Laminação em impressos de grande formato

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 23/09/2013

Laminar ou não? Se você trabalha em birô ou gráfica digital, essa pergunta já passou inúmeras vezes pela sua cabeça. Parte das incertezas sobre a laminação (processo de aplicação de uma película protetora sobre a mídia) começa na própria impressão, pois muitas impressoras e tintas prescindem de qualquer tratamento superficial.

Mas o que acontece se, por exemplo, o impresso precisar de proteção contra pichações? Ou se o cliente pedir uma instalação externa, aplicada em janelas? A laminação, nesses casos, é obrigatória.

Muitos acreditam que a laminação só protege contra a exposição de raios UV. Mas ela também pode aumentar a rigidez da mídia e conferir efeitos diferenciados aos impressos. Sem contar que agrega valor aos trabalhos de comunicação visual.

A laminação pode ser aplicada em cartazes, pôsteres, displays (rígidos e flexíveis), backlits, banners, sinalização externa e decalques

A laminação pode ser aplicada em cartazes, pôsteres, displays (rígidos e flexíveis), backlits, banners, sinalização externa e decalques

Antes de começar a laminar, responda às seguintes questões:

  • A aplicação é interna ou externa?
  • A mídia é de papel, PVC ou vinil?
  • Você precisa de acabamento brilhante ou fosco?
  • O material ficará acessível ao público?
  • A aplicação terá vida útil curta ou longa?
  • O impresso exige proteção contra raios UV?

Com base nas respostas desse questionário, você vai conseguir escolher a película mais interessante para laminar seus impressos. Você descobrirá também se a laminação é realmente necessária.

Especificação do material

Quando souber como os impressos serão instalados, consulte os fornecedores de materiais para acabamento. Eles são habilitados a indicar as laminadoras e os filmes mais adequados para suas necessidades. A escolha do filme certo vai garantir o sucesso da aplicação. Seguem abaixo algumas especificações e características técnicas das películas de laminação que devem ser controladas:

  • temperatura de ativação;
  • pressão necessária;
  • acabamento: brilhante, acetinado, fosco/ultrafosco, texturizado;
  • permanente ou removível;
  • à base de solvente ou à base d’água;
  • hot-melt;
  • absorventes de UV.
Laminação pode agregar valor aos seus impressos

Laminação pode agregar valor aos seus impressos

Tintas de impressão digital (grande formato)

Considere mais um fator: a tinta, que pode ser látex, UV, à base d’água ou solvente. Cada uma delas vai reagir de forma diferente com a superfície da mídia. Por exemplo, as tintas à base d’água "colam" na superfície das mídias. Portanto, o filme laminado deverá aderir à imagem para que não ocorra a delaminação. Já as tintas à base de solvente "penetram" no substrato e podem até mesmo criar uma mídia "mais fina" onde foram depositadas. A laminação nesse caso tem de prender a tinta e dar estabilidade adicional ao produto final. Mas, mesmo com o avanço das tintas, os impressos continuarão exigindo proteção contra raios UV (que provocam o desbotamento), manipulação (como limpeza) e ataques (pichações). Para tanto, não há melhor processo do que a laminação.

Fonte: Neschen



Bordeaux lança tinta compatível com impressoras Mutoh VJ

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 09/10/2015
Embalagem com 1 litro de tinta pode reduzir custos de impressão

Embalagem com 1 litro de tinta pode reduzir custos de impressão

A Bordeaux, fabricante de insumos para impressão digital, anunciou o lançamento da embalagem em forma de bolsa (bag) com 1 litro de tinta compatível com equipamentos da série Mutoh VJ.

A solução, que contém um chip dedicado, possui formulação similar à da tinta original e pode ser instalada pelo próprio operador da máquina, eximindo a presença de um profissional de assistência técnica.

Segundo a empresa, ao empregar a tinta compatível Bordeaux, é possível reduzir custos sem sacrificar a qualidade de impressão nem a produtividade.

Guy Evron, diretor de marketing da Bordeaux, declarou: “Com o objetivo de aumentar a produtividade dos nossos clientes, melhoramos a embalagem das tintas voltadas para equipamentos Mutoh. Além disso, a nova bolsa com 1 litro tem compatibilidade com embalagens OEM e proporciona uma rápida conversão plug and play”.

Fonte: Bordeaux



Impressora de etiquetas da Epson recebe certificação

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 08/10/2017
ColorWorks C7500 recebeu nos EUA selo da Applied Data Corporation

ColorWorks C7500 recebeu nos EUA selo da Applied Data Corporation

A Epson America anunciou que, nos Estados Unidos, a impressora de etiquetas ColorWorks C7500 recebeu a certificação da Applied Data Corporation (ADC), fornecedora de software de gerenciamento voltado para as indústrias de serviços alimentares. Portanto, o equipamento pode gerar etiquetas com códigos de barras para alimentos frescos vendidos em mercearias, padarias e outros estabelecimentos similares. Os rótulos também podem incluir informações de preço, fatos nutricionais e avisos para alérgicos.

A ColorWorks C7500 roda a 59 pés por minuto e é indicada para empresas que exigem alto volume de etiquetas primárias de alta qualidade de impressão e que sejam duráveis e econômicas. Com cabeças PrecisionCore, a máquina pode economizar até 50% dos custos totais de rotulagem, quando comparada ao uso de rótulos pré-impressos.

Andrew Moore, gerente de produto da Epson America, declarou: “Esta certificação oferece aos clientes a solução de rotulagem colorida e sob demanda ideal para a indústria alimentícia. A máquina não só permite que os clientes da ADC criem rótulos de cores de alta qualidade, mas também ajuda a marcar produtos”.

Fonte: Epson