem preços acessíveis e variados níveis de produção, para atender pequenas e grandes empresas.

Stephen Nigro, vice-presidente da área de inkjet e artes gráficas da HP, declarou: "Pequenos e médios birôs enfrentam o desafio de lidar com mais aplicações e alcançar mais clientes. Além disso, devem reduzir custos e ocupar espaços menores. A nova série HP Látex 300 atende a essas necessidades, com qualidade durável e operação fácil, ajudando as empresas a ultrapassar os limites de aplicações e se destacar em um mercado altamente competitivo."

Lançadas em 2008, as impressoras látex da HP estabeleceram um novo paradigma no mercado de grandes formatos. Há, atualmente, 19 mil unidades da tecnologia instaladas pelo mundo. Conheça os modelos da terceira geração látex da empresa:

HP Látex 310

Indicada para quem tem pouco espaço para instalar a impressora, que é um produto de entrada, com 1,37m (54 polegadas) de largura. Trata-se de um modelo compacto e com alimentação frontal de mídia. Vem com o software RIP SAi FlexiPRINT HP Basic Edition Raster Image Processor.

HP Látex 330

Com 1,62m (64 polegadas) de largura, a impressora combina versatilidade de aplicação e acessibilidade. Aceita rolos mais pesados e trabalha na velocidade de até 50m2/h.

HP Latex 330

HP Látex 330

HP Látex 360

Máquina que possui 1,62m (64 polegadas) de largura e imprime em até 91m2/h. Apresenta coletor de tinta para têxteis porosos, o que aumenta a versatilidade de aplicações. Além disso, o equipamento oferece registro frente/verso automático.

Tintas HP Látex 831

Segundo a empresa, a nova tinta original HP Látex oferece resistência a riscos comparável à das tintas solventes, usadas para a impressão em banners de PVC e em vinis. As tintas HP Látex de terceira geração também contribuem para um ambiente de trabalho mais saudável, com impressões sem cheiro e que saem secas das máquinas, prontas para acabamento e entrega.

Fonte: HP