Sawgrass apresentará nova solução de sublimação na Fespa 2015

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/05/2015

Virtuoso HD integra impressora, tintas e substratos para produzir peças sublimadas

Virtuoso HD integra impressora, tintas e substratos para produzir peças sublimadas

Na Fespa 2015, feira que ocorre na Alemanha entre os dias 18 e 22 de maio, a Sawgrass, fabricante de tintas digitais, lançará oficialmente o Virtuoso HD, sistema de decoração de materiais por meio de sublimação.

O sistema integra uma impressora SubliJet-HD, da Sawgrass, que reproduz imagens com resolução de 1200 x 1200dpi. Além disso, o Virtuoso inclui o PowerDriver (para gerenciamento de cores) e o novo CreativeStudio (software online de design e fotos).

Segundo a empresa, os visitantes da Fespa 2015 também terão a oportunidade de ver de perto o SubliJet-IQ Pro Photo, sistema cuja impressora tem 61cm de largura e oito cores de tinta.

A Sawgrass aproveitará a feira para apresentar seu logo redefinido e uma série de outras soluções para sublimação.

Fonte: Image Report



Aleyant tFLOW chega à versão 10

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 20/12/2018
Nova edição do software incorpora novos recursos importantes

Nova edição do software incorpora novos recursos importantes

A Aleyant, desenvolvedora de softwares para a indústria gráfica, anunciou a versão 10 da tFLOW, solução de automação de fluxo de trabalho e atendimento ao cliente para empresas de grande formato.

Greg Salzman, presidente da Aleyant, declarou: “O Aleyant tFLOW 10 incorpora vários aprimoramentos que aumentam a produtividade e melhoram a comunicação das equipes”.

O tFLOW 10 pode ser executado no sistema operacional Linux e configurado para máquinas virtuais maiores com flexibilidade escalável e dinâmica. Além disso, o software oferece os seguintes novos recursos:

- Mensagens: o tFLOW ofere um centro de mensagens centralizado, pelo qual os usuários podem ler e postar comentários em qualquer trabalho, todos na mesma janela. As equipes agora podem se comunicar de maneira mais eficiente;

- Arquivamento automatizado: em segundo plano, o tFLOW moverá automaticamente todos os arquivos não usados para o arquivamento. Isso significa que os usuários não precisarão mais se preocupar em ocupar espaço ou gastar tempo para mover manualmente os arquivos;

- Link de Upload Pessoal: cada usuário recebe um link de upload. Esse link pode ser usado para fazer upload do trabalho para o tFLOW, quando a submissão do arquivo ocorre antes do pedido e da criação do trabalho no sistema MIS ou ERP;

- Informações da Fila de Produção: as informações são mostradas na interface do usuário, para que eles possam ver quais arquivos foram enviados;

- Log de e-mail: os usuários podem visualizar o log de e-mail em busca de qualquer evento que tenha acionado - uma notificação por e-mail.

Fonte: Aleyant

Tags: Aleyant tFLOW,


Características e funções do liner (usado em vinil adesivo)

Por Eduardo Yamashita em 10/01/2013

O liner é parte essencial dos vinis adesivos usados em diversas atividades do mercado de sinalização e comunicação visual, entre elas, o envelopamento de carro e a adesivação de paredes e móveis. Ele é constituído por um material base, que pode ser revestido (para o controle da aderência do adesivo) em um ou ambos os lados.

A função do liner é controlar a estrutura superficial do adesivo, protegê-lo de sujeira e contaminação, além de influenciar no comportamento do filme durante a sua aplicação.

Tipos de liner

Sintéticos: podem ser feitos de poliéster ou poliolefinas (e em diferentes espessuras). Os liners sintéticos são mais “suaves”, fáceis de deslizar, impermeáveis ​​à umidade e têm melhor planicidade. Esta é uma das razões pelas quais eles funcionam melhor em plotters de recorte. Porém, deve-se tomar cuidado com o acúmulo de estática, que dificulta o manuseio do liner.

De papel: podem apresentar diferentes gramaturas e ter vários tipos de revestimentos. Os mais comuns são compostos de plásticos e/ou soluções químicas. Conheça alguns:

- Comum: relativamente pesado e sem revestimento, usado para etiquetas.

