Programação de palestras e eventos paralelos à Fespa Brasil 2016

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 21/03/2016
Novidade da edição 2016, Sublimation Day contará com palestras sobre impressão digital sublimática

Novidade da edição 2016, Sublimation Day contará com palestras sobre impressão digital sublimática

Durante o período de 6 a 9 de abril, no Pavilhão Branco do Expo Center Norte, em São Paulo, será realizada a Fespa Brasil 2016, feira de impressão digital, comunicação visual, sinalização, grandes formatos, estamparia digital, decoração de interiores e segmentos correlatos. Nessa edição, o visitante poderá participar gratuitamente de uma série de palestras criadas para atender à demanda por informação e educação no mercado.

Entre as atrações está a terceira edição do Congresso de Comunicação Visual e Impressão Digital, que reunirá renomados profissionais para transmitir conceitos sobre tecnologia, mercado e otimização de processos.

A Fespa Brasil 2016 também será sede da segunda edição do Digital Textile Conference, que contará com especialistas do setor para promover o desenvolvimento da indústria têxtil.

A grande novidade para 2015 é o Sublimation Day, um dia repleto de palestras sobre sublimação, com profissionais que são referências em um segmento em ascensão. O evento ocorre no último dia (9 de abril) da exposição e é a oportunidade ideal para o visitante esclarecer dúvidas técnicas e administrativas. Segundo a organização, o Sublimation Day é indicado para empresários que já estão no mercado e querem aprimorar seus conhecimentos e otimizar os processos de produção. O evento também é recomendado aos profissionais que vislumbram na sublimação uma nova forma de investimento. Confira a programação completa.

Fonte: Fespa Brasil



Avery promoveu Chrome Sweet Chrome, concurso de vinis cromo

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/11/2014

Durante a feira Sema 2014, que ocorreu em Las Vegas (EUA), entre os dias 4 e 7 de novembro, a Avery Dennison realizou a promoção Chrome Sweet Chrome, cujo vencedor foi John Scott, da 360 Tint, empresa localizada no Texas (EUA).

Scott recebeu um pacote de prêmios que incluiu vinis adesivos Avery, rodas Giovanna, dispositivos de áudio DUB e suprimentos de limpeza Croftgate. Além disso, a empresa distribuiu cartões de presente aos visitantes da feira.

De acordo com a Avery, cerca de 5 mil pessoas participaram do concurso Chrome Sweet Chrome, que contou com parceiros como West Coast Customs, CroftgateUSA, DUB Magazine, Advantage Sign, Eagle Enterprises, Universal Products, Oracle Lighting e Toyo Tire.

A promoção também serviu para divulgar a linha de vinis cromo da Avery, composta por cinco opções (vermelha, dourada, azul, preta e prateada) que estiveram presentes em diversos estandes de expositores parceiros da fabricante de vinis.

Fisker Karma, no estande da Mimaki, foi envelopado com vinis cromo vermelho, dourado e prateado

Fisker Karma, no estande da Mimaki, foi envelopado com vinis cromo vermelho, dourado e prateado

Ford Raptor, no estande Galpin Auto Sport, recebeu envelopamento de filmes cromo azul

Ford Raptor, no estande Galpin Auto Sport, recebeu envelopamento de filmes cromo azul

Corvette Stingray, no estande da DUB, foi envelopado com vinil cromo dourado

Corvette Stingray, no estande da DUB, foi envelopado com vinil cromo dourado

Fonte: Avery Dennison



A impressão digital em tecidos como ferramenta para reduzir impactos ambientais

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/07/2016
Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Além das qualidades técnicas e produtivas, a impressão digital têxtil pode ser uma grande ferramenta de sustentabilidade

Os argumentos para a adoção de tecnologias de impressão digital têxtil são os mesmos usados em outros segmentos: possibilidade de estampar peças sob medida e em curto prazo, personalização e produção sob demanda. Além disso, a impressão digital reduz desperdícios e aumenta o controle sobre custos por minimizar o inventário. Mas há um benefício que parece superar todos os outros: a sustentabilidade.

Depois da agricultura, a produção têxtil é a maior poluidora de água do mundo, por causa sobretudo dos processos de tingimento. O Banco Mundial estima que o setor de tecidos é responsável por mais de 20% da poluição da água industrial. Para se ter uma ideia, de acordo com o governo britânico, a indústria têxtil do Reino Unido produz anualmente 3,1 milhões de toneladas de CO2, 2 milhões de toneladas de resíduos e 70 milhões de toneladas de água.

Fica pior. O tratamento, o tingimento e a lavagem dos tecidos também causam impactos no ar e no solo. Mais de 2 mil produtos químicos, como benzidina, toluidina, amoníaco, cloro e metais pesados são utilizados em vários agentes antiespumantes, corantes, detergentes e branqueadores.

A produção têxtil lida com dezenas de químicos tóxicos, como formaldeído, cloro, chumbo e mercúrio, que são despejados em cursos de água. Nitrogênio e óxidos de enxofre são emitidos de caldeiras, e apesar de os refugos têxteis poderem ser reciclados, grande parte deles acaba sendo direcionada a aterros.

Tecnologias que atenuam os impactos negativos na produção têxtil devem ser bem-vindas, sobretudo por grandes marcas que buscam melhorar seu desempenho socioambiental. A impressão digital é essa tecnologia. Ela é ainda pouco explorada no mercado têxtil. No entanto, está ganhando terreno, sobretudo entre empresas que precisam reduzir estoques e resíduos. Tecnologias como a Kornit Vulcan empregam um processo livre de água e trabalham com fibras naturais, sintéticas e mistas.

A impressão digital está avançando e tornando mais fácil adicionar determinadas características aos tecidos. Além disso, há revestimentos que podem conferir propriedades isolantes ao tecido ao bloquear a radiação infravermelha.

Tecidos podem receber revestimentos que amaciam e repelem insetos, fungos e micróbios, ou para torná-los retardante ao fogo e proteger o usuário de radiação UV. Os tecidos podem ser tratados para repelir sujeira e água ou para serem condutivos ou receber impressão com material fotovoltaico.

Levar essas informações aos grandes players da indústria têxtil deve ser o objetivo de todos os fabricantes de impressão digital têxtil. Devemos aprender com as experiências no setor comercial, o qual levou anos para reconhecer a impressão digital como um concorrente tecnológico válido.

O conhecimento sobre os benefícios da impressão digital nos setores de moda e tecidos ainda é pequeno, e isso tem de mudar.

 

Esse artigo foi escrito por Laurel Brunner e publicado no site da Fespa em 18 de julho de 2016. O Portal InfoSign foi responsável por traduzir e adaptar o texto.