Kiian Digital e J-Teck3 selam parceria e criam grupo

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 13/08/2014

Fabricantes unem forças para atender novas demandas do mercado de impressão digital

Fabricantes unem forças para atender novas demandas do mercado de impressão digital

A Kiian Digital e a J-Teck3, fornecedoras de tintas digitais, uniram-se para oferecer mais recursos ao setor de impressão digital.

A J-Teck3 tem 10 anos e desenvolve tintas sublimáticas e pigmentadas. Já a Kiian Digital tem uma longa história no fornecimento de químicos e insumos para impressão digital.

Combinadas, as duas empresas passarão a oferecer um portfólio maior de tintas digitais, para diversas cabeças de impressão. Para expandir os negócios globalmente, as fornecedoras oferecerão benefícios de suporte e assistência técnica, além de ampliar atividades de pesquisa e desenvolvimento.

Dennis Wilby, presidente da Kiian Digital, declarou: "A união das empresas reforça nossa capacidade de atender clientes em todo o mundo. Os anos de experiência e conhecimento de ambas beneficiarão a indústria internacional de impressão".

Italo Mariani, gerente da J-Teck3, declarou: "Estamos muito satisfeitos por unir forças com a Kiian. As duas empresas compartilham valores comuns, e os nossos produtos são complementares. Juntando recursos, teremos mais potencial no mercado de tintas digitais".

Ambas as equipes de gestão, incluindo os antigos proprietários da J-Teck3, continuarão a se envolver nos negócios das empresas.

Fonte: What They Think



Como são reproduzidas cópias oficiais das obras de Van Gogh

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 18/03/2019
Museu Van Gogh usa tecnologia de grande formato para imprimir quadros do pintor

Museu Van Gogh usa tecnologia de grande formato para imprimir quadros do pintor

Localizado em Amsterdã, na Holanda, o Museu Van Gogh abriga a maior coleção de obras do pintor homônimo. O visitante da exposição pode admirar uma coleção permanente de obras-primas de um dos pintores mais famosos e apreciados no mundo.

O museu abriga uma loja de lembranças onde é possível comprar objetos temáticos e itens colecionáveis. Entre ele, estão reproduções autenticadas (com certificado) e de alta definição das pinturas de Van Gogh.

Todas as imagens das obras-primas foram digitalizadas com scanners de alta resolução, que capturaram detalhes finos, texturas de pinceladas, protuberâncias de tinta e texturas das superfícies dos quadros. Por isso, as reproduções são quase idênticas aos originais.

Para estampar as imagens, o Museu Van Gogh utiliza uma Canon imagePrograf, capaz de produzir impressões de alta qualidade (na resolução de 2.400 x 1.200dpi) em papel ou canvas. A máquina emprega um conjunto de 12 tintas inkjet pigmentas, nas cores: preto fotográfico, preto fosco, ciano, magenta, amarelo, ciano fotográfico, magenta fotográfico, cinza, fotográfico cinza, vermelho, azul e otimizador cromático.

Para proteger reproduções de obras de arte, recomenda-se usar um vidro de proteção em cima das impressões, para para protegê-las da luz. Pode-se optar por envernizar o material com um revestimento que ressalte as cores e proteja a peça contra arranhões.

Após a impressão e o envernizamento, as imagens são montadas em uma base. As impressões em papel podem ser fixadas em poliestireno, papelão, placas de alumínio ou qualquer outra superfície plana. As telas tambpem podem ser esticadas à mão sobre uma moldura de madeira, para que o quadro fique com um aspecto mais artesanal. É aconselhável que as molduras de madeira tenham certificação PEFC e FSC, para garantir o manejo florestal sustentável. Existem muitos tipos de molduras, mas o mais importante é que ela reflita a qualidade da impressão.

Qualquer um pode adquirir uma reprodução autenticada das obras de Van Gogh

Fonte: Flaar



Cobertura Fespa Brasil 2013 – Parte 4: visitação, congresso e campeonato de envelopamento

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/03/2013

13.184 visitantes únicos estiveram na Fespa Brasil 2013

13.184 visitantes únicos estiveram na Fespa Brasil 2013

Entre os dias 13 e 16 de março, ocorreu em São Paulo a Fespa Brasil 2013. Durante este período, foram apresentados lançamentos e produtos de fabricantes e fornecedores especializados em comunicação visual e impressão digital.