- Revestido: de baixo deslizamento, usado em películas autoadesivas para impressão a jato de tinta ou eletrostática. O revestimento impede que a umidade e o calor afetem o liner e ajuda a mídia a ser alimentada na impressora ou laminadora.

- Revestido de polietileno em ambos os lados: muito comum, tem superfície plana. Pode ter uma microestrutura que dá à superfície do adesivo um ou mais formatos microscópicos. As formas superficiais influenciam o desempenho do adesivo, independentemente da sua construção química.

- Revestido de polietileno com uma película de plástico na parte de trás: a película de plástico impede tintas e toners de atravessarem o liner. Este tipo de liner é encontrado em películas autoadesivas perfuradas.

liner vinil adesivo

O liner controla e protege o adesivo

Desempenho do liner

A tabela abaixo classifica os revestimentos em relação ao desempenho. Forros similares são agrupados dentro de um mesmo bloco:

Classificação Custo inicial Estabilidade dimensional Recorte eletrônico Impressão digital Transparência Resistência à água

Melhor

 

 

 

 

Pior

Papel comum Plástico Plástico espesso Papel comum Plástico Plástico
Papel com filme plástico  -  Papel revestido  -   -   - 
Papel revestido Papel revestido Papel comum  -   -  Papel revestido
Plástico Papel comum  -   -   -   
 -   -  Plástico fino Papel revestido; Plástico Papel revestido; Papel com filme plástico; Papel comum Papel comum

 

Custo versus valor

O custo de uma película com liner plástico pode ser maior. No entanto, é mais fácil de recortá-la e remover o excesso de filme após o corte, o que aumenta a produtividade e compensa a diferença de custo.

Estabilidade dimensional

A boa estabilidade dimensional mantém o tamanho e a forma tanto do liner quanto da película. Portanto, durante o processamento, eles ficam planos e em registro.

Quando o papel absorve a umidade, ele aumenta de tamanho. E quando perde, ele diminui. Esta mudança ocorre quando as condições ambientais oscilam. Então, recomenda-se mantê-las sempre controladas.

As mudanças ambientais também podem causar outros problemas no liner, como levantamento das pontas (bordas), ondulações, enrolamentos, defeitos de impressão e problemas de registro durante a impressão ou recorte.

Tenha em mente que o papel absorve ou emite umidade, que afeta as bordas e as camadas exteriores de rolos e as “primeiras” folhas empilhadas. O revestimento no papel retarda esse processo, mas as bordas ficam sempre vulneáveis.

O transporte e o armazenamento dos rolos e imagens embrulhados em plástico também retardam a taxa de variação da umidade.

Plotter de recorte

Siga algumas considerações na hora de escolher a película (e o liner) para o recorte:

  • O plástico não absorve umidade e permanece mais plano na área de corte do equipamento;
  • O papel revestido pode ser recortado desde que as condições ambientais estejam controladas;
  • A profundidade do corte deve ser controlada no liner de papel revestido. Se ela for grande, o liner pode se separar de modo indesejado.

Impressão do liner

O liner de papel pode ser impresso (com flexografia) na parte traseira. A maioria das tintas não adere tanto ao papel revestido como no plástico. A impressão do liner é feita para adicionar o número lote de produção ou para customizar o nome da empresa ou projeto.

Marcas superficiais

Quando a película de vinil “prensa” contra a parte de trás do liner, podem surgir marcas superficiais. A quantidade e a intensidade das marcas são provenientes de fontes diversas. Liners de papel causam a maior distorção por terem mais textura. Já os liners sintéticos são de textura suave, o que causa menos distorção. Um liner mal desenhado pode marcar toda textura na parte face do filme.

Quando o vinil esquenta, ele amolece, tornando-se mais suscetível a marcas superficiais.

Como o filme é enrolado sobre um suporte (tubete), às vezes, as camadas mais externas ficarão livres de marcas, que podem aparecer quando se chega mais perto do suporte. Isso porque a película autoadesiva é enrolada com mais força.

A “cura” das marcas superficiais ocorre quando se aquece o vinil de modo que ele amoleça e faça as marcas desaparecem.

***

Texto editado e publicado pelo InfoSign no dia 10 de janeiro de 2013.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis, envelopamentos de carro e comunicação visual.