Perguntas e respostas sobre envelopamento de veículos

Por Eduardo Yamashita em 07/10/2015
Tire suas dúvidas: envelopamento de carros não precisa ser um bicho de sete cabeças

Tire suas dúvidas: envelopamento de carros não precisa ser um bicho de sete cabeças

Confira a seguir algumas das questões - e suas respostas - mais recorrentes sobre envelopamento de veículos, serviço que continua em alta nos mercados automotivo e de comunicação visual.

O que é envelopamento de veículos?

É um serviço em que uma imagem impressa em vinil autoadesivo é aplicada diretamente sobre a tinta original do veículo. A aplicação permite alterar a aparência de veículos por determinado tempo. O vinil pode ser retirado a qualquer momento, tornando possível que o veículo volte à sua condição original.

O que está envolvido no envelopamento de veículos?

O envelopamento é composto por três fases. A primeira é a etapa de projeto, que inclui a obtenção das medições precisas do veículo e criação das imagens a serem aplicadas. Na segunda fase, ocorre a produção da imagem, que é impressa e laminada (para proteger a imagem de abrasões e raios UV). A terceira etapa é a aplicação do vinil sobre o veículo. Em alguns casos, pode haver a quarta fase, na qual é necessário remover os vinis autoadesivos.

Qual é a diferença entre envelopamento parcial e total?

Envelopamento parcial é qualquer aplicação em que não se realiza o envelopamento completo, como, por exemplo, a adesivação apenas da traseira do carro. Já o envelopamento completo inclui toda a superfície do veículo.

Quanto tempo o envelopamento durará?

Dependerá da característica do vinil autoadesivo utilizado no envelopamento. Por isso, a aplicação pode durar de uma semana a 10 anos.

No envelopamento completo, toda a superfície do carro é coberta com vinis

O envelopamento danificará a pintura do veículo?

Não. Vinis autoadesivos não aderem à ferrugem. Se o veículo tem lascas na pintura, o vinil pode puxar a tinta no momento da remoção da película.

É necessária a limpeza do veículo antes do envelopamento?

Sim. Todos os veículos têm de estar livres de poeira, lama, cera, óleo e outros agentes que podem impedir a aderência dos vinis à superfície do veículo durante a instalação.

Quanto tempo é necessário para o envelopamento?

Em geral, um veículo pode ser envelopado em um dia, considerando a mão de obra de dois instaladores experientes fazendo um envelopamento total.

A imagem pode ser corrigida se houver danos em alguma parte do veículo?

Sim. Partes danificadas do envelopamento podem ser substituídas após o reparo do veículo. Caso o dano se limite a certas áreas do veículo, não será preciso refazer todo o envelopamento. Porém, cuidado com as imagens desgastadas e desbotadas.

Como é possível justificar o custo de um envelopamento de veículo?

O envelopamento do veículo como sinalização é um método muito rentável de publicidade. Muitas vezes, o custo por impressão dos veículos envelopados é menor do que outras formas de publicidade, como outdoors, televisão, rádio e páginas amarelas.

O envelopamento é uma ótima forma de comunicação visual publicitária

Pode-se remover o filme usado no envelopamento?

Sim. Essa é uma das vantagens dos envelopamentos com vinis autoadesivos.

É normal surgirem bolhas e rugas na imagem após o envelopamento?

Sim. Há muitas técnicas que reduzem as imperfeições de um envelopamento, mas mesmo os melhores instaladores (aplicadores) não conseguem eliminar todas as rugas em superfícies côncavas ou severamente arredondadas. Normalmente em superfícies planas isso não ocorre.

Qual é a garantia do envelopamento?

Depende da empresa que está prestando o serviço. Normalmente, ela se baseia nas garantias e durabilidades fornecidas pelos fabricantes de vinis autoadesivos. Porém, deve ser considerada, também, a garantia da tinta utilizada para imprimir a imagem.

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Esko lança plataforma i-cut Production para equipamentos Kongsberg

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 26/10/2014

Mesa de corte Esko Kongsberg XN integra sistema i-cut Production

Mesa de corte Esko Kongsberg XN integra sistema i-cut Production

A Esko, fabricante de soluções para corte e acabamento, anuncia o lançamento do i-cut Production Console (iPC), sistema operacional usado como plataforma para todos os equipamentos da linha Kongsberg. A solução combina recursos do XL-Guide (plataforma de embalagens) e do i-cut Vision Pro (padrão para corte e produções de tiragens pequenas).

Por meio do iPC, o operador pode acionar todas as funções e ferramentas das mesas Kongsberg, como controle de câmera, configuração de máquina, reconhecimento de ferramenta e ajuste de calibragem. Segundo a empresa, o iPC apresenta interface gráfica baseada em ícones e alertas codificados em cores, além de acompanhar remotamente o andamento da produção.

Tom Naess, gerente de produtos da Esko, declarou: "O iPC é uma plataforma projetada para ajudar os operadores a executar trabalhos mais rápidos, com maior facilidade e mais opções. Por exemplo, eles podem pausar a produção, concluir uma tarefa urgente e voltar ao primeiro lote de trabalho. O resultado é a otimização de tempo".

Fonte: Esko



SAi apresentará novidades para o software Flexi na SGIA 2014

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/10/2014

Novas ferramentas melhoram a funcionalidade e aumentam produtividade

Novas ferramentas melhoram a funcionalidade e aumentam produtividade

A SAi (SA International), desenvolvedora de softwares para comunicação visual, estará presente na feira SGIA 2014, que vai de 22 a 24 de outubro, em Las Vegas, EUA. No evento, a empresa exibirá novos drivers e ferramentas para o SAi Flexi, aplicativo de sinalização e impressão digital.

Segundo a empresa, com as novas ferramentas é possível reduzir o tempo de acabamento de peças como banners e pop-ups. As novidades estarão disponíveis aos clientes a partir da SGIA 2014, no Pack 6 para a versão 11 do SAi Flexi.

No estande da SAi, o visitante também poderá assistir a palestras sobre o SAi Flexi e demonstrações de fluxo de trabalho de produção em máquinas como a HP Latex 300, a Mutoh VJ-1624 e a Mutoh ValueCut VC-1300.

Fonte: SGIA