Novidades da Roland DG para 2018

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 06/02/2018
Empresa expandirá seus negócios para as áreas odontológicas e médicas

Empresa expandirá seus negócios para as áreas odontológicas e médicas

A filial brasileira da Roland DG, fabricante de impressoras digitais, apostará em 2018 no mercado dental. Para o primeiro trimestre do ano, a empresa está programando o lançamento de uma linha de equipamentos altamente precisos projetados para a produção de próteses dentárias.

Anderson Clayton, gerente de marketing da Roland DG, declarou: “Será o nosso foco a subsidiária DGSHAPE Corporation, que desde abril do ano passado concentra negócios em companhias dentais e médicas e de fabricação digital 3D. Temos o objetivo de fortalecer cada vez mais a marca”.

O segmento de personalizações, como serviços prestados em quiosques de shoppings centers, também contará com atenção especial da empresa, que comercializa máquinas para estampar capas de celular e tablets, máquinas para fazer personalização de camisetas e impressoras de itens tridimensionais e de brindes.

Clayton também declarou: “Razões não faltam para sermos otimistas em 2018. Em âmbito macro, o cenário econômico dá fortes sinais de melhora. O fundo FMI elevou a previsão de crescimento para o PIB Brasileiro. Além disso, a Copa do Mundo e as eleições devem alavancar as vendas. Do ponto de vista da companhia, a exemplo do que aconteceu em 2017, aumentamos a atuação nas grandes indústrias nacionais. E temos boas novas que brevemente anunciaremos e, certamente, vão mexer com o mercado”.

Fonte: Roland DG Brasil



Influência da temperatura na instalação de vinis adesivos

Por Eduardo Yamashita em 28/07/2015
Artigo técnico aborda a influência da temperatura na aplicação de vinis adesivos

Artigo técnico aborda a influência da temperatura na aplicação de vinis adesivos

Todo vinil adesivo sofre influência de temperatura. O frio extremo pode afetar o desempenho do filme de PVC e dificultar a instalação. Por outro lado, o calor extremo pode tornar o adesivo muito agressivo. Portanto, ao instalar imagens de vinil no Pará ou Rio Grande do Sul, em janeiro ou junho, é preciso enfrentar alguns desafios ambientais. Quais são os riscos? E como saber quando está muito frio para a instalação planejada?

Em ambientes muito frios

A baixa temperatura do ambiente ou da superfície reduz a plasticidade do filme de PVC, o que pode roubar sua capacidade de se conformar a uma superfície curva ou ligeiramente texturizada. No entanto, não haverá problema se a superfície de aplicação for lisa e plana. Em outras palavras, a elongação do filme de PVC diminui, deixando-o mais quebradiço.

Mas conformação é apenas parte do problema. O vinil mais conformável do mundo só vai ficar parado (adesivado) se o adesivo trabalhar. Em temperaturas abaixo da mínima, o adesivo torna-se tão frágil que não se molda à superfície. Se estiver perto da temperatura mínima da superfície, o filme pode aderir, mas não vai se relacionar bem o suficiente para tornar-se permanente. Isso poderia causar falha adesiva após a entrega ao cliente.

Qual a temperatura ideal para evitar o fracasso das aplicações? Depende. Cada vinil é diferente, mas em geral a temperatura mínima varia entre 4ºC e 7ºC para vinis cast e entre 8ºC e 10ºC para calandrados. Para ter certeza dos valores ideais, consulte sempre os dados publicados pelos fabricantes.

Falhas de aplicação podem acontecer caso não seja levada em consideração a temperatura como fator de influência durante a instalação de vinis adesivos
Falhas de aplicação podem acontecer caso não seja levada em consideração a temperatura como fator de influência durante a instalação de vinis adesivos

Intemperismo e armazenamento

Ao armazenar vinis em local separado do espaço de trabalho, é preciso adaptá-los à temperatura do ambiente antes da aplicação. Se estiver 22ºC em sua mesa e 3ºC na área de armazenamento, o vinil pode não estar pronto para o trabalho. Logo, será necessário aquecer a mídia para que fique entre 20ºC e 25ºC. Esse procedimento também é válido para fitas adesivas, filmes de laminação e outros materiais autoadesivos.

Entretanto, se o seu vinil está quente e será instalado em um veículo em uma garagem com a temperatura mais baixa, será necessário aquecer a superfície antes da instalação. A temperatura da superfície é tão importante quanto a do próprio vinil.

Lembre-se que, geralmente, leva alguns dias para o adesivo curar na superfície. Então, se você tem de instalar vinis em clima frio, faça-o em local climatizado. Além disso, tente organizar o ambiente para manter a superfície recém-decorada ou o veículo por alguns dias (mínimo de dois dias) descansando antes de liberá-lo para o cliente.

Agora você sabe que “depende” é a resposta para a questão “é quente o suficiente para instalar o vinil?”.

Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos
Este artigo técnico foi patrocinado pela Imprimax, fabricante de vinis adesivos



Xaar passa a atuar na área de impressão 3D

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 19/12/2016
Fabricante montou novo centro de pesquisa e equipe dedicada aos negócios de impressão 3D

Fabricante montou novo centro de pesquisa e equipe dedicada aos negócios de impressão 3D

A Xaar, fabricante de cabeças inkjet, anunciou o centro Xaar 3D, com base em Nottingham, Reino Unido. Trata-se de uma nova instalação, que será inaugurada em janeiro de 2017 e fornecerá equipamentos de impressão 3D. A equipe dedicada ao segmento será liderada pelo professor Neil Hopkinson.

Hopkinson, que inventou a tecnologia High Speed Sintering (HSS), juntou-se a Xaar em março de 2016 para desenvolver os negócios de impressão 3D da empresa. A HSS emprega cabeças inkjet e aquecedores infravermelhos na fabricação, em altas velocidades, de produtos de materiais com base de pó de polímero. Segundo a Xaar, é uma tecnologia indicada para empresas que procuram usar impressão 3D.

Desde que se juntou à Xaar, Hopkinson tem montado sua equipe, contratando gerentes de projeto. O time de Nottingham se concentrará no desenvolvimento de materiais e aplicações. Além disso, um grupo de engenheiros que trabalham em Copenhague, na Dinamarca, fornecerá informações sobre desenvolvimento de projetos e processos, para ajudar a Xaar a comercializar equipamentos com tecnologia HSS.

Doug Edwards, CEO da Xaar, declarou: “A impressão 3D é parte importante dos nossos planos para aumentar as vendas da empresa para 220 milhões de livras até 2020. Nossos investimentos nas equipes de Nottingham e Copenhague expandirão significativamente nossa capacidade neste setor, permitindo-nos alcançar nossos planos de crescimento”.

Fonte: Xaar