RIP da ColorGate chega à versão 10

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/09/2016
ColorGate 10 tem novas opções e ferramentas melhoradas

ColorGate 10 tem novas opções e ferramentas melhoradas

A ColorGate, desenvolvedora de softwares, anunciou a 10ª versão dos aplicativos Productionserver, Filmgate e Proofgate, que apresentam os seguintes itens aperfeiçoados:

Gerenciamento de mídia HP Latex

Com a versão 10 do software, a ColorGate oferece o complemento HP Latex Media Management, que melhora o gerenciamento de mídia entre RIP e impressoras HP. Pacotes como o HP OMES e predefinições de substratos podem ser enviados diretamente para equipamentos látex por meio do RIP ColorGate. Além disso, os pacotes OMES podem ser baixados a partir da impressora e processados pelo ProductionServer. Esses perfis ICC podem ser usados para gerar combinações personalizadas MIM (Media-Ink-Metamode) no ProductionServer.

Adobe PDF Print Engine (APPE) 4.3

O ColorGate 10 utiliza a versão 4.3 do Adobe PDF Print Engine (APPE), dispositivo RIP empregado para processamento rápido de imagem de gráficos complexos. O APPE processa conteúdo exibido em todos os outros produtos da Adobe Creative Cloud. Também usa o mesmo núcleo de tecnologia Adobe PDF em todas as fases do fluxo de trabalho de impressão.

Novos módulos

O Job Backup Module (JBM) permite o arquivamento de trabalhos de impressão individuais (com todas as configurações específicas do job) para um diretório definido. Esses trabalhos podem ser reproduzidos na mesma impressora ou em outro equipamento usando as configurações originais. O processo pode ser ativado manual ou automaticamente.

Já o Channel Redirection Module (CRDM) permite a definir o canal de cor de cada cabeça de impressão. Esse módulo está disponível para a fluxo de trabalho de produção e prova. Além disso, também é possível redirecionar um canal de cor para várias cabeças de impressão.

Melhoria do visualizador de gama de cores

O Gamut Viewer foi atualizado. A visualização das diferentes gamas de cores ICC foi melhorada. A precisão de gamas multicores também foi aprimorada.

Módulo de corte

O módulo de prévia de cortes, Print and Cut Module (PCM), pode ser acessado com a visualização dos documentos. Essa prévia não exige os dados de impressão para mostrar o caminho de corte. Os usuários poderão ver todas as informações dos documentos após o cálculo de pré-visualização.

Fonte: ColorGate



Vinil adesivo: conheça as superfícies onde ele pode ser aplicado

Por Eduardo Yamashita em 28/03/2014

Na comunicação visual, há muitos projetos confeccionados com vinis adesivos, que podem ser processados por meio de recorte eletrônico ou impressão (digital, serigrafia e flexografia). As imagens obtidas com essas mídias precisam ser aplicadas (instaladas) numa determinada superfície (ou substrato). Em relação a isso, a pergunta mais importante a fazer é: A imagem ficará adesivada na superfície?

Para isso, precisamos entender o conceito técnico e as características das superfícies. Com essas informações, é possível responder à pergunta sem errar. A classificação das superfícies pode estar relacionada ao tipo, à curvatura e ao acabamento.

Conheças as principais características das superfícies onde o vinil adesivo pode ser aplicado

Conheças as principais características das superfícies onde o vinil adesivo pode ser aplicado

Tipo de superfície

Nada mais é que o material de que é composta a superfície, como:

  • metal: ferro, aço e alumínio;
  • plástico: vinil (PVC), poliéster, polipropileno, polietileno e acrílico;
  • madeira: compensada, aglomerada, laminada e maciça;
  • alvenaria: concreto, argamassa e gesso.

Há também superfícies com revestimentos, uma vez que elas terão contato direto com o adesivo da película:

  • papel;
  • PVC/vinil;
  • pintura;
  • verniz;
  • melamínico.
Antes de realizar a aplicação, considere sempre o material de que é composta a superfície

Antes de realizar a aplicação, considere sempre o material de que é composta a superfície

Curvatura da superfície

São as "deformações" que a superfície apresenta:

  • plana: sem curva (não confundir com o termo "lisa"). Exemplo: uma parede "reta";
  • curva: pode ser dividida em:
  1. simples: curva com um único sentido. Exemplo: um tubo cilíndrico;
  2. composta: curva em dois ou mais sentidos. Exemplo: uma bola;
  • combinada: possui a conjugação das superfícies citadas anteriormente, e pode ser:
  1. corrugada: composição de superfícies planas. Exemplo: um caminhão baú corrugado;
  2. baixo-relevo: composição de superfícies planas, pode ter curvas simples (exemplo: canaleta de van) e/ou curvas compostas (exemplo: quina da canaleta de van, maçanetas e frisos de veículos).
Exemplo de superfície corrugada

Exemplo de superfície corrugada

Acabamento da superfície

Outro aspecto que o aplicador deve conhecer para fazer a instalação correta do vinil é o tipo de acabamento da superfície, que pode ser:

  • liso: sem irregularidade, totalmente regular, como se fosse polida;
  • poroso: apresenta uma desigualdade, é assimétrica, com "lacunas".
Exemplo de superfície porosa

Exemplo de superfície porosa

Classificação

É importante ressaltar que as classificações (tipo, curvatura e acabamento) são intercambiáveis, ou seja, há diversos tipos de superfícies combinadas. A figura abaixo ajuda a compreender melhor o conceito.

Classificação das superfícies

Classificação das superfícies

Após esse entendimento é possível julgar se a superfície responderá à expectativa de resultado em relação à imagem aplicada. Pode-se também definir quais são os tratamentos que as superfícies específicas devem receber, para atender aos requisitos de durabilidade do projeto. E importante: jamais esqueça as técnicas de aplicação para cada tipo de superfície.

Gostou do artigo? Você também vai se interessar pelas matérias abaixo:

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual



Avery revela os quatro finalistas do Wrap Like a King 2018

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/10/2018
Campeão será anunciado na feira Sema 2018

Campeão será anunciado na feira Sema 2018

A fabricante Avery nomeou os quatro vencedores continentais (América do Norte, Europa, Norte da Ásia e Austrália) do Wrap Like a King 2018, concurso de envelopamento de carros promovido pela marca.

Além de um pacote de prêmios no valor de 3.200 dólares, os finalistas receberão uma estadia de quatro noites em Las Vegas (EUA), para que compareçam à feira 2018, evento onde será anunciado o campeão do Wrap Like a King 2018.

Os oito juízes avaliaram todos os trabalhos inscritos sob os critérios de transformação visual, qualidade da instalação, aparência geral e exclusividade do design.

Molly Waters, especialista técnica sênior da Avery Dennison, declarou: “Ficamos empolgados em comparar efeitos e texturas dos envelopamentos que estavam concorrendo. No final, esses quatro vencedores nos impressionaram mais”.

Confira os quatro vencedores continentais.

América do Norte - Mission Flyer 2.0, da MetroWrapz (Flórida, EUA)
Norte da Ásia - Tank Ray, da WrapStyle Korea of Gimpo-si (Coreia do Sul)
Austrália - Barn Find 24/7, da Fingerprint Signs of Launceston (Austrália)
Europa - Barnfind 66, da Funkeefish of Tendring (Reino Unido)