Insumos para a limpeza de cabeças de impressão e para acabamento superficial

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 03/12/2012

Toda impressora digital precisa de manutenção a fim de evitar problemas e manter um bom estado de funcionamento. Para tanto, existem procedimentos e insumos específicos. No caso das cabeças de impressão, é preciso utilizar fluidos de limpeza capazes de eliminar refugos de tinta que ficam dentro das câmeras e dos nozzles. E há muitos deles no mercado. Portanto, fique atento: é preciso escolher o material correto. A Gênesis Tintas publicou recentemente um artigo técnico detalhando alguns desses insumos fundamentais na vida de qualquer operador de impressora digital. Veja abaixo alguns dos tópicos abordados no texto:

Limpador (cleaner) para cabeças piezolétricas (solvente)

Trata-se de um glicol (solvente) que, dentro das indústrias de tintas, passam pelo processo de filtragem, responsável por conferir características especiais ao insumo, garantindo que ele passe — e limpe — pelas câmeras e nozzles das cabeças de impressão. Normalmente, impressoras digitais com cabeças piezoelétricas precisam desse limpador para manutenções diárias.

Limpador (cleaner) para cabeças Epson Micro PiezoTM (ecossolvente)

As impressoras que empregam cabeças da marca Micro Piezo, da Epson, usam solvente (glicóis) que também passam pela filtragem. O seu uso é bem menos frequente. Isso porque é a própria tinta que elimina os resquícios deixados nos nozzles e canais das cabeças já citadas, restando ao solvente apenas a limpeza mais "pesada".

insumo para impressão digital

A devida manutenção nas cabeças de impressão garante melhor funcionamento do equipamento

Solvente desentupidor (flush) de cabeças (solvente)

Mais forte do que os limpadores citados nos tópicos anteriores, o desentupidor, basicamente, derrete os resquícios das tintas que se alojam nas cabeças. Por ser mais agressivo, seu uso frequente pode danificar as peças. Depois de aplicá-lo, recomenda-se fazer a limpeza com o solvente (cleaner) e, posteriormente, o operador deve realizar testes de impressão.

Limpadores (cleaner) para cabeças de tinta sublimática

Formado por glicóis, água, aditivos e tensoativos, esse tipo de limpador passa, antes de ser vendido, pela destilação (que elimina as impurezas), desionização (elimina os minerais) e filtragem (retira fungos e bactérias do local).

Desentupidor (flush) de cabeças de tinta sublimática

O material que promove uma limpeza mais potente e garante o desentupimento completo das cabeças. Apesar de não ser corrosivo, ele trabalha com elementos tensoativos e água, que garantem a desobstrução dos canais.

Insumo de conversão de tintas solventes e sublimáticas

Usado em impressoras que suportam os dois tipos de tintas, o insumo é responsável por realizar a limpeza dos canais e fazer a conversão da tinta solvente para a sublimática e vice-versa.

Acabamento

Eles também estão nas salas de impressão de qualquer birô que se preze. São os insumos para acabamento superficial, como a laca (verniz para conferir diferenciais estéticos aos impressos) e o solvente para acelerar a secagem da tinta à base de solvente (novidade exclusiva da Gênesis Tintas).

insumo para secagem rápida

Quer secagem mais rápida? Use insumos que aceleram o processo

Laca para acabamento

Esse tipo de verniz pode ser usado no substrato impresso com a intenção de obter resultados estéticos. É possível deixar o material brilhante ou fosco, por exemplo. Além disso, a laca tem a função de proteger a superfície dos materiais sobre os quais ela foi aplicada.

Solvente para secagem instantânea

O produto aplicado às tintas solventes é vendido exclusivamente pela Gênesis Tintas e auxilia na rápida secagem do impresso. Mais aderência e resistência também são dados ao material.

Fonte: Gênesis. Texto: InfoSign



Epson entra no mercado de sublimação com duas novas impressoras

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 25/11/2012

impressora Epson para sublimação

Nova SureColor SC-F7000: aposta da Epson para o mercado de impressão sublimática

SureColor SC-F: esse é o nome da nova linha de impressoras que marcam a entrada da Epson na sublimação. Dois modelos fazem parte dessa família: o SureColor SC-F60 e o SureColor SC-F70. O primeiro tem 44 polegadas (1,1m) de largura de impressão. Já o segundo, um pouco maior, vem com 64 polegadas (equivalente a 1,6m).

As novidades, que trabalham com a paleta básica de cores CMYK e resolução de 720 x 1440dpi, têm um grande diferencial: todos os seus componentes (tintas, cabeças, chassis e acessórios) são projetados e fabricados pela mesma empresa, a Epson — um feito inédito no mercado de impressoras sublimáticas. "A impressão digital têxtil ainda é pequena, mas está crescendo rapidamente. Nossa estratégia é aumentar esse percentual, fornecendo soluções confiáveis e de baixo custo, totalmente projetadas por nós", declarou recentemente Guy Martin, gerente de produto da Epson Europa.

Até então, vários outros modelos de impressoras da fabricante eram adaptadas para receber tintas sublimáticas compatíveis. Algo que a empresa tentará coibir com as suas novas apostas para o mercado.

Características técnicas das impressoras Epson para sublimação

As impressoras SureColor SC-F possuem sistema rolo a rolo de alimentação de substrato (papéis para sublimação), cuja estrutura exige pouco trabalho de um único operador. As máquinas também contam com tensionamento automático de mídia. Além disso, o cilindro de recolhimento de material impresso — padrão na SC-F70, mas opcional na SC-F60 — permite produções ininterruptas. E para quem faz uso de bobinas mais pesadas, pode-se adquirir um sistema opcional de mídias que suporta bobinas de 80Kg.

Epson SureColor SC-F6000: impressora sublimática de 1,1m

Segundo a fabricante, as impressoras vêm equipadas com cabeças Epson MicroPiezo TFP, já consolidadas no segmento de sublimação. Trata-se de uma tecnologia que casa bem com as tintas Epson UltraChrome DSink, outra novidade da empresa, vendida em cartuchos de 1,5 litro.

Ambos os modelos foram desenvolvidos para a produção de brindes, soft signage, moda esporte, vestuário, acessórios, artigos personalizados, entre outras aplicações feitas com sublimação. De acordo com a empresa, as máquinas geram impressos com resitência à luz, lavagem, abrasão e transpiração.

Quanto aos modos de operação, os equipamentos oferecem: Draft (velocidade de 57m2/h), Produção (28m2/h) e Qualidade (16m2/h).

Fonte: Epson UK. Texto: InfoSign



i-Sub lança foil digital

Por Luiz Ricardo Emanuelli em 14/01/2014

Impressora Mimaki UJF 3042 é empregada para a aplicação do foil

Impressora Mimaki UJF 3042 é empregada para a aplicação do foil

A I-Sub Digital, fornecedora de materiais para impressão digital, lançou no mercado internacional um sistema de foil composto por um dispositivo aplicador e uma impressora Mimaki UJF (3042 ou 6042). O foil pode ser usado para reproduzir cores metálicas e holográficas em textos, imagens e contornos.

Indicado para empresas que produzem protótipos ou pequenas tiragens de brindes e embalagens, o sistema não usa prensas e pode aplicar o foil em áreas diminutas de até 0,3mm.

A Mimaki UJF é uma impressora desktop UV plana e pode trabalhar com materiais com até 5cm de espessura. Para a aplicação do foil, basta fazer a impressão e usar o aplicador. A folha é depois removida, deixando apenas a área impressa com o foil.

Fonte: Print Week