Nova cabeça de impressão Dimatix para máquinas inkjet industrial

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 29/11/2012

A Fujifilm, por meio da subsidiária Dimatix, lança a cabeça de impressão StarFire SG-1024/MA, especialmente projetada para impressoras a jato de tinta única passada.

O novo dispositivo trabalha com resolução de 400dpi e fluidos na faixa 8 a 20 centipoise. Tem 1.024 nozzles (orifícios), organizados em oito linhas, que podem ejetar tinta simultânea ou individualmente, disparando em frequência de até 35 kHz.

A novidade também incorpora as tecnologias RediJet e VersaDrop™. A primeira engloba inovações como superfícies especialmente revestidas, eletrônicos internos e recirculação contínua de tinta. Já a segunda, diminui o tempo de preparo e manutenção, além de entregar pontos variáveis, em velocidades industriais e impressão grayscale.

cabeça de impressão Fuji

StarFire SG-1024/MA: nova cabeça de impressão fabricada pela Dimatix

De acordo com a Fujifilm, a tecnologia VersaDrop aumenta a flexibilidade da cabeça de impressão StarFire porque pode expandir o volume da gota para mais de 80 picolitros, o que produz coberturas maiores.

A cabeça de impressão contém uma placa de metal reforçada na área dos nozzles que permite disparar tintas UV, à base d’água e solvente, para aplicações têxteis e industriais. O dispositivo também foi projetado para suportar a abrasão.

"Esses atributos são importantes para garantir o disparo de tintas muito concentradas (de pigmento ou corante) e de rápida secagem, características essenciais na impressão de alta velocidade, algo intrínseco nas máquinas única passada voltadas para aplicações têxteis", explicou Russ Brown, gerente da fabricante.

Veja mais algumas características técnicas da nova cabeça de impressão da Dimatix:

Número de jatos endereçáveis 1024
Largura da impressão 64.96mm
Espaço do nozzle 0,0635mm (400 dpi)
Retidão do jato (1 sigma) 1.5mrad [0.085°]
Temperatura da tinta em operação Acima de 60°C
Viscosidade do fluido 8 – 20cP
Outros fluidos compatíveis Tintas à base de óleo
Peso 320g
Volumes da gota 20 a 70 pl (picolitros)
Produtividade
volume da gota Frequência máxima
26 pl (picolitros) 35 kHz
65 pl (picolitros) 14 kHz

Fonte: Fujifilm. Texto: InfoSign

 



Como adesivar superfícies com rebites

Por Eduardo Yamashita em 03/11/2015
Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Aprenda a aplicar vinis sobre rebites de caminhão com o passo a passo a seguir

Além de fácil de aprender, a aplicação correta de imagens sobre rebites aumenta a velocidade da instalação e melhora a aparência do resultado.

Bastante recorrente no mercado, a adesivação de rebites normais em chapas lisas ou corrugadas será o foco deste artigo técnico. Com o método demonstrado, é possível obter resultados virtualmente perfeitos. Para tanto, o vinil deve ser aplicado de acordo com a forma de rebite e sem bolhas de ar e rugas. Todo adesivo deve ficar em contato com a superfície, e deve permanecer assim.

Observação: assim como o cast, o vinil calandrado pode ser capaz de se conformar a rebites, porém ele não ficará por muito tempo moldado nessas regiões.

Limpeza

A superfície deve ser devidamente limpa e completamente seca. Use as as seguintes soluções:

  • xilol ou similar: para contaminantes inorgânicos (gordura e graxa);
  • detergente neutro e água: para contaminantes orgânicos (terra, lama e partículas sólidas);
  • álcool isopropílico 70%: para limpeza final.

Com um pano (toalha), molhe e esfregue para remover a sujeira. Depois, antes da evaporação, seque com um segundo pano. É muito comum haver umidade por trás dos rebites. Isso acontece por causa da chuva ou da lavagem dos caminhões. Consequentemente, os fluidos remanescentes na traseira dos rebites devem ser removidos. Para tanto, aqueça as cabeças dos rebites e as áreas circundantes com um soprador térmico ou maçarico de propano até que todo líquido tenha evaporado. Em seguida, o vinil deve ser aplicado a seco e sem a utilização de fluidos de aplicação ou agentes umedecentes.

Método padrão de aplicação

Depois da limpeza dos rebites, realize a instalação seguindo os passos abaixo:

Espatule o vinil em paralelo à menor dimensão da imagem. Mantenha a imagem sempre esticada e pressione firmemente a espátula. Quando espatular sobre o rebite, alinhe o centro da espátula com o rebite, para que o vinil fique em contato com toda a superfície. Aplique e alise o vinil e empurre o ar para fora.
O resultado desejado é uma pequena bolsa de ar em torno de cada rebite. Depois de toda a imagem ter sido espatulada, se houver máscara de transferência, remova-a com cuidado em ângulo de 180 graus.
Corte o vinil sobre todas as emendas das chapas do caminhão. Use também um furador de bolhas, para permitir a saída do ar. Perfure vários pequenos buracos ao redor de cada rebite.
Use uma escova de rebite para pincelar em movimento circular, começando pelas bordas das bolhas de ar no vinil solto ao redor de cada rebite. Em espiral, siga em direção ao rebite. Leva apenas uma ou duas revoluções para empurrar para fora a maior parte do ar. Essa é “escovação” a frio, pois não há calor. Em seguida, use um soprador térmico (pistola de calor) ou maçarico de propano (não muito comum) e aqueça a região do rebite. Note que o vinil solta um pouco.
Escove novamente. Calor em excesso danifica o vinil. Se aquecê-lo demais, deixe-o esfriar antes de escovar. Repita o aquecimento e a escovação (geralmente três ou quatro vezes) até que todo o ar tenha saído. Em cada repetição, use mais calor e mais força na escovação.
Uma vez que todo o ar for retirado, use o calor novamente e centralize a escova na parte superior do rebite; esfregue-o com firmeza. A aparência final será similar a uma pintura.

 

Sobre o autor: Eduardo Yamashita é consultor técnico especializado em vinis adesivos, envelopamento de carro e comunicação visual

 



Sinalização digital 3D é instalada nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2014

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 01/02/2014

Os rostos dos participantes eram scaneados e projetados em 3D

As faces dos participantes são escaneadas e projetadas em imagens 3D

Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, realizados de 7 a 23 de fevereiro, em Sóchi (Rússia), reunirão não apenas a nata dos esportes de competição, mas também a elite da sinalização digital. Os atletas e os espectadores dos Jogos poderão ver de perto a inusitada instalação chamada Monte Rushmore da Era Digital. Trata-se de um display que projeta imagens tridimensionais das pessoas que interagem com ele.

Instalação recebeu a alcunha de Mt. Rushmore of the Digital Age

Instalação recebeu a alcunha de Monte Rushmore da Era Digital

Criada pela MegaFon, maior empresa de telecomunicações da Rússia e parceira da competição olímpica, a instalação tem 2 mil metros quadrados e é composta por 10 mil cilindros (atuadores) de LDEs RGB. Eles se acendem atrás do véu que cobre o prédio.

As faces dos participantes são escaneadas dentro de uma cabine, que captura a imagem de cinco ângulos diferentes. Em um minuto, um modelo 3D é criado e, por fim, uma imagem (de 8 metros) do rosto do visitante é projetada por 20 segundos.

A instalação fica localizada na entrada do Parque Olímpico e permancerá lá ao longo dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Inverno de 2014.

Assista ao vídeo da sinalização digital 3D em funcionamento:

Fonte: Digital Signage Connection