RIP da Caldera chega à versão 11.2

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/02/2018
Software será demonstrado na feira C!Print 2018

Software será demonstrado na feira C!Print 2018

A desenvolvedora Caldera anunciou a versão 11.2 de seu software RIP homônimo, que será exibida na C!Print, feira que ocorrerá entre os dias 6 e 8 de fevereiro, na França.

Segundo a empresa, três novos recursos foram inseridos no aplicativo: o HelpLinks, o ContourNesting 180º e o MultiLayer. Além disso, o RIP passou a suportar a plataforma para espectrofotômetros TotalColor qb.

O HelpLinks permite que os usuários adicionem links nas páginas do CalderaDesk por meio dos módulos Caldera RIP. A ContourNesting 180º é uma ferramenta que ajuda a economizar o gasto com mídias por executar a impressão seguindo a direção da fibra, uma característica especialmente útil para clientes que trabalham com tecidos. A MultiLayer é capaz de imprimir várias camadas com imagens diferentes. Esse recurso, indicado para aplicações retroiluminadas, permite que diferentes versões da mesma imagem apareçam de acordo com a iluminação do espaço onde a mídia foi instalada.

A versão 11.2 do Caldera também recebeu aprimoramentos nos recursos de corte, como a nova opção Background, que define a cor em torno das marcas de registro, para ajudar a detecção das próprias marcas. O software também oferece a capacidade de adicionar um quadro cortável em torno de códigos de barras ou QR codes. Outra função de corte é a Rewind At End, que permite rebobinar a mídia (ou não) após o corte, para mudar a lâmina ou terminar o trabalho.

A empresa também destacou aperfeiçoamentos em algumas ferramentas de cores, como os mapas Rosing Overinking e Flower Bleeding, que podem ser usados para melhorar a limitação das tintas, e a opção Spot Channels permite o carregamento de cores especiais duas vezes mais rápido em arquivos Tiff e PSD.

Fonte: Caldera



Mutoh lança solução para gerenciamento de cores

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/10/2014

ColorVerify e SpectroVue fazem parte da solução da Mutoh

ColorVerify e SpectroVue fazem parte da solução da Mutoh

A Mutoh, fabricante de equipamentos e softwares para impressão digital, apresentou uma nova solução de gerenciamento de cores composta pelo calibrador ColorVerify e pelo espectrofotômetro SpectroVue VM-10.

O ColorVerify foi desenvolvido para calibrar impressoras de grande formato e usa especificações baseadas na norma ANSI/CGATS TR015. O equipamento também dá suporte a outros alvos grayscale.

Segundo a empresa, o software da solução substitui a linearização no fluxo de trabalho e cria um conjunto de curvas CMYK durante a calibração da impressora. Essas curvas levam em conta as cores da mídia e da tinta para produzir uma grayscale neutra.

Quando o calibrador é usado para a criação de perfis de cores, as curvas de calibração agem como base do perfil, e mesmo que a reprodução de cores varie na produção (por motivos como mudança de tintas e mídias), as curvas registradas pelo ColorVerify rapidamente reativam o visual original no qual o perfil ICC foi baseado. Na maioria das vezes, isso evita que o operador faça um novo perfil, o que economiza tempo e dinheiro.

Fonte: My Print Resource



Sinalização digital zela por vagas de deficientes em estacionamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 11/05/2015

Caso o veículo não tenha o adesivo de deficiente, uma mensagem de repúdio será veiculada em frente ao motorista irresponsável

Caso o veículo não tenha o adesivo de deficiente, uma mensagem de repúdio será veiculada em frente ao motorista irresponsável

A falta de respeito a deficientes físicos e idosos não é uma exclusividade vergonhosa do Brasil. Na Rússia, estima-se que mais de 30% dos motoristas (conforme vídeo abaixo) ignoram as sinalizações que indicam vagas para deficientes em estacionamentos. Por isso, uma organização russa sem fins lucrativos lançou uma campanha para desencorajar “espertinhos” a estacionar ilegalmente em vagas especiais.

O experimento social, conhecido como “Mais que uma sinalização”, empregou sinalização digital e projeções aéreas para comunicar uma mensagem gravada por um deficiente físico, a fim de repudiar quem para ilegalmente em vagas especiais.

A projeção é exibida em uma “tela fina de ar saturado com água”, que é invisível a olho nu e aparece quando um carro sem o adesivo de deficiente tenta estacionar na vaga especial. Uma câmera é usada para verificar a existência do adesivo no veículo.

Fonte: Digital Signage Connection