MTEX lança tecnologia digital de produção de amostras têxteis

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/11/2015
Mini-Lab foi desenvolvido para produzir amostras de tecidos estampados digitalmente

Mini-Lab foi desenvolvido para produzir amostras de tecidos estampados digitalmente

Durante a ITMA 2015, feira internacional que ocorre entre os dias 12 e 19 de novembro, na Itália, a MTEX, fabricante de equipamentos para estamparia têxtil, apresentará em primeira mão o Mini-Lab, sistema de produção de amostras de tecidos. A tecnologia é composta por um conjunto de equipamentos (coater, vaporizador, lavadora e secadora) combinado com uma impressora digital (com tinta pigmentada, ácida ou reativa).

Segundo a empresa, o Mini-Lab funciona da seguinte forma: o coater reveste a superfície de tecidos (algodão, linho e seda), a fim de prepará-los para a impressão digital. Depois de revestido, o material passa através de dois rolos para que o excesso de líquido seja retirado.

O tecido é então introduzido na secadora, para que fique pronto para a impressão. Logo após receber as imagens, o material é inserido no vaporizador, que possui um gerador de vapor embutido usado para manter a umidade sob controle.

No processo seguinte, o tecido é lavado em tanque específico e, finalmente, o material segue para o secador. Todo o fluxo de trabalho leva entre 20 e 30 minutos, dependendo do tipo de corante e do tempo no vaporizador.

Eloi Ferreira, CEO da MTEX, declarou: “Este é um dos lançamentos de 2015 mais importantes para a indústria. Trata-se de um sistema de estamparia digital têxtil de fácil operação e baixo custo, para produzir amostras sem comprometer o fluxo de trabalho”.

Fonte: MTEX



Graphics One lança sistema que converte impressão ecossolvente em UV

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 12/08/2013

Lampbar promete transformar uma impressora ecossolvente numa UV

Lampbar promete transformar uma impressora ecossolvente numa UV

A Graphics One (GO) anunciou o lançamento, no mercado internacional, de um sistema capaz de transformar uma impressora ecossolvente numa UV. Para tanto, é necessário acoplar uma espécie de barra (a Lampbar) na parte frontal da máquina.

Segundo a GO, a instalação do sistema é fácil. Além disso, ele possui uma lâmpada que consome pouca energia e dura até 10 mil horas. Já a tinta UV oferecida pela empresa tem alta adesão e resistência a riscos.

"Para a instalação do sistema, o usuário não precisa realizar grandes mudanças no hardware. Temos certeza de que nossos clientes vão adorar esta nova tecnologia", comentou Kerby Bonilla, responsável pelo suporte técnico e desenvolvimento de produtos da Graphics One.

Fonte: My Print Resource



Fotobras apresenta nova impressora solvente

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/04/2013

Impressora solvente pode ser financiada pelo BNDES

Impressora solvente pode ser financiada pelo BNDES

Durante a Fespa Brasil 2013, a Fotobras apresentou a CIRRUS, impressora digital solvente de 3,2m de largura de impressão, que emprega quatro cabeças Xaar Proton 382.

De acordo com a Fotobras, a impressora, que tem um ano de garantia, trabalha na resolução de 720dpi e velocidades de 27m²/h, 35m²/h e 45m²/h.

O equipamento suporta substratos como vinil, lona, perfurado, mesh, entre outros materiais flexíveis.

Segundo os representantes da máquina, ela tem baixo custo de impressão e, por ser fabricada no Brasil, pode ser financiada pelo BNDES.

Fonte: Fotobras