Leister apresenta novo modelo de soldadora

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 10/04/2017
Hemtek ST pode operar a uma velocidade de 12 metros por minuto

Hemtek ST pode operar a uma velocidade de 12 metros por minuto

A Leister, fabricante de equipamentos, anunciou a Hemtek ST, máquina estacionária para acabamento de soldas abertas ou fechadas de lonas.

Após a instalação adequada sobre uma mesa, a máquina pode ser utilizada para emendar lonas a uma velocidade de até 12 metros por minuto e 3400 watts de potência.

Segundo a empresa, a Hemtek ST é operada por meio de um pedal, o que deixa as mãos do usuário livres para guiar o material através do equipamento.

Temperatura, velocidade e fluxo de ar podem ser ajustados no painel de controle. A pressão pode ser ajustada diretamente no rolo de pressão e não há necessidade de ferramentas adicionais para balizar o material.

Fonte: Leister



Enquete: as tecnologias de impressão digital em que os leitores do InfoSign investiram em 2016

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/01/2017
Em 2016, maioria dos leitores do InfoSign deram preferência a tecnologias de impressão em tecidos

Em 2016, maioria dos leitores do InfoSign deram preferência a tecnologias de impressão em tecidos

Ao longo do ano passado, o InfoSign perguntou em enquete aberta qual tipo de impressora de grande formato os leitores do site gostariam de adquirir em 2016. O resultado (de um total de 1.328 votos) demonstra a tendência estabelecida desde 2015, isto é, a preferência por tecnologias para estamparia têxtil digital.

A tecnologia mais votada foi a sublimática, com 455 votos (34% do total). Em segundo lugar, ficou a impressão direta em tecido, com 298 votos (22%). Somados, os resultados obtidos pelas duas categorias correspondem a mais da metade dos votos. Ambas são indicadas sobretudo para a estamparia têxtil. A látex, com 93 votos (7%), também é capaz de imprimir em diversos tipos de tecidos, o que ajuda a endossar a inclinação do público a fazer investimentos em tecnologias têxteis.

A enquete mostrou, ainda, que tecnologias consolidadas obtiveram desempenho satisfatório. A solvente recebeu 252 votos (equivalente a 20%) e a UV, 137 (10%). Embora tenha lugar cativo, a UV apresentou um resultado inferior ao do ano passado.

A impressão com tinta à base d'água teve 93 votos (7%), deixando claro que se trata de uma tecnologia voltada a um nicho mais específico entre os usuários de grandes formatos.

O que você achou dos resultados? Concorda com eles? E não deixe de participar da nova enquete, que procura conhecer quais as tecnologias de impressão digital de grande formato nossos leitores pretendem adquirir em 2017. Você pode acessá-la na homepage do Infosign.



Estúdio de design cinematográfico adquire impressora 3D de grande formato

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 20/12/2018
Weta Workshop cria projetos para filmes blockbuster

Weta Workshop cria projetos para filmes blockbuster

A Massivit, fornecedora de tecnologias de impressão 3D de grande formato, anunciou que o estúdio Weta Workshop, vencedor do Academy Award, instalou uma unidade da Massivit 1800 em Wellington, Nova Zelândia. A empresa é reconhecida por seu trabalho em filmes como O Senhor dos Anéis, Avatar, King Kong, Ghost in the Shell e Blade Runner 2049.

Richard Taylor, co-fundador da Weta Workshop, declarou: “ Fabricamos figuras humanas hiper-realistas, criaturas, veículos e outros acessórios enormes para cinema e televisão. Sempre procuramos tecnologias que produzam peças grandes. Com a Massivit 1800, nossa equipe conseguiu redefinir o que é criativamente possível para nossos projetos. É uma máquina versátil que transformou a maneira como trabalhamos, e até sobrecarregou nossa produção. Realmente é um sonho que se torna realidade”.

De acordo com Pietro Marson, analista de operações da Weta Workshop, as equipes de fabricação da empresa haviam implantado diversas tecnologias para seus processos, como routers CNC, robôs industriais e impressoras 3D menores. Muitas dessas tecnologias apresentaram limitações. De acordo com a empresa, muitas vezes é necessário criar esculturas de 8m ou 9m de altura. Para tanto, era preciso imprimir várias peças e depois encaixá-las manualmente, um processo demorado e caro.

A Weta Workshop espera economizar milhares de dólares ao imprimir componentes maiores por meio da Massivit 1800. A máquina foi particularmente útil para um dos projetos mais recentes da empresa, que exigiu a produção de moldes em grande escala.

Fonte: Massivit