Roland DG mostra nova impressora na Fespa Brasil 2019

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/03/2019
Equipamento imprime diretamente em peças feitas à base de algodão, como camisetas, sacolas e itens de decoração

Equipamento imprime diretamente em peças feitas à base de algodão, como camisetas, sacolas e itens de decoração

Além de apresentar seu amplo portfólio de impressoras digitais, a fabricante Roland DG participa da Fespa Brasil 2019 para lançar a nova BT-12, máquina que imprime diretamente em tecidos de algodão para personalização de camisetas, sacolas e itens de decoração. Compacto, o equipamento é vendido a preço acessível e permite a produção de uma peça em apenas 10 minutos.

Anderson Clayton, vice-presidente no Brasil da Roland DG, declarou: “A Fespa é muito importante para estarmos mais próximos de clientes e prospects, mostrando a nossa ampla linha para diversas aplicações, incluindo os lançamentos, como a BT-12 e o software Cotodesign”.

O Cotodesign é um aplicativo de gerenciamento de impressão e design para a personalização de itens na própria loja, de acordo com a escolha do cliente. É um sistema de autosserviço e pode ser integrado aos equipamentos desktop do portfólio da Roland, como a BN-20 e a VersaUV LEF, além da gravadora MPX-95. Trata-se de uma solução voltada para varejistas que querem abrir o leque de produtos oferecidos ou para quem deseja iniciar um negócio de personalização.

Fonte: Roland DG Brasil



Lojas Fastsigns passam a usar software 3M Visual Attention

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/04/2015

Solução é ferramenta web que ajuda clientes e designers a montarem peças de impressão

Solução é ferramenta web que ajuda clientes e designers a montarem peças de impressão

Nos EUA, a Fastsigns, rede de lojas especializadas em impressão rápida, passou a empregar a 3M Visual Attention Software (VAS), ferramenta web que analisa designs e imagens para prever o que mais prende a atenção do público nos primeiros segundos de visualização.

No VAS, após criar o layout inicial, o designer pode inserir imagens e receber uma análise em 20 segundos. O software gera relatórios que podem ser visualizados online, baixados e compartilhados com clientes. Com base na análise do VAS, o designer pode revisar, finalizar e apresentar o projeto aos clientes.

Além disso, a FastSigns estará apta a começar novos negócios ao usar as análises do VAS, para melhorar serviços e oferecer novidades a clientes de sinalização, envelopamento de carros e outras comunicações visuais.

Catherine Monson, CEO da Fastsigns International, declarou: "O VAS fornece uma abordagem científica para a elaboração de arte, que antes era mais subjetiva. Ele ajuda a chegar a um consenso mais rápido. Ajuda-nos a criar projetos mais impactantes".

Fonte: My Print Resource



Roland DG contrata Jovens Aprendizes

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 27/05/2019
Empresa apoia programa de inserção de profissionais no mercado de trabalho

Empresa apoia programa de inserção de profissionais no mercado de trabalho

É grande o contingente de jovens brasileiros que ainda não têm acesso a uma oportunidade no mercado de trabalho. Segundo os dados mais recentes do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de cada dez pessoas entre 14 e 29 anos, duas estão sem emprego. Com o intuito de ajudar a reverter esse cenário, a Roland DG, fabricante de impressoras digitais e plotters de recorte, acaba de contratar duas garotas e um garoto pelo programa Jovem Aprendiz.

Anderson Clayton, vice-presidente no Brasil da Roland DG, declarou: “Ainda que sejamos uma gota no oceano, para nós é muito importante contribuir no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e oferecer aos jovens uma oportunidade não só de emprego como de aprendizado profissional, com a possibilidade de efetivação ao término do contrato. A juventude é a parte mais vibrante da sociedade, é a esperança de dias melhores. Acreditar e investir nesses garotos para desenvolver suas habilidades significa confiar em um futuro melhor e mais próspero para o país”.

Sob o ponto de vista dos estudantes, trata-se de uma maneira ímpar de aprender e galgar importantes degraus. “Como jovem aprendiz, almejo ter um ótimo desempenho para adquirir uma grande experiência e assim poder crescer profissionalmente”, conta Laura Ramos, de 18 anos que entrou no departamento técnico da empresa.

A Lei 10.097/2000 afirma que empresas de médio e grande porte devem contratar jovens com idade entre 14 e 24 anos como aprendizes. O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática.

Fonte: Roland DG Brasil