Mimaki lança mesa de corte CFL-605RT

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 07/02/2015

CFL-605RT é indicada para empresas de embalagens, protótipos e sinalização

CFL-605RT é indicada para empresas de embalagens, protótipos e sinalização

A Mimaki, fabricante de equipamentos de impressão e recorte, lançou na Europa a CFL-605RT, mesa de corte plana e compacta. A máquina é indicada a empresas de acabamento, embalagens, protótipos e tiragens especiais sob demanda de materiais impressos.

A CFL-605RT acomoda mídias no formato A2, trabalha com pressão de 500g a 1000g e oferece cortes excêntrico, tangencial e alternativo. Com o excêntrico, é possível processar substratos com espessura de 1mm.

Ao usar o corte tangencial, o operador pode cortar materiais com 2mm de espessura, como vinis adesivos e peças de couro. Já o corte alternativo permite o acabamento em substratos de 10mm de espessura, como foam e papelão ondulado.

Mike Horsten, gerente geral de marketing da Mimaki Europa, declarou: "A CFL-605RT realiza prototipagem e produção de amostras, bem como pequenos lotes de embalagens, que podem ser criadas de acordo com as necessidades de cada cliente".

Fonte: Large Format Review



Catalina Graphic anuncia novo filme Permovable

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 17/07/2014

Película é indicada para aplicações externas

Película é indicada para aplicações externas

A Catalina Graphic, fornecedora norte-americana de mídias para comunicação visual, anunciou o Permovable, substrato que faz parte da série Mojave Digital Media. Trata-se de uma película adesiva sem PVC desenvolvida para aplicações de curta duração em ambientes externos, como ruas e paredes.

A mídia acomoda-se às superfícies e texturas sobre as quais é aplicada, dando-lhes a aparência de pintura.

Segundo a empresa, a Permovable é de fácil aplicação, apresenta resistência ao atrito e prescinde de sopradores térmicos e laminações. Pode ser aplicada vertical ou horizontalmente em superfícies como asfalto, concreto, tijolo e tapume, em lojas de varejo e peças de sinalização ambiental.

A mídia pode receber impressão digital (solvente e ecossolvente) e serigráfica (solvente e UV).

Fonte: SGIA



Ampla recebe alunos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 16/11/2017
Ricardo Lie, diretor de negócios da Ampla, palestrou para os alunos da UTFPR

Ricardo Lie, diretor de negócios da Ampla, palestrou para os alunos da UTFPR

No dia 23 de outubro, um grupo de 15 alunos do curso de Tecnologia em Design Gráfico da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná) visitou a fábrica da Ampla Impressoras Digitais. A turma foi recebida por Ricardo Augusto Lie, diretor de negócios e sócio da Ampla e presidente da CSMEG (Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos Gráficos da Abimaq). Essa é a segunda turma da UTFPR a visitar a Ampla, que recebeu o primeiro grupo de alunos, do mesmo curso, no dia 17 de abril de 2017.

A visita à fabricante de equipamentos de impressão digital foi uma atividade da disciplina Produção Gráfica 2, que contempla processos de impressão e acabamentos gráficos em diversos substratos.

Ricardo Lie iniciou a programação com uma apresentação sobre a história e os equipamentos desenvolvidos pela Ampla, contextualizando a fabricante nacional no cenário brasileiro e global. Além disso, os alunos conferiram o showroom com equipamentos fabricados pela empresa.

Waleska Pacheco, professora que coordenou e acompanhou os alunos durante a visita, declarou: “As visitas técnicas são sempre enriquecedoras, principalmente quando eles conseguem visualizar o processo de produção completo, como no caso da Ampla, onde há o contato desde a fabricação do equipamento até vê-lo em funcionamento. Isso ajuda os alunos a entender melhor o que foi transmitido em sala de aula de forma teórica. Agradeço, em nome da UTFPR, a oportunidade de participar do programa Portas Abertas da Ampla”.

Christian Vinicius Bazyl De Franca, aluno da turma que visitou a fábrica, declarou: “Foi muito interessante. É um pedaço do mercado com o qual não estamos acostumados a conviver e visitar e, por isso, entender como os equipamentos funcionam e como são projetados foi muito importante e enriquecedor”.

Fonte: Ampla