Estreando no país, o evento obteve números surpreendentes. Ao todo, a feira contou com 13.184 visitantes únicos (pessoas diferentes) que puderam conferir 231 marcas em 112 estandes. Estima-se que nos quatro dias de evento, as marcas tenham fechado negócios que, somados, chegam aos 120 milhões de reais.

Leia também as demais partes dessa cobertura:
1ª: impressoras (grande formato)
2ª: routers, máquinas a laser e mesas de corte
3ª: sublimação, tintas, substratos e softwares
 

Sucesso no Brasil

Realizada pela primeira vez em solo brasileiro, a Fespa foi além das expectativas dos expositores, que se impressionaram com os resultados do evento. Com isso, muitos já aguardam ansiosos pela próxima feira, prevista para março de 2015.

"A edição brasileira foi um dos mais impressionantes lançamentos que a Fespa já realizou. Estou muito animado com o futuro do evento", declarou Neil Felton, diretor de feiras da Fespa internacional.

Corredores e estandes estiverem sempre cheios durante os quatro dias de evento

Corredores e estandes estiveram sempre cheios durante os quatro dias de evento

Wrap Cup: campeonato de envelopamento de carros

Durante a feira, também ocorreu o Wrap Cup, campeonato de envelopamento que teve como vencedor o aplicador Jefferson Pimenta. Com o feito, ele ganhou o direito de disputar a competição mundial, na Fespa de Londres, que será em junho. Da competição, participaram envelopadores de várias partes do país, além de um competidor da Suíça.

O Wrap Cup teve início na quarta-feira (13) e foi encerrado na sexta-feira (15), nomeando os três finalistas: Jefferson Pimenta, Eduardo Satbel e Wagner Saragoz, nesta ordem.

Disputa acirrada: envelopadores competiram por uma vaga em campeonato internacional

Disputa acirrada: envelopadores competiram por uma vaga na edição londrina do Wrap Cup

"Estava muito ansioso, pensando se fiz um bom trabalho", comentou Pimenta ao saber do resultado. Seu foco agora é a competição internacional. "Vou treinar, pesquisar como é a aplicação lá fora e os materiais utilizados. Vou mostrar meu trabalho para ter a honra e o prazer de trazer o título para o Brasil", comentou.

Adriano Medeiros, organizador e um dos juízes da competição, também comemorou o sucesso do evento: "Para mim, foi fundamental a internacionalização dos nossos profissionais. A Fespa contribui muito pra isso, marcando presença no Brasil. Destaco também as regras e juízes do evento, que fizeram com que tivéssemos um show seguro, introduzindo o uso de EPIs".

Tendo a 3M, a Fotolia, a Imidia e a PixelDots como patrocinadoras, foi a primeira edição realizada no Brasil.

Jefferson Pimenta (de camiseta vermelha) foi o primeiro vencedor do Wrap Cup no Brasil

Jefferson Pimenta (de camiseta vermelha) foi o primeiro vencedor do Wrap Cup no Brasil

Congresso Internacional

Outra grande atração da feira, o congresso, realizado durante os quatro dias do evento, reuniu profissionais renomados de diversas áreas do setor.

No auditório, os participantes puderam conferir uma série de dicas e ensinamentos sobre Photoshop, fotografia, manipulação de imagens, produtividade, lucratividade, empreendedorismo, qualidade de imagens, estamparia digital, economia de substratos, impressão UV, entre outros temas.

Congresso gratuito teve programação bem diversificada

Congresso gratuito teve programação bem diversificada

"Durante a palestra, foi possível perceber que a Fespa Brasil reuniu um público muito direcionado, tomador de decisão. Essa qualidade de público é fundamental", pontuou Ricardo Pi Martin Vieira, gerente comercial da Océ que ministrou a palestra "Desafios da Era UV".

Fonte: Fespa Brasil